16.10.18

Na Palermo portuguesa há macacos por todo o lado!



Afinal não foi só no Mar Shopping de Matosinhos que apareceram macacos à solta. Também nas redacções dos pasquins “jn” e “o jogo” vão sendo encontrados mais uns quantos espécimes mas de uma estirpe mais refinada.
O caso mais flagrante foi o de um símio que não foi de modas e ocupou durante largo tempo o gabinete do director do “jn” pondo e dispondo a seu bel-prazer das prerrogativas que são conferidas ao director deste jornal. Uma delas foi determinar que na semana que passou e na eminência de serem publicadas as contas do grémio da fruta, o que veio a acontecer na terça-feira, dia 11 do mês em curso – 28,4 milhões de euros de prejuízo – não se desse qualquer relevo nas capas diárias do pasquim e muito menos que fosse feita qualquer alusão a esse facto comprometedor da gestão do dito grémio.
Segundo fontes anónimas para uns, más-línguas do costume para outros, parece que aconteceu exactamente a mesma situação na sede do pasquim “o jogo”.

No entanto e para salvaguardar a eficácia deste comportamento, os primatas em causa ordenaram a elaboração de diversas notícias artificiosas das quais destaco a mais hilariante e que passo a transcrever do “jn” on line:

- “A SAD do F. C. Porto apresentou as contas esta quinta-feira e está dentro do fair-play financeiro da UEFA, reduzindo o prejuízo para 28,4 milhões de euros

Os dragões anunciaram um prejuízo de 28,4 milhões de euros, acabando por melhorar os números apresentados no ano anterior que contabilizavam um prejuízo de 35,3 milhões. A sociedade, contudo, cumpre o acordo de fair-play financeiro estipulado pela UEFA. O anúncio foi feito por Fernando Gomes, administrador da área financeira da sociedade azul e branca.

"Este ano, as metas voltaram a ser cumpridas com alguma folga. O nosso acordo com a UEFA envolve quatro anos e este é o segundo ano. Apesar dos resultados não serem aqueles que desejaríamos, não é possível passar rapidamente para resultados positivos depois um ciclo muito negativo sem colocar a causa a competitividade das equipas de futebol", explicou Fernando Gomes.”

Oléééééééééééé!
Que grande faena!
E a morcanzoada a ver a banda a tocar e a assobiar para o ar!

Para confirmar esta autêntica bandalheira que é a comunicação social na Palermo portuguesa, vulgo Porto – Mourinho apelidou a cidade a preceito depois de temer pelo seu coiro – seguem as capas de ambos os pasquins de 9 de Outubro até ao dia de hoje.

(clicar)

(clicar)


Em resumo, os macacos conseguiram em parte os seus objectivos na comunicação social da urbe da fruta – omitir nas capas o descalabro das contas do seu grémio de coração lançando mais uma vez o ódio sobre o Glorioso, tentando por duas vezes, através de parangonas nas capas "jn" de 11 e 16 deste mês, transformar um bando de criminosos (bloggers) que divulgaram correspondência privada do Benfica em vítimas, e ludibriar completamente os incautos adeptos azuis e broncos que continuam a seguir cegamente toda aquela gentalha impune e sem vergonha.

GRÃO VASCO



11.10.18

Chungaria a norte e “moita carrasco”




Quando ontem veio a lume uma decisão dos tribunais, a norte – a condenação e multa de um procurador por más práticas e abuso de poder em benefício do grémio da fruta, vulgo fcp – tomada em Julho e só agora conhecida, alguma da comunicação social ainda fez eco dessa ocorrência. Outra parte, a norte, neste caso uma das várias chungarias jornalísticas, aí existentes, o “jn” (jornal de notícias, parece-me muito mais adequado dizer “jornal nojento”) continuou a falar de toupeiras e hoje, omitindo o facto que envolveu o procurador, vem ocupar 25% da sua capa com a notícia de que bloggers que cometeram o crime de divulgação de correspondência privada e confidencial do Sport Lisboa e Benfica “temem vingança dos adeptos do Benfica”.

Coitadinhos!...

