21.4.11

Jesus através dos tempos...

 Esta imagem não pode voltar a acontecer, muito menos no estádio da Luz


Como treinador do Benfica, Jorge Jesus tem tido ao longo destes meses uma evolução estranha de avanços e recuos, no seu comportamento, com uma influência directa na forma de estar da equipa e na prestação dos próprios jogadores.
Não vou fazer considerandos técnico-tácticos, nem sequer contestar ou apoiar as opções feitas ao longo da época e em especial nos jogos decisivos. São campos que dão azo a discussões intermináveis e estéreis, como é o caso dos defensores do sistema X criticarem os do Y e vice verso, ou dissecarem a colocação do jogador A em detrimento do B. Se acontece a vitória, pouco se fala nestas coisas, se a derrota chega, por vezes humilhante e muito amarga, aqui d’el Rei que está tudo num caos e lá vêm os pedidos da cabeça do treinador, da do director, da do massagista e da do presidente, contestando-se tudo e todos.

O início desta época foi muito atribulado. Começaram bem cedo os escolhos de um caminho que até à presente data tem sido fértil em desilusões. E a primeira situação teve exactamente como protagonista Jorge Jesus. O assédio de que foi alvo por parte do maior inimigo do Benfica – o incendiário-mór da Palermo portuguesa - numa clara tentativa de desestabilização, resultou em pleno. Jesus foi claramente afectado por essa situação e obrigou LFV e òbviamente o Benfica a reverem a sua situação contratual, tendo como consequência imediata um aumento assustador e exponencial o seu salário mensal.
Quando chegou ao Benfica, no ano anteriror, disse alto e bom som que a sua equipa teria de jogar o dobro do que jogava. Muito bem!
Ora, este ano, o esforço financeiro que o Benfica fez para evitar a sua fuga para o grémio corrupto deveria ter sido compensado, pelo menos, com uma postura que equivalesse ao dobro daquilo que Jesus se propôs fazer na primeira época.
Não foi assim!

Um outro aspecto da sua gestão da equipa do Benfica é a escolha dos jogadores. O Benfica tem desbaratado milhões de euros em jogadores e nem os vemos evoluir sequer. Jesus colocou na equipa principal dois novos elementos. Um, foi alvo de uma pressão imensa e tem sido o bombo da festa dos media que não lhe perdoam uma única gaffe – Roberto – o outro, tem dado muito boa resposta – Gaitán. O resto, foram a revelação de Salvio, já as competições decorriam a bom ritmo e Jara que tem jogado a espaços. A rotatividade tem sido diminuta e temos, tal como na época passada muitos jogadores presos por arames.

No entanto, tudo isto se esquece se a equipa ganha. O que não tem acontecido especialmente, com os INIMIGOS – os corruptos e os brácaros.
Aqui Jesus tem baqueado. Sempre que é preciso a vitória nas grandes e decisivas batalhas, a equipa tem soçobrado!
Primeiro surge a apreensão, depois o medo e por fim o desnorte é de tal ordem que afecta até o mais cerebral dos jogadores.
É a FORÇA MENTAL! Essa força que é fundamental incutir nos jogadores e que parte obrigatòriamente de quem lidera. É com esta força que os jogadores se transcendem e mudam, em qualquer momento, o rumo dos acontecimentos.

Como já referi, deixo as análises de táctica para os experts.

O que me incomoda em Jorge Jesus, e sempre me incomodou, é o seu comportamento reactivo ou passivo, perante factos e situações que têm prejudicado o Benfica, já para não falar das suas declarações proféticas.

Creio, sinceramente que os responsáveis pela gestão da sua imagem estejam pouco ou nada preocupados em que ele seja ou continue a ser treinador do Benfica. Ou mesmo que ele seja identificado com o Benfica.
Um distanciamento visível a 300 km, no mínimo, será sempre bom para futuros rumos…
E isso tem acontecido. Só não vê quem não quer.

Como exemplos, e para os que têm memória curta, lembro-me bem dele como treinador dos brácaros, todo abespinhado, por tudo e por nada, quando defrontava o Benfica, dizendo cobras e lagartos das arbitragens e enfiando sempre que podia umas grosseiras alfinetadas no Glorioso.

E hoje, o que vemos?

