22.3.15

Coincidências…



O futebol tem coisas do arco-da-velha.

Como é que poderemos explicar que o Benfica vá ao norte, faça dois jogos com o mesmo árbitro e perca exactamente da mesma forma e pelo mesmo score, esses mesmos dois jogos?

Se rebobinarmos o filme, chegaremos à conclusão de que houve muitos pontos em comum entre o desafio em Braga, na Pedreira contra os brácaros e agora o de Vila do Conde contra o Rio Ave - o apitadeiro, as exibições de ambas as equipas e por fim a evolução dos próprios resultados e o seus desfechos finais.

O Benfica perdeu por 2-1 depois de ter ficado à frente do marcador muito cedo. Assim sucedeu em Braga com igual reviravolta na segunda parte.

Em post anterior já tinha aqui deixado as minhas reservas quanto a este jogo e quanto à nomeação infeliz do hábil madeirense apitadeiro anti-Benfiquista e tendenciosamente alagartado, que já demonstrou a sua “perspicácia” em gerir estes jogos fazendo com que os jogadores do Benfica se sintam receosos e demonstrem alguma desorientação, colocando-se à mercê do adversário. Pelo seu currículo recente em jogos do Benfica, era certo e sabido que não iríamos ter vida fácil. Quanto às equipas e ao jogo pròpriamente dito, mesmo com Salvio a marcar muito cedo, a tranquilidade foi coisa que nunca esteve com a equipa. O Rio Ave, estruturado, bombeou constantemente bolas para as costas da nossa defesa, tentando explorar a sua menor rapidez, e simultaneamente tirar partido da velocidade de alguns dos seus jogadores, jogou nos limites, bastando para isso observar a envergadura física dos seus atacantes e a forma como dificultaram em muito as nossas tarefas defensivas e fez mais um jogo contra o Benfica como se não houvesse amanhã. Mas o exagero foi tal que até se compreende melhor agora como é que dois jogadores do Rio Ave com essa grande envergadura e esse empenho desmedido se conseguiram lesionar sòzinhos. Perante este cenário, pouco abonatório para um jogo que o Benfica tinha necessidade absoluta de ganhar, a situação tornou-se mesmo muito complicada, não obstante o Benfica ter ficado cedo em vantagem. Do lado do Benfica observaram-se situações que custam muito a compreender, especialmente no aspecto táctico e no campo das escolhas individuais. Só vou referir três - a colocação de Talisca, o adiamento de decisões em relação a substituições imperiosas, sobretudo a meio-campo e Jonathan Rodriguez que foi despachado para as bancadas depois de ter integrado a convocatória para o jogo.

Porque a mim próprio impús silêncio quanto a tudo o que dissesse respeito a JJ, não farei mais nenhum comentário àquilo que mais me perturbou durante o jogo em relação à nossa equipa (e que não foi pouco) e que deixou alguns adeptos nossos à beira de um ataque de nervos.

Mas curiosamente, ainda faltava a “outra parte do jogo” que iria iniciar-se logo a seguir na ilha da Madeira, e por consequência, aguardei com serenidade o desfecho de toda a história que ocorreu ontem em termos de disputa do campeonato…

 

Creio que mais uma vez, na noite de ontem, houve coincidências a mais, mas também mais uma vez, escreveu-se direito por linhas tortas. Só Lucas João é que escreveu mesmo torto por linhas direitas. Mas do mal, o menos. A situação em relação ao segundo classificado não se alterou minimamente, pelo menos até ao próximo jogo na Luz.

 

Mas, não obstante todas estas incidências, jantei tranquilamente após essa derrota amarga e sabendo que da Choupana não chegavam boas notícias...

Nestas situações não é fácil para ninguém descontrair-se e abstrair-se do que se vai passando, mas mesmo assim optei por uma incursão ao Canal Odisseia e por lá me entretive uns largos minutos. No entanto acabei por não resistir, e após alguma hesitação, lá carreguei no botão da SIC notícias, onde vejo os dois habituais marretas – Borges e Cristóvão – com um semblante esquisito, estranho. Qual não é o meu espanto, quando no rodapé vejo 1-1 na Choupana.

- “Compreendi-te!” – lembrando-me desta expressão engraçada de Vasco Santana no filme “A Canção de Lisboa”.

É verdade. As coisas não são como começam, mas sim como acabam!

E assim, acabámos por ver dois sentimentos antagónicos e que ajudam a entender alguns fenómenos recentes. A serenidade de quem lidera mesmo após um desaire previsível, e a ansiedade desesperante do basco do Freixo tentando justificar-se perante um fiasco improvável na Madeira. E digo fiasco, porque pior que o resultado do Benfica foi a insuficiência do grémio da fruta corrupção & putêdo contra um Nacional privado de jogadores chave em jogadas de bastidores.

