24.2.20

Jackson, um trunfo extra



- Assim também eu era campeão! – exclamava aturdido um lagartunço foleiro que revia no café do bairro, numa mesa ao lado, os lances capitais do jogo disputado no antro corrupto, em que Jackson Martinez, ex-jogador do grémio azul e bronco e agora a actuar na agremiação de Portimão subserviente à fruta de Palermo do Douro, fez o favor de falhar escandalosamente um penalty decisivo que colocava o seu clube em vantagem no desafio.

A festarola não acabou aqui. O público, reconhecido pelo seu feito e pela coragem demonstrada, retribuiu a sua “excelente prestação” com uma ovação inédita aquando da sua substituição. Tenebrosa, tanta hipocrisia. Já não bastava a chinfrineira hipócrita e ridícula protagonizada na mediática “maregada” pela cambada mais racista, xénofoba, macaca e batoteira que chafurda no futebol tuga!

Mas como cereja no topo do bolo ainda houve oportunidade de assistir àquele abraço comprometedor e cúmplice entre o colombiano e aquela aberração clínica que se senta no banco do grémio da fruta e do café com leite.

Uma desfaçatez espúria num lamaçal corrupto onde a Verdade Desportiva nunca existiu.

GRÃO VASCO


17.2.20

‘Maregada’ ou um cúmulo de hipocrisia



Não!
Não sou nem serei Marega!
“Je ne suis pas Marega”

O racismo é intolerável e as farsas relacionadas com ele, também o são. Ainda mais quando, quem agora tanto se abespinha, tem mais que telhados de vidro e que noutras situações, num passado recente e em tudo semelhantes àquela que Marega viveu ontem, passou por elas como cão por vinha vindimada, inclusive criticando e apoucando as próprias vítimas desses abusos racistas – relembre-se entre muitas omissões e branqueamentos o infeliz episódio da “medalha de lata” com que o Record das petas brindou cinicamente o atleta e ex-jogador do Benfica, Nelson Semedo, elevando ontem Marega a mártir do racismo e à “medalha de ouro” pelos mesmos motivos.
Hipocrisia e nojo!
Marega tem toda a razão para se indignar e pedir contas a quem o ofendeu. Mas mais nada. Nada de foguetório barato. Foguetório, foguetório, nestas alturas em que nem começaram as romarias de Verão, só em Gaia, próximo do hotel onde habitualmente fica o Benfica nas deslocações ao norte. Nada de piretes e outras cenas menos próprias que protagonizou, invectivando também algum público com provocações à medida.
O que é “garantidinho”, é que se o que se passou tivesse sido com algum jogador do Benfica e este tivesse respondido como Marega o fez, teríamos os mabecos do costume logo a ganir - os rafeiros anti-Benfica a norte e também a sul – contrapondo que pela sua resposta, o visado teria perdido imediatamente a razão e o ruído sobre o racismo teria sido logo abafado. Assim, foi ampliado até à exaustão, chegando ao ridículo da CS interpelar o PR e o PM deste país.

O que tenho presenciado desde ontem à noite nas TV’s, rádios e imprensa é absolutamente surreal, próprio de um país desgovernado, com um secretário de estado da juventude e desportos à deriva – a desdobrar-se hoje em entrevistas em tudo o que são TV’s - e de uma CS terceiro-mundista, lamaçal de mentecaptos principais fomentadores do ódio e da violência que campeia pelos relvados do futebol indígena, de chicos-espertos, de provincianos bacocos, de malabaristas, de manipuladores e de indivíduos sem isenção, sem moral e sem ética profissional.
Enfim, uma hipocrisia deplorável de uma corja de parasitas que se besuntam de esterco todos os dias quando fazem capas de jornais repletas de mentiras, fabricam casos e notícias falsas, criam suspeições ou emitem artigos de opinião inenarráveis e incendiários ou quando nas TV’s apelam ao ódio e à violência, à cegueira e à subversão dos valores pelos quais se pautam os simples cidadãos e que são imprescindíveis numa sociedade de paz, ordem e progresso cada vez mais solidária e justa.

Como é possível a RTP, iniciar o seu Jornal da Tarde, emitido da RTP Porto com uma notícia eivada da mais infame hipocrisia?
Uma farsa de 15 minutos à moda da Palermo portuguesa!
Mas mais ridículo foram os 28 minutos na TVI sobre o racismo e o Jornal de Síntese da SIC às 13 horas, que preencheu praticamente toda a emissão com a ocorrência no estádio do Vitória de Guimarães.

