21.1.13

Abaixo de cão





Há “organizações”, em que a troco de algumas migalhas, por subserviência e múltiplas cumplicidades, pequenos caciques estão incumbidos do trabalho sujo que há para fazer.

Ainda hoje assim é nas províncias italianas da Sicília, da Calábria, e em famosas cidades do mundo, como foi a Chicago de Al Capone.

Por norma, o tratamento que é dado a esses colaboradores menores, autênticos mandaretes instruídos para qualquer “trabalhinho”, quer pelos seus patrões quer pelos adversários é o que se designa por  “abaixo de cão”. E quando já não servirem atiram-se para uma valeta cheia de lama e por lá ficarão…


Ocorreu-me este irrefutável dado histórico, quando ontem, o presidente dos brácaros, Salvador, em mais um arremedo de cobardia começou a atiçar a fogueira para sábado.


 


Bolçou ódio e vomitou a porcaria habitual, porque a outra, a porcaria que ele conhece bem e é do seu tempo – fruta para dormir, chocolatinhos e café com leite “à araújo”, viagens ao Brasil, quinhentinhos, bufas de camarote e muito mais – fica bem guardadinha, naquele “código do silêncio” que todos tão bem conhecemos e faz parte dos segredos do patrão.


 


Salvador, nascido em 1970, tem uma memória prodigiosa. Lembra-se de Calabote na década de 50, mas sofre de amnésia profunda, não se lembrando do seu presente e das façanhas em prol da sua pandilha, protagonizadas por Artur Soares Dias, Carlos Xistra, Pedro Proença, Jorge Sousa ou Olegário Benquerença.


 


Fosse eu Calabote, ou mesmo um familiar dele e a garantia que um lacaio desta estirpe teria por falar gratuita e levianamente sobre o que não sabe e nem conhece, era sempre a de que o seu pêlo um dia, mais cedo ou mais tarde seria tratado de forma adequada.


 


Calabote morreu estigmatizado por algo que foi forjado e que não corresponde à verdade. E esta corja que invoca malèvolamente o nome dele, sempre que convém atacar o Benfica, há-de saber que um dos mentores desta mentira da história, foi um filho-da-puta de um canalha fanático do fruta, corrupção & putêdo, que usava boné, mas cuja alcunha era “cartola”…


 


Bandalhos!


 


GRÃO VASCO
 


3 comentários:

V. Branco disse...

Para este nojento a contagem dos 10 anos deve ter parado há semanas, já que se "esqueceu" dos jogos com porto e sporting - a expulsão e patética sim, mas que dizer do golo anulado ao alan ou os penalties não marcados contra o porto? Ah é simples: nada, toca a meter a viola no saco que bater é só no Benfica!
Vê-se quem está com receios, anda tudo desesperado...

Soares Kafe disse...

O António Salvador não deve ser ignorante, sabe bem o que se passou no jogo do Braga e deve conhecer bem a história do calabote, mas vamos por partes :
1 – O Vinicius fez um bloqueio intencional ao jogador do Setúbal, que iria ficar isolado perante o guarda-redes do braguinha (os outros dois defesas do braga ainda estavam afastados). As regras (as do futebol moderno e credível) dizem um e só coisa, que é falta e que deve ser mostrado vermelho.

2 – O Duarte Gomes (o tal que desconhece que a regra do fora de jogo também se aplica a equipas do sistema) deixou passar me claro uma agressão clara do Leandro Salino, que devia ter sido expulso

3 – O António Salvador e o Mesquita Machado tem feito pressão e criticado as arbitragens dos jogos contra o Benfica, mas tem se “esquecido” intencionalmente de criticar as arbitragens contra as equipas do sistema em que o “braguinha” é prejudicado (nesses em que tem muitas razões de queixa, o António salvador e o comparsa mesquita machado baixam as calças, dobram-se e sorriem)

4 – Devia ser feito um filme sobre a história do calabote e exibido em todos os jogos em que as equipas do sistema participam, pois sobre essa história apenas existem os relatos da imprensa desportiva, ficha do jogo e o protesto feito pelo Benfica pelo facto do jogo ter estado interrompido varias vezes pela necessidade exagerada de assistência aos jogadores da equipa adversaria e do arbitro não ter dado o tempo de desconto correspondente ao tempo perdido.

5- Ao falar de futebol moderno e credível, o lacaio sabe bem o que esta a falar, pois o clube corrupto do qual é submisso ao longo da sua história tem praticado tudo menos um futebol moderno e credível. Deve fazer parte da história do futebol e ser repetido as vezes necessárias para que não caia no esquecimento dos adeptos do futebol, como é que alguns clubes não desceram de divisão, como é que alguns clubes dominaram a arbitragem para conquistaram competições, como é que alguns clubes manipulam a federação, a liga e o concelho de arbitragem, como é que alguns clubes construíram uma teia de influencias que envolve empresários, dirigentes, jogadores, árbitros e comunicação social.

Afinal o António salvador não deve ser nada ignorante, pois deve conhecer bem todos estes factos, pois ele próprio faz parte deste sistema de corrupção que domina o futebol Português e que ele tem utilizado para se promover. Ele não é nada ingénuo é apenas mais um mentiroso.

Anónimo disse...

Ate o Godinho Flops lhe deu baile a este cretino..saiu do museu com o rabo entre as pernas,e se fosse ao museu da Academica saia de la igual

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...