29.4.14

Jogo sujo “à italiana”



http://www.marca.com/charlas/santiagosegurola/12052008.html


A juventus, aquela famigerada vecchia signora prostituída que foi parar à segunda divisão de futebol italiano, condenada por escândalo de corrupção e viciação de resultados, acabou de sentenciar a Europa League esta época.

O envio da queixa por suposta agressão de Enzo Pérez a Chiellini evidencia que afinal as fanfarronadas de Pirlo, Llorente e Cª., não passaram disso mesmo.

 

Com este procedimento a eliminatória já foi inquinada. Mesmo que o resultado seja favorável ao Benfica e Enzo Pérez acabe por jogar.

A juventus e os seus dirigentes, ao actuarem deste modo, tentando pelo meio mais fácil apurarem-se para a final da competição, suplicando à UEFA que suspenda o “terror” do meio-campo do Benfica, continua na senda do que dela disse em 2008 no jornal espanhol MARCA, o seu adjunto de director, Santiago Segurola – um grémio de trapaceiros, cambalacheiros e corruptos, tal e qual o oporto da Palermo portuguesa.

A par disto, bem sabemos quantos herculanos, giles moreiras santos & caldeiras navegam naquele mar pouco transparente do submundo uefeiro.

 

A juventus está com medo. É a realidade, está com medo. Temerosa, desrespeitou o Benfica e tenta deturpar, como sempre, a verdade desportiva.

Na Luz foi o que foi. Surpreendidos, os seus jogadores recorreram frequentemente às tácticas subterrâneas tão queridas das squadras italianas. Cuneyt Çakir contemporizou e ajudou à festa. As entradas violentas de Chiellini, Pogba e Cáceres passaram impunes. O penalty sobre Enzo Pérez também.

 

Quando hoje de manhãzinha li, estupefacto, o que traziam os pasquins desportivos da nossa praça, fiquei siderado!

Nada será como de início.

A festa, se é que se poderia chamar festa de futebol à meia-final entre Benfica e italianos batoteiros, acabou quando a UEFA exige uma resposta do Benfica em 24 horas em relação à queixa apresentada pela Juventus e convoca uma reunião extraordinária para 4ª feira do seu comité de disciplina. O sinal está dado. Resta sabermos se Mark Clattenburg vai entendê-lo ou manterá a sua isenção de árbitro inglês impoluto.

 

Mas, mas primeiro está a juventus. Primeiro, está a iniciativa rasteira dos italianos. O seu jogo sujo. Mas Turim é 5ª feira, não é hoje nem amanhã.

 

Como já referi, Mark Clattenburg será o juiz que dirigirá o encontro. Garantias? Algumas.

 

O Benfica deve fazer o que por direito lhe compete. Contestar na UEFA e contestar veementemente, em campo, em Turim.

Tal qual a “cuzada” traiçoeira de Cáceres a Enzo, merecedora de grande penalidade e que o árbitro turco em cima do lance fez que não viu, os dirigentes da Juventus reincidiram no mesmo tipo de gesto, na mesma sacanice sobre o mesmo jogador e também sobre o Benfica. À traição.

 

A Juventus faltou ao respeito ao Benfica e o Benfica, os seus dirigentes, os seus técnicos, os seus jogadores, os seus adeptos têm agora toda a legitimidade de fazer o que melhor entender.

Eu começaria por rasgar a bandeira da juventus, em público e perante as câmaras das estações da RTPalermo, TBI e SIC, as mais bastardas para o Benfica que existem em Portugal, para elas poderem enviar o mais rapidamente possível as imagens para Itália tal como fizeram com a suposta agressão de Enzo a Chiellini. Quanto aos jogadores Benfiquistas, que rasguem os italianos de alto a baixo dentro das quatro linhas na 5ª feira.

Só lhes peço isto, mais nada!

 

 


GRÃO VASCO


Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...