Onde estava a RTP Porto, quando no mesmo estádio – Guimarães – Nelson Semedo, que à data jogava no Benfica, foi alvo dos mesmos insultos racistas?

Onde estavam a A BOLA, o Record e outros miseráveis pasquins, nessa altura? E o resto da CS?

Onde estava esta corja espúria quando Renato Sanches foi selvaticamente perseguido e achincalhado ao colocar-se em dúvida a sua verdadeira idade por causa da sua côr, por pessoas e publicações perfeitamente identificáveis?
Onde estava esta mesma corja de “indignados” – só quando lhes convém – quando o mesmo Renato foi alvo de cânticos de cariz racista em Vila do Conde, quando o Rio Ave em 2016 perdeu em casa contra o Benfica?

Porque é que este bando de hipócritas, não apelou nessas alturas à polícia e ao ministério público para averiguar estas ocorrências e só agora é que fala em procedimentos criminais pelos cânticos e posturas racistas?

Onde estavam todos os que agora rebentam com os botões das camisas e rasgam as respectivas vestes quando dois jogadores do Manchester City – Balotelli e Yaya Touré – num jogo europeu, em Portugal, no estádio do Dragão, foram alvo de imitações de vozes de macacos por parte de adeptos portistas? 

Onde estava, ainda há bem pouco tempo esta corja danada quando surgiram sistematicamente nos pontões de acesso e mesmo dentro da cidade do Porto, tarjas gigantes a letras brancas e fundo azul a dizer “BEM-VINDOS FILHOS DA PUTA”, ou “IDES SOFRER COMO CÃES”, “MORTE AOS MOUROS” (estas até foram colocadas, bem visíveis, junto ao relvado dos estádio das Antas e do Dragão), numa inequívoca referência ao Benfica, aos seus jogadores e às suas Gentes?

Onde estava esta corja de indignados de agora quando apareceram pendurados num pontão, dois bonecos insufláveis equipados a rigor, um como árbitro e o outro como jogador do Benfica, simulando o seu enforcamento?
O que é isto, senão uma forma bem caracterizada de racismo, em que a questão fundamental é a cor da camisola?
Vermelha, para que conste.

Onde estava e está, esta miserável gentalha quando as Casas do Benfica são vandalizadas e grafitadas com frases intimidatórias, tais como “chegou a vossa hora”, “slb filhos da puta”, “lampiões filhos da puta”?

Onde estava e está esta corja de virgens ofendidas que vêm agora tomar as dores de quem lhes convém quando uma corja de bandidos, criminosos com livros publicados a relatar tenebrosas façanhas e energúmenos de um submundo muito perigoso a norte, agora arautos e defensores do coitadinho do Marega, cantava em pleno pavilhão Dragão Caixa, “Ai quem me dera que o avião da Chapecoense fosse o do Benfica”?

Onde estavam também, o presidente da Federação, o presidente da Liga e quejandos, nestes tristes acontecimentos?
O que fizeram? Mostraram alguma indignação? Condenaram todos estes actos com a veemência com que o fizeram hoje?

O que fizeram a CS, as autoridades governamentais e desportivas perante este despautério que se arrasta há anos e sempre com os mesmos protagonistas?
Nada. Mas hipocritamente vieram hoje todos a terreiro, clamar aqui d’el rei, que o que aconteceu ontem em Guimarães foi um crime de lesa-pátria!

Também foi notícia que a polícia está a investigar a ocorrência e a identificar os seus possíveis autores.
Como?
Então esta mesma polícia, a norte, já apresentou algum resultado sobre a investigação ao crime – no mínimo tentativa de homicídio a todos os passageiros e condutor que integravam a excursão - de que Bruno Simões, um adepto do Benfica, foi alvo e que o deixou desfigurado e em estado grave ao ser atingido por um paralelepípedo lançado conta o vidro da frente do autocarro em que viajava, quando passava pela portagem dos Carvalhos, no Porto?
E já identificou os agressores às famílias que recentemente foram receber e saudar a equipa do Benfica ao hotel em Gaia?
E já identificou os autores do fogo-de-artifício - que é proibido - dentro da cidade de Gaia e próximo do hotel onde pernoitava a equipa do Benfica?
Que dimensão é que foi dada a todos estes acontecimentos?
Que dimensão?
Nenhuma!

