27.8.11

O "marisco" não chegou ao Mónaco


Como nota introdutória deste post, começo por dar conhecimento de um episódio ocorrido à saída do estádio Louis II entre um catalão eufórico e um andrade corrupto.
O morcão da ribeira, agastado com a derrota, virou-se para o adepto “culé” gesticulando com a mão, querendo dar a entender que tinha havido rapinanço. Conhecedor daquela raça corrupta e mafiosa, o catalão perguntou-lhe:
- Foste tu que pediste dois “penaltys amariscados” do Abidal e do David Villa? Joguem mas é à bola e deixem de comprar títulos nos supermercados!


A excursão dos “pidás” lá abalou, cheia de fé no Senhor de Matosinhos. As oferendas – camarão gigante, lagosta, santolas, lavagantes e diversos moluscos “à Bolhão Pato” – estranhamente, ficaram por cá.
Zarolhos, pernetas e trauliteiros exportados da Palermo portuguesa, chegaram ao relvado monegasco Louis II. Viram a banda passar e …perderam. Sem espinhas!

Mesmo com muito cheiro a marisco de Matosinhos durante bastante tempo, especialmente vindo das linhas laterais, dos fiscais-de-linha, que tiraram uma mão cheia de off-sides imaginários ao David Villa, o bando excursionista dos morcões corruptos da ribeira de Palermo, deixou bem vincada nesta estância do jet-set mundial, através de dois cartões vermelhos – um directo - a habitual imagem caceteira e arruaceira, quando os apitadeiros não lhes conseguem resolver os seus problemas.

Por outro lado, baba e ranho nas TV’s.
Penaltys amariscados, reclamados aos quilos. Azar! Naquele supermercado monegasco não há disso.
- Aqui d’el rei, que fomos roubados! – guinchava a turba e não só.
Na RTP N, Ilídio Vale, Secretário (um dos implicados no célebre “caso Paula”) e Hugo Gilberto, e depois, aquele espertalhufo de pacotilha de nome Miguel Guedes ao qual se juntou Bruno Prata, estranhamente irreconhecível (ou não?) no seu sectarismo e fanatismo de outros tempos - o que me admira - após o jogo, protagonizaram as cenas mais ridículas e cómicas do princípio da noite.
Estratègicamente, esta estação vergonhosa e fanática, que através de uma série de descarados colaboradores já mete nojo pela forma como protege aquele bando do Fruta, Corrupção e Putêdo, vulgo, fcp, logo no final do jogo, virou as agulhas para a vitimização, esquecendo-se da timorata prestação e frouxa exibição que a agremiação equipada com tecido às riscas azuis e brancas das barracas da praia do Cabedelo e afins acabou por realizar.

Esta é a táctica habitual, com uma choradeira e um chinfrim comparáveis, entre outros episódios, à derrota na final de uma Taça das Taças contra a Juventus, só faltando agora, uma qualquer associação de morcões corruptos mandar fazer também uma réplica (de preferência dourada como o apito...) desta Supertaça para entregarem ao grémio, na pessoa de quem orientou e mandou muita fruta e envelopes recheados a árbitros, como por exemplo, para aquele que seguiu sempre em frente, sempre em frente…até à casa iluminada da Madalena.

O que eu me ri. O jogo fez-me lembrar o “baile” das debutantes no Casino de Monte Carlo, com alguns palhaços a fazerem as tristes cenas de sempre.
Que grande gargalhada o nosso Povo deu, do Minho ao Algarve até às Ilhas, exceptuando o célebre engenheiro nacional ilhéu do célebre “toca a andar, isso, toca a andar…”

E não foi o outro, apelidado de cabrão pela sua ex-bi-mulher por conveniência, que disse que “os árbitros são uns heróis”?