A vingança, essa coisa tão tenebrosa e para a qual, hoje, esta folha jornalística vergonhosa tão zelosamente alerta, foi e continua a ser prática comum a norte, numa série infindável de casos, desde a sova que deixou Marinho Neves, há um bom par de anos, num estado lastimável até à recente super tareia ao vereador Bexiga no estacionamento da Alfândega do Porto.
É no mínimo curioso como é que agora o “jn” se manifesta tão preocupado em alertar para determinados perigos ou mesmo a “denunciá-los” preventivamente, enquanto que noutras situações é moita carrasco.

Óbviamente que os responsáveis deste miserável pasquim têm conhecimento de todas estas e outras tristes e criminosas ocorrências, mas como é habitual a norte, especialmente na cidade que é quase uma alma gémea das italianas Palermo e Nápoles, tudo o que envolva o grémio condenado no Apito Dourado é escondido e varrido para debaixo do tapete. No pasa nada.

Mas o que é mais chocante é que o director deste esgoto jornalístico – domingos andrade – continua a ser convidado, ou pelo menos foi-o até há bem pouco tempo, da RTP para dar uns palpites sobre temas diversos fazendo parelha com o bem conhecido joão fernando ramos, outro famigerado compagnon de route azul e branco, comemorou a bom comemorar o mais recente campeonato, junto de outros fanáticos do grémio da fruta e dos chocolatinhos, acompanhou o pardacento nuno saraiva no casamento do ex-mitómano de Alvalade e a sua linha editorial entre outras coisas destaca-se pela descarada cumplicidade protectora ao fcp e pelo feroz ataque ao Sport Lisboa e Benfica.


A promiscuidade é grande, muito grande. O lixo tóxico é diário e por consequência o descrédito é total numa publicação que já foi uma referência do jornalismo a nível nacional. Vejam-se as péssimas tiragens de cada edição.

Não é somente o correio da manhã e o grupo a que pertence – a cofina. A norte, o jn e ojogo, contribuem descaradamente com canalhices constantes, numa estratégia tácita concertada, sem escrúpulos, que visa derrubar a maior Instituição Nacional – o SLBenfica - mandando assim às malvas o que se resolveu chamar deontologia e ética jornalísticas.

E depois digam lá se isto, é ou não é pior que uma tourada e esta corja merece ou não ser lidada e bandarilhada com “música” a preceito?

GRÃO VASCO



10.10.18

“Não me apalpes o bujôunnn, ó lampiôunnn!”



Esta estória do grémio da fruta corrupção & putêdo, vulgo fcp, faz-me lembrar uma outra em que aquela mãe em plena praia do Canidêlo, numa querela passional entre duas morconas azuis e broncas, virando-se para a filha já com as mamas de fora, exclamou:
- Ó filha, chama-lhe puta antes que ela te chame a ti!

GRÃO VASCO



8.10.18

Uma nódoa ver(d)íssima, difícil de limpar



Já não é surpresa para ninguém, estes gestos serem a imagem de marca de um treinador medíocre, conflituoso e ordinário.

Se por acaso Rui Vitória tivesse alguma vez atitude semelhante para o público adversário, fôsse lá onde fôsse, lá viriam todas aquelas putas ofendidas do correio da manhã, do pasquim do bernardeco e da folha pôdre do papa-croquetes, mais as rameiras da ribeira de Palermo, d’o nojo e jn, da rtp3, da sic n, da tbi24 e da cmtv berrarem “aqui d’el rei!”, “abrenúncio!” que o ribatejano, treinador do Benfica, cometeu um crime de lesa-pátria!
Ténia laranja cortaria com os dentes o fio dental das suas cuecas “mayorga”, Serrão toupeira enfiaria as suas peúgas “chulé” na cabeçorra, Joana amoral-a-dias botaria as mamocas de fora em plena tv (querias!...), Nônô pinhoadas poria o sutiã ao pendurão a servir de pára-quedas, Freitas avejão "arriaria a giga" e com o seu cagueiro king size rebentaria o seu penico de porcelana da China com dois peidos monstruosos, Nando mentes snifaria leite em pó misturado com caril, em directo, Paolo frute, com a vela acesa, disfarçar-se-ia de chinês num Datsun 1200 e o Amaral morcão bacamarte de “regateira do Bulhôunnn” com a sua banca cheia de "fruta, café com leite, rebuçados e chocolatinhos" (o Esferovite, ontem, deu cabo deste gajo…), Calado poeta jogaria umas pevides ao ar, os três tristes trio de Octaviossaurus iriam a coxear, matar moscas e formigas para os urinóis da sua estação, tudo em sinal de indignação e protesto contra Rui Vitória. E por aí adiante…

Como foi aquela besta furibunda e ressaibiada por um zerinho sem discussão, é a reacção natural de um indignado!