Absolutamente infame o que tem acontecido com todo este maralhal – situacionistas pró-fcp e alguns miseráveis afectos ao scp – a assobiar para o ar de acordo com as suas conveniências e com a inadiável necessidade do grémio da fruta, do café com leite e do tecido das barracas de praia, a norte, ter de ser de qualquer maneira campeão esta época, contribuindo assim com todos os intervenientes e todos os acontecimentos para esse fim!
Este é um exemplo paradigmático como se usa a propaganda populista para ser evitado o descalabro que está mesmo à entrada da porta do estádio, onde um homem se suicidou, encontrado todo nu com uma faca no bolso, já que a pistola, comeu-a um dragão.

É a “maregada” em todo o seu esplendor com um aproveitamento perfeito por toda a lixeira comunicacional de “pintos”, “mastins gonçalbes”, trolhas, aníbais, baldaias, amarais, cegos guedelhudos, macacos e demais fauna a laborar a todo o vapor!
Só não vê quem não quer!

GRÃO VASCO


7.2.20

Assalto arbitral!



Uma nomeação indecente para o desafio entre o grémio da fruta, corrupção & putêdo e o Benfica!

Quando Fontelas escolhe estes dois anti-Benfiquistas para dirigir o desafio, está tudo dito!

Um assalto ao ouro do Benfica!
Uma vergonha!

GRÃO VASCO


25.1.20

Olha Zé, já nos livrámos de mais uma!



O Glorioso de Portugal é que não se livra de um malabarista – Manuel de Oliveira - que se senta nos camarotes da Pocilga Corrupta e que amanhã vai atrapalhar e roubar?!? à tripa forra em Paços de Ferreira!


GRÃO VASCO









17.1.20

Subserviência a “Palermo”



A equipa de futebol do Sport Lisboa e Benfica tem esta noite uma tarefa tremenda – irá jogar contra tudo e contra todos.

A obsessão anti-Benfica do lagartêdo, as acções mafiosas do grémio da fruta, a postura dos brácaros sempre subservientes a Palermo e a completa bandalheira provocatória ao SLB nas nomeações feitas por Fontelas, Costa & associados não auguram muita bonança nesta jornada.
No entanto, quero acreditar que os nossos gloriosos jogadores irão dar tudo por tudo para contrariar esta vergonha arbitral, bem patente nas nomeações para esta sexta-feira.

Carrega Benfica!

GRÃO VASCO



16.1.20

A pequenez de Silas



A fobia exacerba-se cada vez mais.
“O ideal é que perca o Benfica…”

Então para este fulano o ideal não seria que o lagartêdo ganhasse?
Até nas declarações mostram o seu complexo de pequenez.

Nós sabemos que se o Glorioso de Portugal não ganhar, este e a maioria dos complexados do lagartêdo já ganharam mais um campeonato do Peyroteo.

Desgraçados!

GRÃO VASCO



15.1.20

Os fretes de Artur “Pasteleiro” & Tiago “Moedas”



A equipa do Sport Lisboa e Benfica disputou ontem no seu próprio estádio um desafio pré-armadilhado. Um campo minado de perigosos “pastéis” e de falsas “moedas”. O jogo tinha tudo para que o Glorioso de Portugal fosse despachado da Taça de Portugal e assim abrir caminho livre para o fruta corrupção & putêdo limpar tranquilamente o troféu daqui a uns meses.

Primeiro, a marcação da data do jogo que trouxe desde logo um acréscimo de preocupações ao Benfica, atendendo ao pouco tempo de descanso que resta para o embate de sexta-feira com o lagartêdo. Um desgaste físico adicional que poderá, à partida, causar efeitos negativos no rendimento da equipa, devido ao esforço que foi necessário para ultrapassar uma equipa que também veio jogar com esse factor. E como ela jogou!

A seguir, Fontelas Gomes completamente engajado à pandilha corrupta do Freixo, não esteve com meias-medidas – por causa das tosses, amanhem-se lá com o Arturinho Pasteleiro e o Tiago Moedas, dois aldrabões do apito. O jogo sujo começou aí, nas duas nomeações – uma para árbitro, outra para o VAR – com a badalhoquice a manter-se ao longo de todo o encontro e só abrandando quando Seferovic resolveu encavar os defesas vila-condenses com dois golos de belo efeito.

