18.2.17

O grémio do Al Capone português “vai de vento em popa…”



Tal como na Chicago dos anos 30, a criminalidade organizada actua impune na Palermo portuguesa e seus arredores sob a complacência e a inércia, intencionais ou não, das autoridades desportivas, judiciais e policiais.
As ameaças de morte aos árbitros e às suas famílias, com divulgação de informações sobre as suas vidas particulares, surtiu um efeito impressionante!
Tudo borrado. Desde o Fontelas em Lisboa – possìvelmente com tamanhos telhados de vidro relembrados e exibidos, por catálogo, pelo Al Capone português, numa visita como aviso para situações futuras que decerto não terá sido de mera cortesia – até aos “coniventes” e “colaboradores”. A norte, uma omertá amacacada faz lei para criminosos e marginais que amedrontam, subornam e chantageiam o vulgar cidadão e mesmo as pessoas de bem. Uns com cadastro deplorável, repleto de crimes, descritos ao pormenor em livros publicados, outros com um cadastro duvidoso de participação em defesas jurídicas no processo Apito Dourado, outros mais, saudosos desses tempos e outros ainda, nos facebooks com manifestações públicas de amor ao grémio da corrupção, das putas, da fruta, dos cafés com leite e chocolatinhos e demais guloseimas brasileiras.
Não há memória, desde os famigerados tempos do Apito Dourado I de tamanha campanha de coacção e chantagem da bandidagem dos símios ribeirinhos, acantonada no Freixo, à Palermo portuguesa, sob o beneplácito da corja corrupta azul e bronca que continua bem viva na sua sede, adjacente às Antas, mais conhecida pelo “Covil do dragão”.
Tudo isto para tentarem ganhar fora do campo o que têm perdido, e bem, nos relvados por onde passam, porque o execrável comportamento dessa reles comandita alicerçado no crime e na trapaça continua e continuará, apesar de alguns ingénuos terem começado a ficar com a memória curta. Só quem presenciou esses tempos tenebrosos sabe bem do que estes energúmenos são capazes.

“Para o fcp ganhar, há que aos adversários e ao Benfica roubar”, ou “Com o fcp o crime vai compensando”, são dois dos muitos lemas dessa maldita pandilha que transformou o futebol indígena e não só, numa mentira que ainda hoje prevalece apesar do esforço gigantesco do Benfica para se ter redimensionado com o objectivo de combater essa praga que perdurará por mais algumas décadas.

GRÃO VASCO



3 comentários:

Frank disse...

Caro Grao Vasco assustaste-me dizes o teu ultimo paragrafo que o Benfica ao agigantar-se tem mais uma decada para combater essa praga,nao me digas que esse mafioso ainda vai viver mais dez anos fisga-se o homem parece eterno.
Do jogo de ontem disse-nos claramente que o apito dourado2 esta bem vivo espero que nao aguente mais dez anos mais a descarda nao pode ser a nossa direcao vai fazer qualquer coisa outao mais valera o velho oeste no futebol Portugues olho por olho dente por dente quem dispara primeiro gringo, pum pa pum pa pum pa estou gracejando mas o caso e muito serio os nosos dirigentes tem que fazer algo antes que algum tresloucado cometa alguma asneira o Luis Ferreira esta a passar das marcas roubou-nos a descarda no Estadio da Luz contra nos Rouba a descarada, no Dragao do inferno rouba a descarda a favor dos do costume esse arbitro tem que ser irradiasdo quanto antes e o minimo que se pede as autoridades competentes.

Anónimo disse...

PORTUGAL, UM PAÍS DO VALE TUDO


Não culpo os árbitros. Culpo as "altas patentes" das autoridades do nosso país. Os chefes das várias forças e os juizes. Culpo quem manda e tem o dever de proteger e não cumpre a sua obrigação.
Soubemos que eles foram ao centro de treinos ameaçar a vida dos árbitros e das suas famílias. Isso saiu cá para fora. Mas há muita coisa que não sai.
Ninguém fala das visitas ao trabalho das esposas, de lojas desarrumadas e de dezenas de calças espalhadas pelo chão por exemplo.
Ninguém fala das esperas à saída dos colégios e escolas dos filhos dos árbitros. Sem dizer nada só a "marcar presença" nos dias antes aos jogos. Só para verem e serem vistos.
Ninguém fala das dezenas de telefonemas seguidos nas madrugadas. Vinte, trinta, quarenta telefonemas que quando são atendidos logo são desligados e passado segundos voltam a tocar. Às três, quatro, cinco, seis da manhã.
Ninguém fala nos restaurantes de irmãos e familiares de alguns árbitros onde essa bandidagem impune vai comer e beber e à saída depois de partir qualquer coisita e de escrever algumas reclamações inventadas no livro dizem com ar de mauzões que "o filho da puta do teu irmão paga e se não se portar bem para a semana somos cinquenta".
Carros com os vidros partidos que logo após serem substituídos voltam a se partir.
Estarem à porta de casa só para dizerem "boa noite e bom jogo", mostrando desta forma que sabem onde as pessoas moram, quando árbitros e fiscais de linha chegam a casa.
Terror total, pessoas feridas na sua dignidade, tanta e tanta coisa que ninguém fala. E os árbitros vão denunciar para quê? Num país que policias a sério pagam indemnizações a ciganos ladrões? Vão eles arriscar a vida de quem mais amam para quê? Ninguém quer saber, Portugal está feito mesmo para esta escumalha.


Não há muito tempo vimos todos na tv o segurança de Pinto da Costa (agora envolvido em assassínios e vários casos de máfia na noite do Porto) mandar o chefe da policia do Porto calar-se... Os gajos roubam à vista de toda a gente microfones e outro material à CM TV e em vez de se esconderem, exibem-se orgulhosos sob uma impunidade chocante que amedronta e serve de exemplo para todos os outros. Sim eles roubam, ameaçam e agridem e exibem o que fazem para servir de exemplo a todos os outros.
Livros foram escritos e publicados referindo roubos, assaltos, agressões várias, consumo e tráfico de droga e ninguém se importou...
Os árbitros? Fazem o que têm de fazer para ter algum sossego e proteger quem mais amam e nós só os entendemos se nos metermos no lugar deles. Pensarmos nos nossos irmãos, pais, filhos e esposas a serem ameaçados e perturbados nos seu dia a dia por esta gente... Possivelmente fazíamos o mesmo...

Não, os grandes culpados do que passa e do que se vai continuar a passar não são os árbitros! É de quem manda nesta triste "republica das bananas" outrora "nação valente e imortal" que se chama Portugal.

Escrito por Bruno Duarte

Frank disse...

Bruno duarte muito sabes afinal a muito para alem daquilo que eu sabia grandes vigaristas grandes bandidos,outrora Portugal Nacao Valente e Imortal,hoje Portugal um ninho de corruptos com macaccos e presidentes na vanguarda e do que estao a espera as autoridades para irem acima desses bandidos e metelos todos na cadeia andaram umas semanas atraz do assassino de Aguiar da Beira que andou fugido e escondido mas encontraram e esta preso, estes que andam a solta sabem onde eles vivem e nao os vao buscar essas ameacas aos arbitros acabavam de uma vez por todas e esses mesmos arbitros podiam apitar os seus jogos tranquilos da vida nao prejudicando ninguem nem temendo pela sua familia mas pelo que vejo as autoridades tem medo do pinto da costa e do macaco.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...