4.12.19

Medíocres levados ao colo



Após os desastres arbitrais de sábado na Luz, de na 2ª feira no antro dos bandoleiros do Freixo e de ontem na Covilhã, podemos tirar uma conclusão clara – o SL Benfica terá de jogar sempre muito mais do que o seu inimigo directo para atingir o final do campeonato em 1º lugar e ganhar quaisquer dos outros troféus indígenas em disputa.

As nomeações de Fontelas Gomes para os jogos do SL Benfica continuam a ser reles provocações e abusos descarados de quem sabe colocar muito bem os piores escolhos no caminho do Glorioso de Portugal. E os escolhos são na realidade os piões de brega nomeados para esses jogos por poderem oferecer as maiores garantias em atrapalhar e dificultar a vida dentro do campo e fora dele aos jogadores Benfiquistas.
O primeiro exemplo dessas vergonhas são as expulsões e prestações de fábio ver(d)íssimo que têm sido de bradar aos céus (vide a de Renato Sanches na Madeira, contra o Marítimo em 2015/16, de Lema na Luz no jogo da época passada contra o grémio corrupto, vulgo fcp e agora a de Gabriel, curiosamente contra o Marítimo de novo). Outros, não recorrendo às expulsões têm utilizado os truques habituais de quem anda nestas lides há muitas épocas – Artures a Dias, Sousas, Miguéis, Xistras. E por fim, os “debutantes” tipo Manuéis Oliveiras, Ruis Oliveiras e quejandos…

Um despautério contra o SL Benfica, que simpatizantes, adeptos e sócios têm o dever de denunciar sempre.

É do conhecimento geral, especialmente de quem está atento ao mundo do futebol, que na corporação arbitral, todos ou quase todos os seus elementos se encobrem uns aos outros. Até o Rola da BTV que pelo seu corporativismo pateta, incorre muitas vezes num absurdo ridículo dando “notas” aos seus “colegas” que são disparates completos. Fontelas Gomes, inclusive, tem os seus afilhados que já promoveu a internacionais FIFA, sem que tenham demonstrado competências para o desempenho dessas funções, constituindo por si só autênticas aberrações arbitrais – fábio ver(d)íssimo e tiago martins são por enquanto a ponta de um icebergue cuja parte não visível alberga verdadeiros terrores, muitos deles ligados umbilicalmente ao grémio da fruta, vulgo fcp. Eles têm vindo a emergir sorrateiramente nos jogos da Liga, da Taça da mesma e da Taça de Portugal, como é o caso de manuel de oliveira e rui oliveira. É a associação de futebol do Porto e o seu sector da arbitragem “trabalhando” a todo o vapor na pessoa do último abencerragem, hoje um fóssil vivo (lourenço pinto), nas habituais manobras escuras de bastidores, ou não tivesse sido ele a Alma Parda na Era do Apito Dourado e o herdeiro de adriano pinto, “o mago dos chitos”…
Todos estes apitadeiros têm sido nas competições internas autênticos desastres. Muito particularmente quando apitam os jogos onde intervém o SL Benfica.

Será por isto que Fontelas Gomes os promove?
Pelo andar da carruagem, aposto que sim!

Árbitros medíocres com um actual presidente do conselho de arbitragem mais parecendo um títere ao serviço do fruta, corrupção & putêdo, vulgo fcp.

No topo destes miseráveis comportamentos arbitrais e sobre o incorrigível beneplácito de Fontelas Gomes, está, como é aqui mencionado, fábio ver(d)íssimo, quer como árbitro principal, quer como VAR. Um fulano que em cada jogo do Benfica em que passa e apita, desacredita e enxovalha a função arbitral que deveria, pela sua natureza ser acima de tudo um acto de intocável competência e isenção.
Senão fixemo-nos das façanhas deste “habilidoso” do apito, 13º classificado na época 2018/2019…


Passemos ao próximo…
Rui Oliveira apitou ontem o Sp. Covilhã-SLBenfica e mostrou durante todo o desafio ao que ia. Uma encomenda muito especial…

De referir, antes do mais, que este apitadeiro medíocre e manhoso foi aquele que na época passada no fcp-Feirense decidiu com a conivência do VAR, vasco santos (olha logo que peça!...) validar ao grémio da fruta um golo que tinha anulado e bem por fora-de-jogo, numa primeira decisão. Um erro crasso mas que mostra a subserviência desta gentalha do apito ao poder corrupto instalado Palermo portuguesa.
Tudo mancomunado com as entidades futeboleiras do Porto!
Uma vergonha, um descaramento totais!

Ontem assobiou para o lado no derrube a Raúl de Tomás pelo guarda-redes covilhanense dentro da sua área, “esquecendo-se” de marcar um penalty evidente, manobrou o desafio de acordo com os seus interesses e culminou a sua actuação evitando marcar uma falta perigosa próxima da área do grémio da Covilhã contra este, transformando-a num livre a seu favor já no derradeiro momento da partida e quando se verificava um intenso sufoco por parte do SL Benfica na procura do golo da vitória. É nestes pormenores, nestes lances, que se demonstra a falta de isenção e a intenção clara de prejudicar o Glorioso seja de que maneira fôr, pois ainda poderia acontecer nessa jogada esse tão importante golo. Assim e como tem sido habitual, RO lá atrapalhou o que pôde e o que não pôde, dando o seu inestimável contributo para o Benfica sair desta competição ainda na fase de grupos.

É este tipo de apitadeiros que têm conseguido manter “vivos” os inimigos do Benfica, pois em condições de isenção e honestidade arbitrais, o Glorioso já estaria bem distanciado de todos eles.

Há que pôr termo a esta bandalheira, a esta farsa para a qual grande parte da própria CS tem contribuído.
É urgente travar esta vilanagem!

GRÃO VASCO




Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...