Mas a pouca vergonha e as filhas-das-putices não se ficaram pelas miseráveis prestações destes reles protagonistas. Com a azia provocada pela reviravolta gloriosa, alguns órgãos bastardos da CS, nomeadamente o execrável record do lagartêdo, um coio de anti-Benfiquistas ordinários, a começar pelo seu horripilante director e o nojento “o jogo”, um pasquim que alberga uma corja de escribas do piorio, dos tempos do Apito Dourado, actualmente conhecido pelo “Pravda dos Três Estarolas”, saíram imediatamente a terreiro, guinchando “aqui d’el rei”, que o Rúben Dias foi poupado à expulsão, ignorando a roubalheira arbitral “abrilhantada” de pastéis rançosos e moedas furadas ao longo de todo o encontro!
Hipócritas e bandalhos!

Anda a sociedade a fazer constantes peditórios para isto e para aquilo e porque não pedir ao Trump um “dronezinho” para reduzir aquelas espeluncas comunicacionais a cinzas?

Os “pastéis”, impregnados de um veneno azul corrupto, foram felizmente rejeitados pelos jogadores Benfiquistas que com uma imensa garra e em grande esforço físico responderam sempre bem às duas adversidades (os dois golos do Rio Ave) acabando por dar a volta e sobreviver a um jogo que mais parecia um campo repleto de minas.
Com dois “hara-kiris” dos nossos centrais – Rúben ainda se recompôs, acabando o jogo em grande, mas Ferro acusou (e tem acusado) a forte pressão de não falhar e com Vlachodimos ausente neste jogo-chave (o que tem de ser revisto) – o Benfica teve de correr atrás do prejuízo, o qual aumentou exponencialmente com as habilidades e as aldrabices do pasteleiro da Palermo portuguesa e com a execrável prestação do “Moedas” no VAR. Um descalabro arbitral que ia custando a eliminatória ao Glorioso de Portugal.

Artur, o pasteleiro do apito, mostrou ontem, mais uma vez, à saciedade, ao que vem sempre que apita o Benfica. Num jogo em que as ocorrências faltosas dos vila-condenses na sua área sobre os jogadores Benfiquistas foram mais do que muitas – rasteiras a Chiquinho (na continuidade deste lance o Rio Ave acabou por marcar o seu segundo golo) e a Taarabt, cometidas por Filipe Augusto na 1ª parte (o procedimento “teatral” em conivência com o “Moedas” mostrou o ridículo e a manhosice de ambos) e rasteira com empurrão pelo mesmo jogador a Pizzi, na segunda metade. Oportunidades para o Benfica resolver o desafio não teriam faltado e o jogador vila-condense por estar já “amarelado” iria mais cedo para os balneários, não fosse a batota “pasteleira e numismática” ter estado na ordem do dia.
Imaginemos só, se isto tivesse acontecido com o grémio da fruta! Rasgavam-se as vestes e a indignação daria a volta ao mundo!
Mas nesse caso, Arturinho pasteleiro ter-lhe-ia chamado um figo! Em vez de ter sido “obrigado” por Vasco a rouVAR a marcar aquele incrível penalty nos Cónegos a favor do seu grémio de coração, teria tido pano para mangas para uma vitória tranquila como aquela que deveria ter ocorrido ontem na Luz, tendo acontecido exactamente o inverso.

Ao contrário do que se foi dizendo hipocritamente na reles CS, o próximo jogo de sexta-feira para o campeonato, entre o Benfica e o lagartêdo teve influência no decorrer do desafio de ontem.
Com os jogadores do Benfica um pouco contidos de início e os do Rio Ave aproveitando esse receio de desgaste do adversário (o que infelizmente veio a acontecer) complementado com as miseráveis prestações de Artur “pasteleiro” a Dias e de Tiago “moedas” Martins, o jogo tomou contornos preocupantes com o Benfica em desvantagem durante muitos minutos, obrigando os jogadores a um esforço acrescido que espero bem, não venha a reflectir-se no derby.