Ridìculamente, morcões, pidás, macacos, malucos, gaiatos, corruptos e quejandos, cá e lá, tossiram, ladraram, arrepelaram-se, abespinharam-se.
É o clube da trapaça no seu melhor!
Não sabem ganhar, nem sabem perder. O costume!
Com Guarín a iniciar o hara kiri e Fabregas a vibrar o golpe final, a corja agarrou-se aos fantasmas habituais – os pressupostos penaltys tornados realidade com o Apito Dourado e as corruptas barrigadas de frutos do mar e do Brasil, com os quais têm ganho os títulos no supermercado, segundo Ferguson.

A noite e o fim-de-semana vão ser longos, indigestos e agitados. Um cabo de trabalhos para esta pandilha de sempre, obrigada a engolir a derrota com tanta azia, após a abastança de tanto marisco de Matosinhos, tanta fruta de Palermo e chorudos envelopes sacados da gaveta do quarto da famosa casa iluminada da Madalena.

Mas isto, Companheiros Gloriosos, indicia, agora mais do que nunca e com uma desfaçatez inimaginável, que internamente ainda está tudo muito bem controlado pela Irmandade da Fruta. Então na RTPalermo, com N ou sem ele, na CS em geral e nos organismos influentes do futebol, a proliferação desta rataria é já uma autêntica praga, agindo hoje, impunemente a céu aberto, “assim como que para o clarão” como dizia aquele apitadeiro ávido dos conselhos matrimoniais de Giorgio, para os desvios de seu pai – outro igual ao filho.

Será que não poderemos importar uns líbios de Benghazi para limpar este estrume que continua a infectar este pequeno rectângulo futebolístico à beira mar plantado?

Parabéns morcões, por esta derrota com cheiro a marisco de Matosinhos. Só que, o cheiro não bastou.
Para a próxima, não se esqueçam, peçam outra vez ao Garrido para levar umas caixas de carabineiros fresquinhos da lota de Matosinhos para a marina do Mónaco…
E não convidem sòmente os apitadeiros. Telefonem ao Platini…até pode ser que ele se esqueça de vos apelidar de batoteiros, corruptos e mafiosos.

Nota 1: Se tivesse sido um jogador do Benfica a dar aquela fífia do primeiro golo, bem como mais dois outros a serem expulsos, a esta hora, os ricos media cá do burgo já tinham linchado os três em praça pública e reforçado que o Benfica teria perdido por isso, entregando o ouro ao bandido!
Como são do grémio da fruta, coitadinhos, são uns mártires!

Nota 2: “A BOLA”, através do seu bando residente de morcões patrioteiros de Palermo, fala em “batota no casino”.
Então, ó seus cobardolas, só agora é que deram conta de uma pseudopilhagem, quando de há trinta anos para cá, aquela corja corrupta do norte, vulgo fcp, anda a fazer isso impunemente?
Para esse jornaleco de caca, nem um cêntimo!

GRÃO VASCO

6 comentários:

Águia Eterna disse...

Grão Vasco, como sempre, lendo os teus Posts, orgulho-me de haver Benfiquistas da tua estirpe e inteligência, coragem, amor à VERDADE e ao NOSSO GLORIOSO BENFICA.

Subscrevo TUDO, TUDO, TUDO o que escreveste.
O clubeco do porco, o tal de fóculporco, trafulha/vigarista/corrupto, só tem duas espécies de jogadores: os simuladores e os caceteiros. Erro, penso que tem mais duas espécies: Os simuladores/caceteiros, uma espécie de 2 em 1, tipo esse CABEÇA GRANDE de porco do hulk, e o outro tipo de jogador, este mais refinado e importante que é o que anda dentro do relvado a "marcar" golos com um apito na boca para bufar nele sempre que é preciso acautelar os 3 pontinhos para os corruptos. Além disso este jogador "trabalha" em comunhão com outros dois que andam com uma bandeirola na mão a ajudar o "goleador" de apito na boca.

Odeio essa gente, MAS É QUE ODEIO MESMO, e desejo-lhes quinquilhiões de vezes pior do que eles desejam ao NOSSO INIGUALÁVEL BENFICA de Portugal.