Este casca grossa, obecadamente anti-Benfica, fica completamente transtornado quando perde. E mais destrambelhado fica quando esse clube é o seu ódio de estimação. Desta vez poupou o árbitro do encontro dizendo que não foi por causa dele que perderam, o que dá para concluir de uma forma hilariante que seria por causa dele se “por acaso” tivessem conseguido empatar ou mesmo ganhar. E a comunicação social logo veio com a ladaínha costumeira nestes casos – o rapazola respondeu às invectivas dos sócios do Benfica.

O que esta cambada vinda dos subúrbios e do submundo da Palermo portuguesa não contava, era que o Benfica, através dos seus jogadores, equipa técnica e seus adeptos dessem um exemplo tão categórico de afirmação e realismo como o de ontem. A forma como a trupe azul e bronca abordou o jogo ao longo da semana, a começar pelo guru das bufas agora armado em beato falso, “apelando hipocritamente à paz e à concórdia entre os povos”, indiciava que mais uma vez viriam à Mouraria mamar “passarinhos inocentes e amedrontados” no altar glorioso e sagrado. Puro engano, pois encontraram pela frente uma equipa de combatentes, com a cabeça no lugar, com um empenho, uma garra, uma vontade enorme de vencer o jogo. Mesmo com um deplorável juiz que tudo fez, na parte final do desafio para escamotear um triunfo construído à custa de muito trabalho, sacrifício e sagacidade.

Não há dúvida. A azia desta “nódoa” é incontrolável. Que seja sempre assim, pois assim a “RECONQUISTA” será uma realidade!

GRÃO VASCO



Nem assim!



Nada que todos nós não soubéssemos que pudesse acontecer a qualquer momento do desafio.
Este hábil manipulador que está com o cartão vermelho na sua mão esquerda elevando-o bem alto, mostrando-o arrogantemente ao defesa-central do Benfica, Lema, não resistiu mais uma vez à tentação de poder ajudar a alterar um resultado em prejuízo clarividente do Sport Lisboa e Benfica. Para mais a mais, sabendo de antemão que a equipa adversária que disputava este jogo na Luz é o maior concorrente dos Benfiquistas à conquista do campeonato nacional.

Veríssimo deu de bandeja ao grémio da fruta corrupção & putêdo mais de dez minutos de vantagem para que os seus jogadores tentassem chegar ao empate, iniciando a sua sanha tendenciosa com a expulsão do argentino e acabando com uma série de livres contra o Benfica, fazendo vista grossa a agressões e jogadas faltosas dos seus protegidos. Só faltou o penalty milagreiro que pudesse repôr aquilo que ele tanto deu a entender de uma forma inequívoca nos minutos finais do desafio.

Perante esta prestação grosseira e tendenciosa de um árbitro que é recorrente neste tipo de procedimentos quando o Benfica está a vencer e embalado para a liderança, deixo aqui bem expresso um voto de louvor àqueles “Bravos do Pelotão” que como ninguém, quiseram vencer este grande desafio, defendendo com denodo e com sacrifícios de diversa ordem, uma vantagem que tão bem Gabriel, Pizzi e por último Seferovic construíram.

Já noutra época - 08-05-2016, 33ª jornada do campeonato - e portanto, numa fase decisiva da prova, foi assim na Madeira no jogo com o Marítimo, em relação a Renato Sanches.
Dois amarelos e consequente vermelho. Com o resultado em 0-0, e com o rapaz debaixo de olho, ferra-lhe o 1º amarelo aos 28’ e zumba!, o 2º aos 37’ e o consequente vermelho. Benfica a jogar com menos um desde aí e durante toda a 2ª parte. O que valeu foi o Mitroglou aos 48’ e o Talisca aos 83’ acabarem com as pretensões deste Fábio Veríssimo, e foi outra vez a vontade imensa dos jogadores do Benfica em quererem vencer o jogo e quererem ser Campeões Nacionais.
Veríssimo ia com a “lição” bem estudada, pois era notório em jogos antecedentes que estava ali o grande motor do Benfica.