Vemos uma atitude conformista, quer nas agressões de que tem sido alvo no recinto do clube condenado por corrupção, quer no gozo que tem levado de um garotelho azul corrupto, quer nos roubos escandalosos que têm acontecido ao longo da época.
Mesmo agora, e independentemente da fraca prestação da equipa na Luz, vimos alguma referência ao off side que mudou completamente a eliminatória?

Não! Ninguém viu. Antes pelo contrário. Acabrunhado, embrulhou o melhor que pode a eliminação, balbuciou alguns comentários concordantes com a superioridade adversária e nem uma referência firme e clara ao lance que o “arrumou”. Nem ao apitadeiro, nem ao fiscal-de-linha.
Tem sido sempre assim. Um falhanço total em matéria de comunicação, com uma estratégia titubeante, pouco consistente, transmitindo uma mensagem dúbia e em muitos casos terrìvelmente pífia. Uma lacuna que me deixa dúvidas imensas quanto à sua capacidade e à sua força mental.

Não posso deixar de comparar estes comportamentos, com aquele, por exemplo, quando se encontrava em Braga e veio jogar à Luz, em que numa jogada em que o off side foi milimétrico, mas de sinal contrário e que deu a vitória ao Benfica.
Recordo-me do alarido que fez após o jogo e durante a semana, só faltando pedir ao sacristão da Sé de Braga que os sinos repicassem de manhã à noite.

Sinceramente, é este comportamento que eu não consigo entender em Jorge Jesus. Melhor, nunca entendi!

Vem aí a Europa League e quer Jesus se expresse deficientemente ou não, quer faça algum mind game à Lagardère ou não, quer se encolha ou diga mais disparates, quer utilize verborreia de analfabeto ou dialéctica de catedrático, quer implemente a táctica do losango ou do trapézio, faça o que fizer, só tem um corredor para passar – a rota que liga Lisboa a Dublin!

Mainada!


GRÃO VASCO

8 comentários:

Manuel disse...

O JJ preparava-se precisamente para fazer uma substituição quando aconteceu o 2º golo, que não devia ter acontecido, pois é um flagrante off-side. Eu tinha avisado que o segredo do jogo era o fiscal, Luis Tavares, um andrade de Portalegre, o tal que não viu o golo do Petit 1 metro dentro da baliza. Na altura certa, estes corruptos aparecem.

Anónimo disse...

enquanto eles preparavam bem este jogo,o nosso lider andava pelo brasil a ver o rui costa ser injustamente castigado,e fez falta ontem no banco?? fez pois claro. PARA MIM JJ É UMA SOLUÇÃO,E NAO 1 PROBLEMA!! SERA QUE MAIS NINGUEM VE ISTO?? VAMOS DESPEDIR O GAJO E MANDAR VIR QUEM?? MAIS 1 QUALQUER PARA O CEMITERIO DE LUIS FELIPE VIEIRA? SAO 10 ANOS MEUS AMIGOS,10 ANOS,E OS RESULTADOS ESTAO A VISTA,ELE JA TEVE TREINADORES QUE DURARAM MESES POR CAUSA DE RESULTADOS,ENTAO E ELE??

NOS BENFIQUISTAS TEMOS QUE SER MAIS EXIGENTES..MUITO MUITO MAIS.SOMOS 1 CLUBE MUITO GRANDE E NAO FALTA QUEM QUEIRA LIDERAR ESTA GRANDE INSTITUIÇÃO,ESTAMOS AGARRADOS A ESTE LFV QUE SO FAZ MERDA ATRAS DE MERDA. EXIGENCIA MAXIMA!!!! OU GANHA A LIGA EUROPA OU ELEIÇOES ANTECIPADAS IMEDIATAMENTE!ps: jj é uma soluçao e nao 1 problema!

Anónimo disse...

ASSINO POR BAIXO

CARO GRÃO VASCO


O HOMEM ESTÁ GASTO

E CONDUZIU-SE SEMPRE DE MODO

A NÃO FECHAR PORTAS NOUTROS

LADOS.


ESTÁ AQUI QUEM APOSTA DOBRADO

CONTRA SINGELO EM COMO O HOMEM

NOUTROS CLUBES BERRAVA, SALTAVA

RECLAMAVA DE ARBITROS E TRINTA

POR UMA LINHA


NO BENFICA CALA-SE


LOGO, AQUI À DISTÂNCIA NOS PARECE

QUE NÃO MANDA NADA NO BALNEÁRIO


BENFIQUISTA DO CORAÇÃO

Helder disse...

