18.1.13

“Coimbra é uma lição”…


 

“Só passa quem souber”

 

Ontem, em Coimbra, quando o Benfica, senhor do jogo, encerrou as festividades com aquele baile de gala dos “lentes” da bola e com os “estudantes” a mirarem a sua trajectória melodiosa, pareceu-me ouvir essa voz extraordinária de outros tempos, a voz de Alberto Ribeiro, que como ninguém, imortalizou este fado-canção. E então, os quinze minutos finais foram portentosos e de grande classe.

 

Coimbra, ontem à noite, foi realmente uma lição.

 

Numa breve alusão ao célebre filme português “A Canção de Lisboa” e relembrando o momento chave do exame final de curso do Vasquinho da Anatomia, até me apetece dizer que ontem, os jogadores do Benfica até sabiam o que era o “esternocleidomastoideo”!

 

A matéria ia sabida e o exame foi “canja” – muito respeito pelo adversário e uma grande, grande união.

 

Sim. Respeito e união.

 

Exemplar. Bastaram estas duas palavras para que o problemático “juiz” da partida ficasse eliminado em oito minutos. Jorge Sousa ainda teve um ou dois arrufos à “superdragão”, mas foi impotente perante a soberba exibição do Glorioso.

 

O Benfica começou bem, começou por eliminar o árbitro. Foi meio caminho andado para as meias-finais, se bem que a Académica, com todo o respeito que nos mereceu, só foi eliminada ao fim dos noventa minutos. Ainda deu para o quarto do Salvio e deveria ter dado para o quinto e para o sexto.

 

Ontem, todos aprendemos muito. Aprendemos a dominar e a saber eliminar factores sèriamente adversos, como por exemplo, é actualmente para o Benfica, toda a casta de árbitros internacionais – desta vez foi Jorge Sousa, amanhã estarão outros iguais na calha, porque depois do chinfrim dos dois bastardos do Freixo, na noite de domingo, é mais que previsível que o Vítor dos pífaros permaneça de cócoras e deixe de ter tomates para não nomear árbitros internacionais para os jogos do Benfica e seja “obrigado” a fazê-lo a partir de ontem – e darmo-nos ao respeito, pondo o adversário na linha.

 

Mas, convenhamos que nem sempre assim acontece por variadíssimos factores, mesmo por aqueles que acabei de mencionar. E, por isso, quando as coisas correm menos bem, como foi o caso do jogo de domingo, em que o resultado foi insatisfatório, há que soletrar e pôr em prática essa palavra, tão bem retratada na foto deste post pelos jogadores do Benfica – UNIÃO.

 

União, uma palavra vã, numa blogosfera rasca - e em muitos outros locais, como por exemplo, na comunicação social - que se diz Benfiquista, mas que não é mais do que um espaço inundado de egos e mais egos, onde a doença bipolar faz vítimas a toda a hora – nas vitórias, uma euforia desmedida em que só falta pendurar os jogadores e treinador nos píncaros da Lua, nos resultados menos bons, uma depressão quase suicidária com o grupo a ser atirado às feras ou jogado para a sarjeta mais próxima.

 

De facto ontem, os jogadores, ou melhor, toda a equipa do Benfica, com uma grande discrição e competência, deu a todos uma grande lição. Especialmente aos Benfiquistas.

 

Seria de bom tom, que uma marabunta autofágica que corrói o Benfica por dentro, “lesse” bem o que aconteceu em Coimbra e começasse uma nova era – o apoio incondicional e integral a quem lhe oferece a alegria e a felicidade de muitas e muitas vitórias cristalinas, sem fruta e chocolatinhos corruptos e estragados.

 

 E agora, Caros Companheiros, esperem um pouco, por favor, que eu volto já. Só vou saber se não é o Artur a Dias, o Benquerença ou outro javardo do género, o escolhido para dizer a missa de 2ª feira na terra dos Cónegos. É que se for algum destes espécimes, será mais um busilis complicadíssimo antes do “combate mortal” com os brácaros na Pedreira.

 

Aguardemos, convictos do nosso valor, e esperemos que no sábado, o surpreendente grémio da capital do móvel, não se apresente no antro do Freixo com “caruncho” acumulado do jogo que efectuou também nesta passada 4ª feira…

 

Saudações aos Autênticos e parabéns ao Águia de Santo Tirso que quase acertou no prognóstico. Não foi nota vinte, mas que esteve lá quase, lá isso é verdade.

 









GRÃO VASCO


 

4 comentários:

Anónimo disse...

pareceu me ter havido carga sobre o cardozo que podia ter dado penalty no lance do 1 golo,pareceu me mas nao tenho a certeza,de resto fiquei verdadeiramente admirado o jorge sousa fez uma arbitragem exemplar

Jotas disse...

Depois desta vitória categórica em Coimbra, confesso que seria para mim, uma enorme frustração, não ver o Benfica na final do Jamor e que saudades já tenho disso.
Um jogo coroado com 4 belos golos e mais poderiam ter sido, alias, estivemos à beira de uma goleada histórica.
Muita seriedade e qualidade nesta bela lição de bom futebol.

A'guia de Santo Tirso disse...

Grande jogo , à Benfica , com garra , alegria e bom futebol .
Temia o árbitro , mas não lhe demos hipóteses de nos prejudicar .
Obrigado pela menção , e nós benfiquistas temos que acreditar sempre , porque na vida , no cinema e no futebol o Bem(fica) ganha quase sempre .Pelo menos devia!
Abraços Gloriosos e continue assim na defesa desta nossa paixão , pois todos lhe ficamos agradecidos .
Qual o corrupto , internaconal que vão mandar para Moreira ?
Lá estarei pela terceira vez esta época = triplete .

Anónimo disse...

fpf=federaçao porkista de frutabol

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...