Fábio Veríssimo não presta. É tendencioso, manhoso e arrogante.
O Benfica e os Benfiquistas terão de tratar esta gajada como ela merece. A começar pelo Fontelas!

E ainda vem o “Capo das Bufas” dizer que “o futebol não pode ser uma guerra
Ele lá sabe porquê…
Mas ontem, na Luz, mesmo com a guerra surda que tem sido feita em prol do grémio da fruta, as contas saíram-lhe furadas, pois toda aquela corja azul e bronca da Palermo portuguesa presumia que o jogo seriam favas contadas.
Não tardará muito em vermos o beato falso a recomeçar com a acrimónia e com a guerrilha…
Tão certo como aquela atitude no final do jogo, em que o “taberneiro” do champanhe e do tinto, ainda no relvado e virando-se para os adeptos do Benfica lhes disse entre dentes e ressaibiado pela derrota que, “depois falamos…”.  

GRÃO VASCO



6.10.18

Supertaça de voleibol e azia



…Na época passada a pasquinada desportiva anti-Benfica e afecta ao lagartêdo - a miserável folha do papa-croquetes e o record dos bernardecos - apresentou no dia seguinte a uma roubalheira escandalosa que deu o título nacional de voleibol a uma equipa que nesse momento deveria estar a discutir a subida à 1ª divisão – manigâncias costumeiras permitiram a entrada trapaceira e directa nesse escalão – duas capas quase que idolatrando o lagartêdo por ter vencido uma competição que foi viciada à sua partida.
Então foi assim:

(clicar para ampliar)

Ontem, o Sport Lisboa e Benfica conquistou brilhantemente a supertaça de voleibol com um concludente 3-0, sem contestação possível apesar do lagartêdo se ter esfarrapado para contrariar uma supremacia visível desde o início do desafio e as capas de hoje dos mesmos pasquins foram estas:

(clicar para ampliar)
  
Mas não contentes em revelar azia a rodos nas edições em papel, nas páginas on line dos mesmos pasquins assistimos a este triste espectáculo:
 
Na folha pôdre do papa-croquetes on line, o realce vai para uma grande foto de um gajo que passa os jogos contra o Benfica – já no Sp. Espinho era assim e assim continua a ser - a discutir com os árbitros e a arranjar todo o tipo de artimanhas para vencer os jogos pela trapaça. O seu rancor e obsessão anti-Benfica é tal que o seu comportamento, para os mais atentos, enoja. Depois, numa das fotos logo ao lado que mostra José Jardim e Marcel Matz segurando a supertaça - metade da do pigmeu do voleibol idolatrado por algum lambe-botas da redacção do pasquim, por isso muito mais pequena - o título é “isto não pode acontecer”.
Mais uma canalhice encapotada, ou uma forma sub-reptícia de manifestar um desejo dos autores destas notícias. Eles não queriam mesmo que o Benfica vencesse a supertaça. Um sofisma, uma falácia que os Benfiquistas devem registar neste espaço on line e também em papel onde hoje abundam “pipas & quejandos” à fartazana…
A sensação que dá é que afinal foi o lagartêdo que levou a taça…
Ridículo, no mínimo!
  
(clicar para ampliar)


Mas não são só as imagens. Os textos que lhes estão adstritos mostram quanta filha-da-putice exite nestes espaços. Quantos e quantos anti-Benfiquistas lá chafurdam prestando-se a serviços nojentos no sentido de agradar a chefias reconhecidamente alargatadas e morconas? Uma autêntica vergonha numa comunicação social completamente prostituída e viciada pela inveja, pelo ódio, tentando de todas as formas apoucar a grandeza do Glorioso.
Já não compro um exemplar que seja destas duas nojeiras apasquinadas há mais de uma vintena de anos. Por mim estas corjas de escrevinhadores irão à falência. Sem contemplações!

Para complemento destas informações transcrevo-vos da notícia “Carga policial antes do sporting-Benfica” o seguinte texto:

“A origem do imbróglio deu-se junto à entrada de um dos topos do pavilhão quando adeptos com adereços do Benfica passaram das palavras aos atos e abriram as hostilidades com o arremesso de garrafas e outros objetos.
Perante os gritos de pânico de entusiastas do Sporting, a maioria crianças e mulheres, as forças policiais abriram carga.
A confusão sanou-se quase de imediato com a fuga e dispersão pelo bairro residencial anexo ao recinto desportivo."