Faz falta a união em torno de uma coisa: A VITÓRIA.
Temos de ganhar, temos de trabalhar para ganhar!
TRABALHO, TRABALHO E MAIS TRABALHO!
Dizer não ao conformismo e querer ganhar é o que temos de fazer!
Faz falta trabalhar em prol de um bem maior: o clube é o adepto, é mais que a soma dos 65000 lugares do estádio, os pavilhões, os milhões de € que se movimentam. O clube é o adepto que chora, que ri, que trabalha em humildade para fazer desse esforço o "seu clube".
O clube é o sentimento que nos une, o sentimento de ser e pertencer a algo maior. O clube é o fruto do nosso AMOR a uma causa - é essa causa que dá origem ao SLB!
Ontem como hoje é a nossa UNIÃO que faz o SLBENFICA.
(como gostaria que estas palavras ecoassem por todos os BENFIQUISTAS nesta hora - se nos unirmos o SLB voltará a ser o "GLORIOSO".)

GRÃO VASCO disse...

Anónimo,

O treinador do Benfica tem uma faceta curiosa. Às vezes faz parte da solução, outras vezes do problema.

Importa, sobretudo que JJ corrija o mais depressa possível as falhas que tem tido este ano. Isso, sim. Isso é que importa.

LFV tem toda a legitimidade de continuar o seu mandato até novas eleições.

Não rebateste nenhuma das situações que descrevi. É muito difícil defender algo que é indefensável. Há alguma coisa que mencionei que não é verdade?

Vê lá se te acalmas e vês as coisas a frio!

Viva o Benfica!

Anónimo disse...

podes criticar a vontade,eu so gostava que criticases tambem quem merecem, o jj é algum lider?nao,ele esta la para treinar,liders tem que ser ou o rui costa,ou o presidente,esse nunca te vejo a criticar,tens que fazer um reflexo e 1 balanço das coisas,ver o excelente trabalho que ele fez e ver as merdas que ele fez,que sao muitas,como podes criticar tanto 1 treinador porque toma 1 opçao que corre mal e nao criticas 1 presidente que em 10 anos teve quantos treinadores?quantos fracassos? vendemos o david luiz em dezembro, para que? para gastar o dinheiro em rodrigos e bruno cesares? estas coisas tambem tem que ser criticadas e repito,o benfica é 1 clube muito grande e nao vai ser por causa de 1 presidente que vamos morrer,ele ja fez o que tinha a fazer esta na hora de dar um novo rumo ao benfica,mais engraçado disto tudo e que se tivesemos ganho ontem secalhar eu nao estaria aqui a dizer isto,secalhar se tivesemos ganho o campeonato tambem nao,mas a verdade é que como nao ganhamos nada disso.aqui estou eu

águia_livre disse...

Assino por baixo este magnifico texto.
Não poderia estar mais de acordo

Saudações benfiquistas

GRÃO VASCO disse...

Anónimo,

Se não te importasses, sugeria-te que escolhesses um nick name para ti e assinasses os teus comentários com esse nick. É uma sugestão de Benfiquista para Benfiquista.
´
Agora, em relação àquilo que te incomoda tanto, dir-te-ei que um grupo de trabalho tem um só líder, esse líder numa equipa de futebol é o treinador principal. Neste caso da equipa do Benfica é o Jorge Jesus. Na estrutura do futebol é assim o organigrama quer tu queiras quer não. As minhas referências ao JJ são construtivas e por isso aconselho-te a reler bem o que escrevi. Quanto ao LFV não penses que sou um seguidista. Não, não sou. E já aqui tive oportunidade de mencionar alguns aspectos que ele necessàriamente terá de corrigir também sob pena de perder as próximas eleições. A acção de LFV é muito mais abrangente e a sua liderança reafirmou-se e consolidou-se. Só um pequeno grupo de Benfiquistas o contesta e como é óbvio há que respeitar as minorias.

Mas agora, caro anónimo, o estado de espírito, a motivação, a FORÇA MENTAL de um grupo de trabalho é o reflexo do estado de espírito e da capacidade de liderança de quem o comanda. Tudo o resto é treta!
Saudações gloriosas!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...