O campo minado foi ultrapassado com êxito pelo Benfica. O Glorioso passou incólume sem mazelas visíveis. Como adepto e atento aos bastidores do jogo e suas envolventes, foi com o coração nas mãos que respirei aliviado no final do desafio.
A filha-da-putice, as habilidades parolas, a premeditação e a declarada falta de decoro e de respeito pelo Sport Lisboa e Benfica campearam pelo relvado da Luz ao som da estaladiça massa dos pastéis à moda da Palermo portuguesa e do tilintar das moedas de cinco cêntimos supostamente atiradas ao peito e às canelas de um miserável aVARiado do apito.

Ao contrário do que se disse na BTV, não foi a visita do bando de macacos da Ribeira da Palermo portuguesa ao centro de treinos dos árbitros na Maia e o respectivo aperto ao Arturinho pasteleiro que mudou a postura do dito cujo. A sua fama, tal como a do brandy Constantino já vem de longe. Artur Soares Dias foi sempre assim – tudo a favor do grémio da fruta, tudo conta o Glorioso de Portugal – e foi por isso que ele subiu até ao topo e promovido a internacional sem ter competências e qualidades para tal (a característica principal nestes casos é beneficiar sempre o grémio das putas para obter esses estatutos). O lobby corrupto azul e bronco acantonado na UEFA tem feito o seu trabalhinho com um esmero tal, que hoje um dos maiores aldrabões arbitrais em Portugal é reconhecido como um árbitro europeu de élite. Uma vergonha! Uma bandalheira!
Para Tiago “Moedas” Martins só um único comentário final – UMA MERDA!

Abençoado Benfica que tem tido arcaboiço suficiente para todas estas canalhices, a começar em Fontelas, o primeiro responsável por este despautério e a acabar nos seus “muchachos” amestrados!

Sigamos para 6ª.
CARREGA BENFICA

GRÃO VASCO



3.1.20

Mais uma frangalhada do “amaral”…



Um autêntico machimbombo!
Pum, catrapum, pum, pum!
Aí vai o chaço, sem óleo nos travões, aos solavancos, prestes a mergulhar na ETAR de Contumil!
“O alemão? Ele não vem! Ele não vem! É um dado adquirido!”
Barraca, “amaral”, barraca!
Já aterrou em avião privado em Lisboa, já fotografou o Templo Sagrado, já fez exames e… já assinou pelo Benfica, exibindo o Manto Sagrado com o seu nome – J. Weigl - o número 2024 e com um belo sorriso de felicidade!
Borraste-te “amaral”, borraste-te!
A CMTV ainda não te recambiou?
Oh “amaral”, “tás cá com uma sorte”!...
Bem… a verdade é que esse esgoto televisivo também não tem emenda, mas que aquilo já cheira muito mal, não tenhas a mínima dúvida!

Este cUmentadeiro azul e bronco do correio da merda TV esgadanha-se todo para apoucar o Benfica. Ainda pensa que as transferências/aquisições de jogadores para o Benfica estão condenadas ao fracasso como nos tempos em que o seu querido presidente recebia os árbitros em casa com as gavetas da cómoda atafulhadas de muitas notas. Um tempo sinistro e tenebroso, desde os idos anos 70 até à primeira década deste século, em que a mafia azul e bronca impunha os seus ditames pela violência, coacção e chantagem e onde os seus mandatários, esbirros e espiões do fruta corrupção & putêdo, vulgo fcp, espalhados pelo país, pela Europa e América do Sul, boicotavam todas as tentativas dos responsáveis do Benfica em adquirir os jogadores que interessavam ao Glorioso, desviando-os para o seu grémio, um dos mais mafiosos do mundo.

Nesse tempo, o dinheiro em Contumil jorrava a rodos, a justiça – alguma complacente, conivente e subserviente - não conseguia debelar a impunidade criminosa na Palermo portuguesa e tudo se comprava, desde as viagens ao Brasil com as célebres “calheiradas”, até aos GPS’s para jornalistas, árbitros e mesmo jogadores. Quando o Benfica chegava para negociar, já o jogador estava a ser encaminhado para outras bandas. Sempre as mesmas.
Durante muitos anos foi assim. Hoje, a diferença, é que para aqueles lamaçais de mentiras, truncagens e omissões, o dinheiro não abunda e concomitantemente, os dirigentes Benfiquistas estão devidamente prevenidos em relação a tudo, pois daquele chafurdo, a norte, tudo é possível, desde “fugas para Vigo” até às badalhoquices dos “calores da noite”, passando pelas poções Póvix e as macumbas do bruxo de Fafe e mestre Albes do Celse