Por Pedro Malacó


Ó malacó do caralho, então houve “adeptos com adereços do Benfica” e “entusiastas do sporting”?
Não são todos adeptos e simpatizantes dos dois clubes?
Porquê esta canalhice em relação aos epítetos diferenciados para uns e para outros?

…“entusiastas do Sporting, a maioria crianças e mulheres”
Ó malacó, minha azêmola, então só havia “extraterrestres” do Benfica?
Por acaso não reparaste que havia dezenas e dezenas de mulheres e crianças Benfiquistas, plenas de entusiasmo, muitas delas com o equipamento glorioso vestido, com cachecóis e agora sim, com outros adereços?

O que estiveste a fazer na Póvoa do Varzim? A “ver o mar” ou “à pesca do cagalhão à cana”?
Então e a carga policial foi de tal ordem que a confusão foi sanada quase de imediato? Como é que foi, hã?
Mas então os agentes policiais serão como o Lucky Luke, “mais rápidos que as próprias sombras”?
Ó malacó, meu bimbo, fecha mas é a loja e põe o teclado no prego!

A azia tem uns efeitos secundários do arco-da-velha, não é?
Pois olha, enfia pelas goelas abaixo umas valentes colheradas de bicarbonato de sódio que isso passa-te!

Bicarbonato de sódio também, para o hugo silva, um gajo que transforma o voleibol numa feira de habilidades destilando anti-benfiquismo que tresanda – vidé as suas façanhas como treinador da selecção lusa para conseguir que o lagartêdo entrasse de imediato para Divisão de Elite e as suas declarações após mais esta derrota perante o Benfica (só foi demérito da sua equipa, não viu o Benfica a jogar em cheio… e nem parabéns aos vencedores…) – para o “maia” pela razões invocadas supra e também para um despeitado por ter saído do Glorioso, um tal de “roberto reis”.

Para a sport tv, vai única e simplesmente uma bufa de desprezo pela parcialidade manifestada pelo menino e pela menina que comentaram o jogo. Um taralhouco e uma palhaça que não pararam de roer as unhas, esmifrando-se por completo para que o lagartêdo ganhasse o jogo.

Por enquanto todos eles vão continuar a fazer bicarbonato. As uvas das Vindimas de Lamego e as caldeiradas da Póvoa do Varzim foram na realidade demasiado indigestas para toda esta trupe – lagartêdoescrevinhadores e locutores a ele afectos.

* Já depois da publicação deste post os "artistas" d'A bola online, emendaram a mão e colocaram assim as fotos:




Esta gajada anda a abusar perigosamente do Benfica e dos Benfiquistas. Nestas redacções há, de certeza, uma guerra surda. Ganhará quem tiver mais força. Até agora e já de há muito, a vantagem está do lado do anti-Benfica.

GRÃO VASCO



5.10.18

SEM PERDÃO!



Uma das piores figuras públicas da história contemporânea lusa, que durante quase quarenta anos de uma vida privada e social libertina se dedicou no campo desportivo, especialmente no futebolístico, a uma guerra espúria, veio ontem dizer, arvorado em paladino da paz, em mais um dos seus discursos “irónicos e incendiários”, que “o futebol não pode ser uma guerra, tem de servir para unir o país”

A hipocrisia, a canalhice, a falsa beatice, a tentativa de dividir o país desportivo e não só, empunhando a falsa bandeira do norte, apelando continuamente a uma guerrilha sem escrúpulos contra o Benfica, contra o sul, contra os “mouros”, mencionando o estádio nacional do Jamor de “estádio do Oeiras”, dizendo no apogeu da sua bandalheira que “o Benfica não contava para o PIB”, etc., etc., etc., quer o quê agora?