 

Arrumo a TV e abro o computador. Percorro a auto-flagelada blogosfera dita Benfiquista. Uma lástima. Parecia que o Estádio da Luz tinha desabado perante um terramoto de grau dez e que o Benfica tinha desaparecido do mapa. Uma vergonha para os Benfiquistas. De um momento para o outro lá vêm os suicidários em carreirinha, tal qual aquela história dos ratos hipnotizados por uma flauta mágica a caminho do precipício… Uma chuva de críticas descabeladas, destrambelhadas. Tudo a quente, tudo à doida. Tudo indignado (com muitíssimo pouca ou nenhuma razão), tudo a dizer “bem feito” pois jogaram assim, cozido, frito e assado. Deixa-me triste tanta precipitação, tanto despautério. Vi o jogo com um Benfiquista Autêntico, com metade da minha idade que no final, zangado, expressava o seu desagrado, quase em pânico. Tinha-o avisado antecipadamente, que conforme estava o cenário, mesmo com o Benfica em vantagem, era previsível admitir-se um volte-face. Aconselhei-o a ter alguma frieza nos momentos em que ela é mais necessária. Ontem, após o jogo, era um momento em que era mandatório tê-la. Disse-lhe para aguardar com calma o desfecho de toda a jornada e que o Benfica continuaria no topo, mesmo independentemente do resultado da Madeira. Acalmou e enviou-me posteriormente um SMS estupefacto com a reacção dos corruptos na ilha, dizendo que era inacreditável que depois do nosso desaire os “outros” não tenham conseguido melhor do que um empate. O futebol tem destas coisas e na realidade a sua imprevisibilidade mexe com tudo.

Só espero que aqueles bipolares que vão num ápice da euforia ao desespero ou à depressão profunda e os que nas redes sociais e blogues tanto gritam convencidos que o “34 está no papo” ou “rumo ao 34º”, tenham aprendido a lição. Mais do que qualquer jogador do Benfica ou elemento da sua equipa técnica incluindo obviamente JJ.

Mas já depois de ter lido também tudo e mais alguma coisa, chego a uma referência fria e objectiva – “temos seis jogos em Lisboa até ao fim do campeonato. Se os ganharmos, seremos Bi Campeões”, blogue RED PASS.

Ora bem. Está tudo dito!

Sinceramente, fiquei mais descansado. Ainda há Benfiquistas lúcidos em momentos de desalento.

 

 

PS

Com o Rio Ave a jogar com este empenho e a exibir-se a este nível, como o fez contra o Benfica, é sem dúvida, para mim, o candidato principal a vencer a Taça de Portugal.

 


GRÃO VASCO


5 comentários:

Anónimo disse...

Apesar da derrota ser demérito do BENFICA o 2º golo do Rio Ave é irregular e isso fez toda a diferença, pois se fosse ao contrário tínhamos um acréscimo de programas semanais na CS domesticada a falar dos árbitros,
Carrega BENFICA.

Atlas disse...

Nunca vi o Rio Ave com tanto empenho a jogar futebol.
As malas das notas porventura não contêm apenas cacau.
Eu se fizesse parte da brigada anti coiso, estaria no túnel à espera das macas que transportaram os dois atletas que se lesionaram sòzinhos.
Os nossos heróis pareciam amarrados, porquê?
É pena não haver um intensitómetro para comparar a intensidade quando jogarem contra os corruptos.
O nosso futebol está como o resto do país - UMA DESGRAÇA e enquanto a justiça não funcionar como supostamente devia, não haverá mudanças.
Já abdiquei da situação política por compreender que nada posso fazer e quanto ao futebol o mesmo está prestes a acontecer.

Anónimo disse...

Vamos ver se o Rio-Ave joga contra os corruptos como jogou contra o Benfica

É que se não jogar assim começaremos todos a meditar sobre essa história dos prémios a TRIPLICAR

Rio-Ave e Académica jogarão contra os corruptos
antes e depois
do 1º jogo da frutaria contra o Bayern

Vamos ver se em vez de homens com pelos no peito nos sairão uns desvitalizados

Estamos cá para assistir a isso

Que não joguem como um Sporting e um Braga que estiveram muito fraquinhos

eheheheheheeh

Anónimo disse...

este arbitro porco e corrupto é o novo proença!!!!!!!!!!!

Frank disse...

Belo texto Gv bela analize aos factos aqui descritos,eu tinha receio deste jogo,como tinha deste arbitro,como tinha deste Rio Ave sabe porque?porque jogamos tres vezes com eles no ano passado e ganhamos sempre com grande dificuldade e com um plantel muito mais valioso na minha opiniao que este ano,escreverem ai no golo do Rio ave ilegal nao reparei nisso nem ninguem a isso se refere,pois como disse e bem o Rio Ave tem grandes latagoes la na frente correm como loucos num campo com relva crescidinha acho que esta na moda todas as vezes que o Benfica vai fora,por vezes nem queria acreditar se estavamos jogando com o Vilacondenses ou com qualquer colosso Europeu quero ver se vao jogar o resto da epoca assim nomeadamente com os flopategos,acho que o RGS fez bem em dizer que contra o Benfica tem uma postura ocntra o clube da fruta tem outra,eu tambem vejo assim mas aqui culpo os nossos jogadores treinador olha tudo porque se eles sabem que assim e porque nao correm mais que eles que os massacrem porrra somos muito melhores.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...