Como o poder mafioso a norte tem vindo a perder influência em toda a linha e como o escrutínio em relação às tácticas rasteiras, trapaças e vigarices é hoje muito maior e bem mais visível, tem optado em colocar nalguns pontos-chave da comunicação social, sementes de ódio e canalhice que se têm prestado a um papel absolutamente lastimável e miserável.
Nesses órgãos da CS, em particular nas TV’s, têm surgido dos piores espécimes paridos no chafurdo da Palermo portuguesa, bolçando um ódio nunca visto, consequência do complexo de pequenez que está enraízado nessa corja até à medula dos ossos perante a grandeza e universalidade do Glorioso de Portugal. Não conseguem comportar-se de outra maneira. A inveja, a raiva, a filha da putice está-lhes no sangue!

Os contumilianos do Freixo viveram toda a vida de mãos dadas com a trafulhice – até o ano da sua fundação truncaram - com o grosso dos títulos obtidos por viciação diversa e outros, segundo Alex Ferguson, comprados em supermercados. Nunca souberam viver de outra forma. Não resistem à batota, à mascambilha. Atemorizados pela pujança financeira do Benfica têm recorrido ainda mais à chicana, à mentira, à insinuação, à suspeição, ao roubo, tentando confundir a opinião pública e os adeptos Benfiquistas. Só que não têm conseguido, porque o Benfica de hoje já não é aquele que andava com os olhos fechados e passava ingénuamente ao lado das cruéis e criminosas realidades dessas épocas em que valia tudo, entre “quinhentinhos”, “cafés com leite” e “chocolatinhos”.

E assim vão aparecendo ainda os “cabanelas justiceiros” desta vida estrebuchando em fase terminal e os chaços mediáticos azuis e broncos das estirpes infectas, tipo amaral, guedes, baldaia e aníbal. Esperneiam, vomitando raios e coriscos.

Aguardei pelo “prêto no branco” de Julien Weigl para escrever este post. As contínuas bacoradas do “amaral frangueiro” na CMTV atingiram o cúmulo quando esse pateta mental exclamou num tom categórico que o jogador alemão “não viria para o Benfica e que isso era um dado adquirido”. Pensava ele que ainda se passeava impunemente pelos anos 70, 80 e 90 do século passado.
Puro engano e grande desilusão. A realidade é outra!
Acorda, contumiliano de Cascais!

O pior guarda-redes que passou pela selecção nacional portuguesa foi encavado mais uma vez. Mais um “frango” do cangalho “amaral”!
Mais uma estocada no anti-Benfiquismo mais reles e mais rasteiro que se conhece.

Carrega Benfica!

GRÃO VASCO



28.12.19

PIZZI, o melhor de 2019



A minha homenagem a um dos jogadores mais influentes do Sport Lisboa e Benfica e que em 2019 foi o melhor de todos a nível nacional.

Parabéns e Obrigado, Pizzi!


NOTA

A propósito da escolha no universo Benfiquista, do melhor jogador de 2019, houve um palermóide geracional que resolveu colocar no espaço mais anti-Benfiquista da blogosfera – o famigerado ngb, um vespeiro de lagartos e corruptos disfarçados de águias – uma votação sobre esse tema.

Como é um canalha da pior espécie que deambula quase diariamente pelas sarjetas do Estádio da Luz, uma autêntica ratazana de esgoto que elegeu há muito o nosso Pizzi como seu ódio de estimação, elaborou uma lista onde o nosso jogador é referenciado com dois dos seus nomes  -  Luís Fernandes - e não com o nome ou alcunha pelo qual é conhecido no mundo do futebol - Pizzi .

Uma filha da putice, um procedimento inqualificável e subreptício, para tentar evitar que os Benfiquistas sérios e autênticos votem no jogador. O nome original é Luís Miguel Afonso Fernandes e o imbecil tratou de camuflar o seu nome futebolístico pelo qual é conhecido com um objectivo obscuro e trapaceiro – como critica tudo e todos e por tudo e por nada o nosso jogador, tenta assim truncar a votação, evitando que os votos recaiam no seu nome, apoucando-o como sempre.

Estúpido, justifica-se de uma forma primária e esfarrapada, alegando que Pizzi era um ex-jogador do grémio das putas, a norte, e por isso não gosta da alcunha, pelo que colocou o nome original.
Mas quero relembrar a este crápula que o nome Pizzi deriva de um jogador argentino que jogou em Espanha na década de 90 e que durante uma época (2000), há quase vinte anos, esteve ao serviço do grémio das putas – uma passagem sem significado algum em que fez 16 jogos e marcou 4 golos.