Mais…

“Na verdade, estava a caminho das urgências, quando passei pela morgue e vi que lá estava grande parte do Benfica. Aí, melhorei e vim embora”…

Na verdade, este hipócrita das romagens a Fátima e do ludíbrio ao papa João Paulo II, mentor do anti-Benfica, um crápula da pior espécie, coroado como “um rei em Palermo” por uma matilha de morcões, símios e cães raivosos, que alimentou durante anos e anos a fio um ódio de morte ao Benfica bem patente na corja de bandidos que o acompanhou quando regressou ao país e foi detido para depôr na polícia judiciária após fuga comprometedora para o norte de Espanha resultado de um aviso prévio de um dos seus “compagnons de route”, vem agora querer o quê?

Um bandalho que premeia e entrega o prémio de funcionário do ano do grémio a que preside, a um criminoso que se deleitou a jorrar diatribes, manipulações, falsidades e a divulgar correspondência privada do Benfica, vem agora limpar-se da sabujice e trampolinice de dezenas de anos, invocando que "o futebol não pode ser uma guerra"?

Não tenho nem nunca terei a memória curta e para relembrar os mais incautos e esquecidos transcrevo uma notícia do jornal Público de 17/Dez-2001 e que revela o estado deplorável e promíscuo que se viveu (e que se continua a viver) naquela que Mourinho, apelidou um dia de “Palermo portuguesa”.

Esta é na realidade uma das muitas histórias de gangsterismo à laia da Chicago dos Anos 30 do século passado e protagonizada, sempre, pelas mesmas figuras pardas afectas ao grémio que ficou para sempre conhecido como o “grémio da fruta corrupção & putêdo”.

Para recordar:

Carolina Salgado, a ex-companheira de Pinto da Costa, confirmou hoje, no Tribunal de Gondomar, que o presidente do FC Porto foi avisado dos mandados de busca à sua casa e do mandado de detenção.

Carolina Salgado prestou declarações enquanto testemunha do Ministério Público no julgamento do processo cível que Pinto da Costa moveu contra o Estado e em que reclama uma indemnização de 50 mil euros por considerar ilegal a sua detenção, realizada no Tribunal de Gondomar em Dezembro de 2004, no âmbito do processo Apito Dourado.

Questionada pela procuradora do MP se tinha tido antecipadamente conhecimento da busca à casa da Madalena, em Gaia, Carolina Salgado respondeu que sim, sem hesitar.

"Tivemos conhecimento através do advogado Lourenço Pinto, um dia antes das buscas", afirmou, acrescentando que aquele advogado telefonou a Pinto da Costa de manhã para o convocar para uma "reunião com carácter de urgência".

Já ao almoço desse dia, que contou também com a presença de Reinaldo Teles e outros, Lourenço Pinto "disse que tinha conhecimento" de que havia uma busca iminente, adiantou Carolina Salgado.

A ex-companheira do presidente do FC Porto referiu que aquele almoço serviu para delinear a estratégia a seguir, sendo certo que o empresário António Araújo não teria conhecimento de nada para "despistar as autoridades".

Lembrou que a estratégia consistia em "elaborar um plano de fuga" dela e do seu companheiro de então para Espanha.

"Nós não podíamos ficar no país", disse, acrescentando que Lourenço Pinto tinha recebido a informação da busca e da detenção através de um inspector da Polícia Judiciária do Porto, cujo nome não se recordou.

A ex-companheira de Pinto da Costa revelou ainda que o advogado Lourenço Pinto tinha conhecimentos no Ministério Público e que o seu ex-companheiro teve acesso ao processo Apito Dourado.

"Até tivemos acesso ao processo Apito Dourado, com uma capinha amarela. Foi levado por Lourenço Pinto e transportado pelo motorista do Jorge Nuno", precisou Carolina Salgado.

O juiz perguntou-lhe, depois, se conhecia bem a dimensão do processo, que já conta com 150 volumes, e Carolina disse que "já era grandinho" na altura.


"Tive a certeza (de que se tratava do original) porque mo disseram" - afirmou - e "desfiz todas as minhas dúvidas", explicando que a ideia era ter acesso às declarações de António Araújo e, a partir daí, preparar o depoimento de Pinto da Costa.

Relativamente à fuga para Espanha, Carolina referiu que dormiram no Parador de Tui, depois de Pinto da Costa ter ido a casa "buscar alguns documentos que o pudessem comprometer e ter deixado inclusive o cofre aberto para poupar trabalho às autoridades".