Quanto aos pasquins, " a bosta" incluída, há muito tempo que são uns VENDIDOS/COVARDOLAS/VASSALOS, sendo totalmente a VOZ DO DONO CORRUPTO E PORCO.
Hoje, CHORO, todos os cêntimos que durante largos anos dei a esses VENDIDOS ao comprar o agora pasquim onde juntam as letras.

Desprezo para TODOS eles. Por mim ficam todos nas bancas a BRONZEAR.

Corruptos para a CADEIA, JÁ, JÁ, JÁ.

P.S. ainda está para nascer em Portugal um Árbitro português que seja capaz de num jogo de futebol expulsar 2 jogadores do fóculporco, mesmo que merecessem ser expulsos 3 ou 4,.

BENFICA, SEMP+RE,SEMPRE,SEMPRE O MAIOR E O MELHOR. O resto é ESTERCO/CORRUPTO DE UM LADO e vassalos e amestrados do outro.

A'guia de Santo Tirso disse...

Caro G V , é uma delícia ler os seus posts.
Enchem-me a alma Benfiquista .
Já pensou em reuni-los em livro ?
Já tem leitor .
Bem haja , abraços e mantenha esse espirito e imaginação.
Bom fim de semana.

Anónimo disse...

DIRIJO-ME DIRECTAMENTE AO SENHOR QUE MANDA NA BOLA

OS SENHORES CONSEGUIRAM QUE UM LEITOR DA BOLA
QUE LEU A BOLA DURANTE 40 ANOS
COMEÇANDO AOS DEZ A LER DAS MÃOS DO SEU AVÔ
HOJE MESMO TOMASSE A DECISÃO
DE JORNAL A BOLA COMPRADO-----JAMÉ

DEPOIS DE TRINTA ANOS SEMPRE EM FRENTE
NAQUELA CASA ILUMINADA
DE DUAS JORNADAS SÓ NESTE ANO ONDE UM JOGADOR
FICA EM CAMPO LOGO AOS TRÊS MINUTOS EM LANCE MAIS IMPORTANTE
E MAIS VISIVEL
E NADINHA, vÊM LOGO COM UM TÍTULO DESTES
BATOTA ?????
BATOTA ESTAMOS TODOS FARTOS DE VER
E NÃO SE VIRAM ESTAS MANCHETES

BASTA.

outro disse...

Caros amigos Benfiquistas, ajudem-me a divulgar algo que foi omitido em toda a comunicação social sobre o fraquissimo jogo dos Andrades no Mónaco: ao minuto 56 Rolando comete um penalti claro sobre David Villa, como se pode comprovar nos 2:20 do seguinte video, http://www.youtube.com/watch?v=sbURA2FbJ20&feature=related

Infelizmente devido à fraca qualidade do video, não se consegue comprovar com total clareza este facto como se percebeu em directo, por isso venho aqui apelar a todos que me ajudem a divulgar isto, para que se encontre uma repetição melhor para calar a corrupta agremiação de uma vez, e ao mesmo tempo dar uma lição à comunicação social pelo vergonhoso sectarismo e tentativa de ocultar a verdade do jogo!!

Um abraço Benfiquista!

Anónimo disse...

