10.3.20

Os truques sujos da quadrilha de Palermo do Douro




“Presos por ter cão, presos por não ter!”

É assim o actual estado arbitral de Artur Soares Dias e Vasco Santos, dois dos mais importantes sustentáculos da corja corrupta de Palermo do Douro, vulgo fruta corrupção & putêdo neste campeonato e noutros anteriores!

Subscrevo integralmente as palavras de “Eusebius” no post de hoje no seu blogue “O Templo Sagrado”.

ASD e VS foram alvos de uma infame devassa, de uma ignomínia sem limites, vilipendidados até à exaustão.

Os labregos de Palermo do Douro sempre habituados de há 40 anos até hoje às vitórias corruptas, fazem de “roubar, roubar” o seu principal lema. Se, porventura isso não acontece a seu favor, outras palavras de ordem se sobrepõem – traulitada, coacção e “bluff”!

A “senha” foi logo passada em diversas TV’s por um perigoso bacamarte no canal do Chico Chen e pelo trauliteiro do costume na SIC N.
Desde “roubos” à “prisão” dos ditos apitadeiros, valeu tudo!
Foi um fartar vilanagem!

Desde domingo, após a barracada no antro corrupto, em que não conseguiram ir além de um empate a uma bola, desesperados por não terem conseguido empurrar o Glorioso de Portugal mais para baixo, atiram-se à equipa de arbitragem – árbitro e VAR - como se fossem eles os responsáveis pelo resultado final.

No entanto, a palavra gratidão não existe no seu vocabulário. São factuais os benefícios que tem usufruído nos seus jogos em que ASD arbitra – já lhes ofereceu em bandeja de ouro um campeonato, evitando marcar na Luz um penalty sobre Zivckovic a favor do Benfica. Os escândalos têm sido muitos, e os mais recentes envolveram as agressões de Marega e Pepe a Taarabt em que ASD assobiou para o ar e o penalty fantasma marcado a Ferro, sendo assim cúmplice num autêntico assalto ao Benfica.
Quanto a VS, a bandalheira é tanta - com a conivência de Fontelas Gomes - que este títere telecomandado já foi nesta época, sete vezes VAR em jogos do grémio da fruta, com escândalos sobre escândalos, cuja cereja no topo do bolo foi o penalty fantasma assinalado em Portimão a favor da trupe de Palermo do Douro.

Depois de todo o triste espectáculo dado pela quadrilha de Palermo do Douro desde domingo na execrável comunicação social indígena, aguardo com alguma expectativa a reacção de ASD e VS – este último a constatar, inclusive, o cerco ameaçador feito pelas milícias simiescas azuis e broncas à sua casa, nos arredores do Porto.

Curiosamente, não observámos os prostitutos habituais ganirem em defesa de ASD e VS, nem nenhum jagunço de Palermo do Douro a solicitar árbitros estrangeiros.
Porquê?
Porque o que a corja corrupta quer, é que ASD, VS e mais alguns, nos quais se incluem Jorge Sousa, Carlos Xistra, Manuel Oliveira e Rui Oliveira continuem a ser nomeados para os seus jogos, sendo estes, assim, previamente condicionados no sentido de prejudicarem os seus adversários e assim somarem os pontos necessários para serem campeões.
O desespero em Palermo do Douro é tanto, que a corja deita mão a tudo o que possa beneficiá-la – o “bluff” sobre a prestação de ASD e VS é o culminar de tanta vigarice e tanta falta de verdade desportiva, já para não falar na autêntica arruaça protagonizada pelo bovino do Jamor, um vergonhoso hipócrita.

É urgente denunciar estas manigâncias azuis e broncas e sensibilizar muitos Benfiquistas incautos de que não é só a baixa de forma da equipa do Glorioso que está em causa. O cerne da questão, e porque o grémio da fruta não justifica de modo algum a liderança pelas suas insuficientes e inconstantes prestações desde o início da época, são as manobras de Palermo do Douro para que a mafia da fruta continue a vencer.

Há que estarmos atentos e nunca baixar a guarda, apoiando em uníssono a nossa equipa, os nossos atletas.
Só eles serão capazes de chegar ao topo e dar-nos a alegria que todos merecemos!

GRÃO VASCO



1 comentário:

Mário disse...

Não esquecer a atuação do pasteleiro no campeonato do Estorilgate para além do penalty com o Benfica. De memória:
- ainda nesse jogo: liberdade total para o "range dentes"Oliveira malhar a preceito; livres laterais "a ver se dá". Deu. O golo dos corruptos surgiu de um livre lateral inexistente;
- perdão de 3 penalties ao Maxi Pereira em Chaves;
- memorável a rábula do penalty perdoado ao Dalot no jogo com o Sporting. Depois de fingir ter ido ao Var "Se marcasse penalty estaria tramado pela Uefa" (mais ou menos assim).

Esta época é o líder, e exemplo para todos, das barreiras com perna curta em livres a favor do Benfica e com perna longa em livres contra (para quando o capitão do Benfica chama a atenção dos árbitros?).

Finalmente, esta rábula do "Pasteleiro nunca mais" é a reedição do que se passou em janeiro de 2014. PQP.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...