13.5.12

O prémio



Se a tropa fandanga do apito pudesse erguer algum troféu do campeonato da liga portuguesa de futebol, não tenho dúvidas que o faria sem qualquer rebuço no antro da corrupção, sito ao Freixo, na Palermo portuguesa, lado a lado com incríveis, luxos, bitós e joões tontinhos que por lá proliferam de mão dada com a promiscuidade, mordiscando aqui e ali a fruta pôdre do pomar corrupto do Madaleno.

Uma bandalheira e à descarada!

E foi assim, perante o sorriso pérfido de um canalha fedorento e cornudo, peidorrilhas incorrigível, retratado em centenas de escutas como um fulano sem escrúpulos, triste exemplo da pior escória da nossa sociedade, que meia dúzia de aldrabões, entre ameaças de greve e intimidações pariram novamente o eterno campeão da trapaça.

Agora, só resta saber qual o verdadeiro campeão ou campeões. Se foi um bando de apalhaçados que se maquilhou e besuntou as suas cabeleiras de tinta azul marada sintetizada no “laboratório” de um póvoas qualquer no chafurdo do Freixo, ou os farsolas do “pífaro” que convidados por aqueles e premiados com mais uma nomeação, lhes ganharam os jogos que quiseram, quando quiseram e da forma como quiseram derrotando dessa mesma forma os outros, afastando-os do título.

E se nos enquadrarmos no tempo e no espaço, concluiremos que a melhor vendetta a qualquer cabeçada na dentadura de qualquer imbecilóide por um qualquer “américo” traído e indignado, são mimos no pescoço, ternos abraços e outras práticas promíscuas de suinicultura azul e bronca, à fartazana, para todo o mundo ver!

Mas todas estas manifestações de “carinho” não foram por acaso!

Quem mais o poderia ter feito senão Pedro Proença?

Proença fê-lo com requinte. Fê-lo em plena consciência e com a desfaçatez de um impune, de alguém que está bem escorado. E esta é a confirmação e a certeza de que são estes e outros actos semelhantes que o identificam caninamente e há muito, com uma corja pôdre, que fede a mentira e a trapaça, manipuladora ao ponto de o levar ao colo e alcandorá-lo ao estatuto de intocável, elegendo-o o “maior do pífaro”, escolhendo-o para o Euro 2012 na Polónia e na Ucrânia e premiando-o com a nomeação para a final da Champions League entre o Bayern e o Chelsea.

Pedro Proença soube e sabe colocar os ovos no cesto certo. Proença, bem como todos os outros árbitros internacionais e não só, e os elementos ligados à arbitragem, conhecem bem os meandros da UEFA e não nos esqueçamos que aí, a diversos níveis, com saliência para o jurídico e para o da arbitragem, o lobby do grémio da fruta, corrupção & putêdo tem tido grande influência e preponderância. Basta analisarmos a escandaleira que foi o processo de reintegração do grémio corrupto nas competições europeias, após ter sido condenado em 1ª instância. Oiço criticar o Platini quando estas coisas acontecem (por alguma razão ele nunca mais falou em batota, nem em batoteiros), mas o francês nestas matérias risca pouco, muito pouco. Há lá outros tubarões cuja força é desconhecida e à qual se junta aquela maralha de morcões astutos (há lá uma mão cheia deles, por exemplo o Aguiar também pertence a essa corja), que se tem sabido infiltrar nos corredores de Nyon e que também ajuda a que surjam estas manobras. Podemos e devemos ficar indignados com esta afronta que é quase um atentado ao futebol, vermos um habilidoso que à descarada tem roubado o Benfica e não só, ser escolhido assim. Mas não esqueçamos que a sua prestação no Inter-Marselha, para quem esteve atento, foi um serviço quase limpo, só que o Marselha, por azar, marcou numa altura do jogo em que era impossível a quem quer que fosse virar o marcador a favor do Inter. Sabem quem é o principal responsável pelos árbitros na UEFA?

É Pierluigi Collina. É italiano, não é?

Pois é, meus Caros Companheiros, pois é…


Proença é o campeão dos campeões. O campeão da verdadeira equipa que este ano foi campeã – a tropa fandanga do apito onde pontificam Xistra, Hugo Miguel, João Capela, Artur Soares Dias, Olegário Benquerença (que esteve ao lado de Collina, numa célebre vinda deste a Portugal) e Paulo Baptista, com uma segunda linha para o que der e vier (Cosme Machado, Rui Costa, Vasco Santos e quejandos).

Bem à imagem de Martins dos Santos – um incurável e promíscuo ex-árbitro da A.F.Porto condenado por crimes diversos no que ao futebol diz respeito – que os pintos corruptos lançaram para a ribalta do apito, esturricado e derretido depois no magma incandescente da corrupção, Pedro Proença “alinhou” sem decoro na festança (pràticamente não vi nenhum lagartinóide, muito menos o calimero dos paquetes a abespinhar-se com tamanha desfaçatez de Proença por tê-los enviado em definitivo para o 4º lugar do campeonato através de uma jogada irregular e de duas primorosas expulsões…).

Tal como esse lacaio, qual mísero títere, que enquanto inserido na corja activa do apito se dedicou a “servir” com uma dedicação e um zelo extremos o clube condenado por corrupção e não foi mais longe porque era descarado demais, Pedro Proença foi mais uma vez “ele mesmo”.

Para além de ter ganho um campeonato, ganhou a final da Champions.

E assim, vão-se ajudando uns aos outros, tal e qual como aquelas “organizações” ou seitas secretas, com avental ou sem avental.

À “campeão”!

E é também assim que vai a arbitragem internacional ao nível das competições europeias, com Tagliaventos e Skominas nomeados para salvar Chelseas e quejandos, livrando-os logo de sezões provocadas por quaisquer Benficas que lhes apareçam pelo caminho.

Por isso esta nomeação não é um atentado, é um prémio.

É um prémio para a vaidade, para o paternalismo de pacotilha, para o cinismo, para o malabarismo, para a subserviência de um vassalo que quer subir. E subiu!

E quando no Allianz Arena, em Munique surgirem as equipas finalistas, haverá um elemento de uma, que todos sabemos que foi aquele que marcou os “melhores golos”, os golos ilícitos que pariram várias vezes o mesmo campeão da treta e que será sempre recordado pela célebre frase de Martins dos Santos:
- “Diga lá aos nossos amigos, que serei eu mesmo!”

GRÃO VASCO

2 comentários:

Carlos Alberto disse...

Vou roubar a imagem enorme Grão Vasco!

Um abraço

Águia Eterna disse...

eSSE CÃO rafeirola DO PROENÇOLA DEU, MAS DEU MESMO este ano a Taça de Portugal ao zmerding de alvalixo e o "comprionato" ao fóculoorco.
Desejo-lhe a MORTE. sinceramente nque desejo a morte a este DEFECADO POR UMA PUTA PÔDRE. Morre o Grande Bernardo Sassetti e fica cá um FILHO DA PUTA DESTES???!!!

Afinal também DEUS hibernou??!!
Caro Grão VASCO, a palavra CAMPEÃO junto a esse CRÁPULA devia estar escrita entre aspas "campeão", pois é um FALSO campeão.

BENFICA, SEMPREEEEEEEEEEEEEE.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...