A este escrevinhador ressaibiado, relembrar-lhe que honestidade e seriedade são qualidades que ele não conhece.
Vai-te catar, pá!

GRÃO VASCO

23.12.19

As rabanadas azedas de Trêtas da Silva



A palavra “vergonha” está na moda e nada melhor do que ela para qualificar o último post de Trêtas da Silva publicado na lixeira geracional gerida e manipulada pelo seu esbirro de estimação, o famigerado “shadows”!
Uma vergonha!

Cada frase escrita nesse “libelo acusatório” por aquele que um dia disse em plena TV que “a Luís Filipe Vieira só faltaria uma vitória numa final europeia para poder ser considerado como o melhor presidente da história do Sport Lisboa e Benfica”, é mais uma golfada de ódio e desespero expelida com violência por Trêtas da Silva. Nas acusações indirectas que bolça constantemente, sempre acompanhadas por insinuações eivadas de um veneno viperino, constata-se de uma forma tácita a frustração de ver cada vez mais um Benfica pujante e ganhador.
Uma vergonha!

Mas o pior de tudo é o ataque pessoal despeitoso e a sua postura rasteira, nada consentânea com a grandeza do Sport Lisboa e Benfica, incitando constantemente à discórdia, numa atitude desafiante, conflituosa, divisionista e canalha.
Uma vergonha!

Para Trêtas da Silva todos são réus do esplendor Benfiquista – presidente, empresários, elementos da SAD, treinador, futuras aquisições, comunicação social e por aí adiante…
Uma vergonha!

“São os pingos da chuva e tudo o resto”, diz Trêtas da Silva…
… Ó Trêtas, quando lá estiveste, como vice-presidente, por acaso nunca choveu? Nesse tempo, só fazia sol? Nem uma chuvinha de molha-tolos?
Que vergonha!

E quanto à proposta desafiante sobre debates, por mim, ficarás sempre a falar sozinho, mas sempre terás a possibilidade de teres uma conversa de pé-de-orelha com a tua “amiga” do post que percebe destas "merdas" do Benfica como ninguém ou com essa sumidade analfabética do “viriato” (como esse nickname envergonha todos os Benfiquistas de Viseu que já andam pelos cabelos com o boçal do tintol e das moelas à la plancha)...
Que vergonha!

É verdade, sim senhor!
“Com papas e bolos se enganam os tolos”.
Nada melhor que as “papas” ressaibiadas à 2ª. Feira na “lixeira geracional”!
Só as “come” quem quer…
Que vergonha!

E para finalizar esta dedicatória natalícia que já vai longa, dizes bem Trêtas - “ninguém foge ao seu destino”. Sinceramente não sei se foi a tua inspiração ou um teu sonho numa noite de derrota da equipa de futebol do Glorioso, a tua destrambelhada ambição ou as premonições da bruxa de Pendilhe que te disse um dia que irias sentar-te no cadeirão maior do camarote presidencial do Estádio da Luz. O que eu te digo, e longe de me arvorar em adivinho, é que com estas atitudes que tens tido, os sócios e adeptos do Glorioso mandar-te-ão em velocidade de cruzeiro para uma das sarjetas do Colombo sem piedade absolutamente nenhuma!


Olha, Trêtas,
É bem preferível atirares-te a umas rabanadas, nem que venham já ressessas e azedas, do que enviares essas tuas “bombocas” ressaibiadas ao Vieira, pois os resultados do Glorioso desde os 3-0 ao Zénith têm sido uma consumição para ti, não é?
E quanto à tão apregoada tua “democracia”, já estou como o outro – “estamo-nos cagando para isso”! Deixa lá a “democracia” para os “artistas” da Assembleia da República.

Em termos exclusivamente blogueiros, para o teu natal e o do teu chegamiço “shadows”, que venha de lá um “perú de dois papos”, tromba de porco no cozido à portuguesa e as tais rabanadas azedas.

Sem mais, e já agora que se vai fazendo tarde, vou passar pela Casa do Benfica da minha santa terrinha para começar a ensaiar as “Janeiras” para a noite fria vimaranense do início do ano…


GRÃO VASCO




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...