No dia seguinte, adiantou, o advogado de Pinto da Costa, Gil Moreira dos Santos, foi lá ter com eles para que fosse delineado o regresso a Portugal, tendo aconselhado o líder portista a permanecer em Espanha.

O advogado, que confirmou a sua presença em Tui, salientou, porém, que tinha já efectuado contactos com o Tribunal de Gondomar antes de chegar a Espanha, momento que Carolina disse não se recordar.

Segundo Carolina, ela abandonou Espanha pela auto-estrada, enquanto Pinto da Costa lá permaneceu "até receber indicação do advogado".

Carolina Salgado afirmou ainda não se recordar que o advogado de Pinto da Costa tenha sido interceptado por forças policiais na ponte velha de Valença, afirmando que apenas tinha recebido a informação de que alguns agentes da PJ poderiam ter ido à casa de Cerveira.

Nesta sessão foi também ouvido o inspector-chefe da PJ António Gomes, que considerou estranho "nada" ter sido encontrado em casa de Pinto da Costa no dia da busca.

"Não se encontrou absolutamente nada, nem um papel de um banco", disse, acrescentando estar convencido de que "os visados estavam avisados da visita" da PJ.

No final da sessão, o advogado de Pinto da Costa, Gil Moreira dos Santos, disse desconhecer qualquer aviso prévio dos mandados, afirmando ter ideia de que Pinto da Costa esteve em Espanha para se encontrar com presidente da equipa do Corunha por causa de uma possível transferência do jogador Pepe.

Relativamente ao alegado conhecimento de Pinto da Costa e de outras pessoas do processo Apito Dourado, Gil Moreira dos Santos considerou que se o que foi dito em Tribunal corresponder à verdade é muito grave e deve ser investigado.

O juiz marcou a publicação da decisão da matéria de facto para quinta-feira, às 13h30, no tribunal de Gondomar.


Ele viu parte do Benfica na morgue do hospital, mas mais tarde ou mais cedo será ele que desaparecerá da face da Terra – ele sabe bem disso e que apesar de tudo, o Sport Lisboa e Benfica continuará forte, próspero e glorioso - e levará também a certeza de que nunca  conseguirá apagar da memória colectiva dos Benfiquistas a guerra suja que desencadeou e que causou e continua a causar estragos irreparáveis no futebol português, tentando agora apagar todo o seu passado tenebroso, de autêntico terror, com estas falinhas mansas de um “velho careca, rico” em modo de moribundo.


GRÃO VASCO


1.10.18

LFV arriou nos pulhas “geracionais”



“VOCÊS VÃO LEVAR COMIGO MUITOS ANOS!”

Lapidar!

Luís Filipe Vieira, Presidente do Sport Lisboa e Benfica não esteve com meias medidas e arriou forte e grosso na carneirada de pulhas que dentro do Clube faz muito pior do que todo anti-Benfica junto!

Os Benfiquistas não podem deixar que um bando de sevandijas sob uma capa hipócrita que apela à democracia, à liberdade e a outros valores e princípios que não respeita nem pratica, atinja os seus objectivos – subverter e sabotar o Clube.

A pandilha, ressaibiada e despeitada pela inapelável derrota na assembleia geral, teve a resposta que mereceu. Depois e durante o dia de hoje lá vieram os shadows, biriatos, moléculas, ontem vi-te, eusébios+10 & quejandos do costume, armarem-se em virgens ofendidas clamando “aqui d’el rei” que Luís Filipe Vieira é indigno do cargo que ocupa porque não tinha nada que dizer aquilo que disse.
Coitadinhos!
Claro que este bando de filhos-da-puta que tem andado há anos e anos a conspirar contra o Presidente - e contra diversos dirigentes do Benfica - a denegrir a sua pessoa, a apoucar a sua gestão, a dizer mal de tudo e de todos, teve o que mereceu. Uma frase que os fez estrebuchar mais uma vez. Pena que não tenham ido todos pelo cano abaixo e fazer companhia às ratazanas submundanas dos esgotos do Colombo!

Na realidade, o Presidente não é o Benfica. Por isso é que ele teve “só” 78,2% na aprovação das contas.
O Benfica democrático é isso mesmo. Aprovação 78,9%, contra 12,7% e 8,4% de abstenções.

RESPECT!
Já dizia o Luisão…

GRÃO VASCO



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...