Dez anos sem prejuízo
Do conflito entre o Sporting e os árbitros derivou uma discussão nas redes sociais da internet sobre a indiferença do FC Porto, um clube que considera «heróis» o que outros destacam como "inimigos". Quando perdeu o FC Porto pela última vez na Liga por causa de erros de um árbitro?
Por:João Querido Manha
Felizmente para o clube de Pinto da Costa isso já não ocorre há muito tempo, mais precisamente desde a temporada de 2001-02 quando, entre um número anormal de oito derrotas, duas delas tiveram, de facto, a marca dos erros de arbitragem.
O curioso da situação é que os juízes envolvidos, Luís Miranda e Emanuel Câmara, pagaram os penaltis perdoados a Beira-mar e Santa Clara com o afastamento do grupo da elite da arbitragem. Falharam e foram afastados, embora Miranda estivesse já próximo do limite de idade.
Nas dez épocas seguintes, o FC Porto sofreu apenas 26 derrotas na Liga portuguesa e embora algumas com arbitragens negativas para os azuis, como a de Carlos Xistra com o Sporting em 2007-08, validando um golo irregular de Izmailov, não voltou a haver uma relação directa entre a arbitragem e o resultado. E a polémica mor com João Ferreira e Lucílio Baptista no jogo «do túnel» não correspondeu a prejuízos dentro das quatro linhas.
Seria, contudo, estulto pensar que o FC Porto não tivesse também sofrido erros de arbitragem num conjunto de mais de 300 jogos. Quando tal se verificou, porém, a equipa conseguiu superar as dificuldades e pelo menos não perder, mas foram muito mais as partidas em que os resultados positivos tiveram contributo de maus julgamentos.
DE VILÃO A HERÓI
Bruno Paixão sofreu impiedosa perseguição psicológica de entidades portistas, sendo tratado como «vilão» nos programas de televisão por causa dos erros no Campomaiorense-FC Porto (1-0) de 2000, em particular a permissividade a uma marcação sistematicamente faltosa sobre Jardel, inclusive com lances de penalti não assinalado. Foi uma noite terrível, que lhe custou uma quarentena, mas após ano e meio, voltou ao bom caminho, com 10 triunfos portistas em 13 encontros, figurando hoje entre os «heróis» de Pinto da Costa.
1 PENALTI A CADA 16 JOGOS
Quando Rui Silva, no domingo passado, assinalou um penalti no Dragão contra os donos da casa soaram campainhas de alerta pelo inusitado da situação. Em média, o FC Porto só sofre um penalti a cada 16 partidas e raramente nas primeiras jornadas. Desde 2004, aliás, no ano do título perdido para o Benfica, que o FC Porto não era punido com uma grande penalidade das primeiras quatro jornadas da Liga.
LUÍS MIRANDA
O que fez
Num Beira-Mar-FC Porto (2-0) perdoou uma grande penalidade aos aveirenses e ainda expulsou Alenitchev no começo da 2.ª parte.
O que lhe aconteceu
Nos oito meses seguintes, até final da época, o juiz de Torres Vedras só mereceu mais três nomeações e encerrou a carreira, na maior discrição.
EMANUEL CÂMARA
O que fez
Num Santa Clara-FC Porto (2-1), deixou passar em claro um penalti (passível de cartão vermelho) de Rui Gregório sobre Hélder Postiga.
O que lhe aconteceu
A carreira na 1.ª Liga do actual comentador da RTP Madeira ficou arrumada: dois meses depois dirigia o Marítimo-Leiria, em jeito de jogo de homenagem.
O ÚLTIMO TERROR
Quando Lucílio Baptista se retirou, os portistas suspiraram de alívio. Cada nomeação dele punha em causa o comodismo da equipa por ser menos permissivo do que a generalidade dos seus pares, sem receio das consequências dos eventuais desaires azuis e brancos.
A AMEAÇA SADINA
O também setubalense João Ferreira, árbitro da última derrota, em Alvalade, talvez quebre o recorde de sete derrotas, pois com metade dos jogos tem média idêntica a Lucílio Baptista, em flagrante contraste com as dos outros juízes da actualidade.

Anónimo disse...

Mais uma à Beirão caro Amigo GV, só espero que a RTP seja vendida para os benfiquistas não estarem a pagar com os seus impostos os ordenados Churudos de um Burro Cabeça de lata (vulgo Bruno Prata) Um Burro Gimbrinhas (Vulgo Hugo Gilberto) um Manuel Fernandes Filho da Cunha, pois este deve a entrada na RTP por ser Filho de Ex Jornalista da RTP,aliás como outro que por lá vegetam que são a verdadeira escumalha do nosso jornalismo desportivo da TV Pública e sustentada pelos nossos impostos.A estas Vozes da Corrupção e como sabes são os "Filhos do Ladrão" uma musica bem apropriada para o efeito, eu chamo de "Proxenetas Jornalístico". Benfica Sempre, abraço do Lampiaovis

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...