25.8.19

Os mansos, a “madre Teresa… do Seixal e “quem tem Jorge Sousa, tem tudo”!



O futebol, seja qual fôr o seu tempo, não se compadece com os discursos do tipo “anjinho”, iguais ou semelhantes aos de Bruno Lage. E não me venham com a trêta que este tipo de discurso é inteligente e constitui um novo paradigma no futebol! Isso é que era bom, mas infelizmente não é nem nunca o será!

Nada do que aconteceu esta noite na Luz foi surpresa ou imprevisível. Pelo andar da carruagem, em constantes solavancos e engasganços, era mais do que certo que estaríamos na iminência de sofrer a primeira desilusão a sério da era Bruno Lage. O que é verdadeiramente lamentável é que não se tenha feito a prevenção adequada para que essa situação não acontecesse na Luz perante o mais feroz inimigo que o Benfica alguma vez teve e que continuará a ter indefinidamente.

A bitola exibicional do Benfica já há algum tempo que estava a descambar, com uma reincidência de erros de palmatória, em muito provocados por uma gestão físico-tecnico-táctica bastante questionável do plantel. E hoje foi o triste culminar de uma sequência de exibições medíocres – mesmo a nível físico - que deverão merecer no imediato uma grande reflexão e uma profunda análise às reais capacidades de alguns executantes que têm vindo a exibir insuficiências, em grande parte disfarçadas por alguns outros, mas que não chegam para fazer face a jogos altamente competitivos como estes, em que intervêm adversários que jogam autenticamente de faca na liga ou com ela nos dentes.

Esta noite, a exibição completamente desastrada da equipa do Benfica só pode ser comparada à humilhante derrota sofrida pelo grémio da fruta corrupção & putêdo perante o Krasnodar na própria casa e que ditou o estoiro europeu dos fanfarrões das barracas de praia.

O Benfica foi uma equipa de “mansos” que não se compadece com o arreganho, a ambição, a raça de tantas equipas e tantos jogadores que já passaram pelo Benfica ao longo de épocas e épocas a fio.
Perante um clima de constante guerrilha, de achincalho e gozo por parte de dirigentes e técnicos do grémio corrupto, não posso tolerar que os nossos optem pela mansidão e sejam complacentes com uma corja de canalhas, a norte, que mesmo estando na merda e fora da Champions League conseguem vir à Luz envergonhar todos os Benfiquistas. Com particular destaque para um trolha, que se arma continuamente num carroceiro da pior estirpe, que não tem respeito nenhum pelo Benfica, sempre com um discurso belicista de permanente conflito com tudo e com todos, que aludiu a Rafa, a Rui Costa, a Mantorras, numa atitude arrogante, apoucando-os, sem que houvesse de Bruno Lage uma resposta dura e firme que marcasse notoriamente o nossos território.
Não quero “madres Teresas no Benfica e no Seixal”!
Em circunstância alguma posso aceitar que um profissional do Benfica, qualquer que ele seja, dê a outra face para receber nova bofetada! Não quero “mansos” no Benfica!
É e foi essa, intencional ou involuntariamente, a imagem que Bruno Lage tem passado, e passou vincadamente esta semana aos seus jogadores.
Quando nas suas declarações prévias ao jogo, refere que o resultado do jogo não vai definir nada por estarmos no início do campeonato, fiquei incomodado. Jogos com o grémio corrupto são todos para ganhar. Mais nada! Ao tentar tirar pressão aos seus pupilos quase que lhes tirou o gás todo. Gás que eles bem precisavam para um jogo de tal intensidade e que os jogadores adversários trouxeram em quantidades industriais…
Quando li que os nossos jogadores não ficavam em estágio no Seixal, fiquei siderado!
Então num jogo de máxima responsabilidade, como são todos estes contra o grémio corrupto e que são sempre autênticas batalhas, manda os jogadores para casa?
De uma coisa pode BL estar certo – estamos em pleno Verão, as cálidas noites convidam aos jogos de amor, os jogadores, a maioria deles vivem na flor da idade e na plenitude de todas as suas potencialidades e as namoradas e companheiras estão pouco preocupadas com as suas prestações no relvado. Na cama e na bolsa é que eles têm que mostrar as suas performances, isso sim! E manda-os para casa? Será que vão estar juntinhos com as suas mais-que-tudo, por sinal, a maioria delas uns biscatos de alto coturno e de trocar os olhos a qualquer maganão, e estarão três horas a ver bonecos animados ou o filme da Bela Adormecida?
Bruno Lage que se deixe de lérias e de visionamentos do “Canal Panda”! Talvez uma crua projecção de um “hard core” de escacha pessegueiro lhe faça bem às teorias e convicções beatas que tem e que me fazem lembrar uma pomba branca a esvoaçar com um ramo de oliveira no bico a ser encavada com duas valentes fogachadas em vez de uma Águia, altaneira, de garras afiadas, sem mêdo, agarrando pelo bico e pelas garras os fundilhos de um andrade corrupto, mantendo-o de cabeça para baixo e largando-o do alto de um íngreme desfiladeiro.

O discurso de Bruno Lage já satura – já tive oportunidade de dizê-lo num post anterior, mesmo algum tempo antes do pretérito campeonato acabar – e assemelha-se na forma, ao discurso redondo e cansativo de Rui Vitória na sua fase final da sua passagem pelo Benfica. O conteúdo é um convite à beatitude. O futebol não se compadece disto! Os nossos jogadores mostraram uma faceta que eu pensava que já estava arredia dos seus espíritos – o MÊDO da pandilha corrupta.

Bruno Lage que se ponha fino, porque por este andar a quadrilha do costume irá propô-lo a breve prazo como candidato a Prémio Nobel da Paz, mas já com a barriga, nem que seja a do Marega, empaturrada de títulos…

Por último, referir que “quem tem Jorge Sousa tem tudo”!
Jorge Sousa soube gerir com grande habilidade o resultado que o seu grémio de coração começou a construir ainda na primeira fase do desafio. Sem ele, duvido que o grémio corrupto, mesmo com o Benfica a fazer uma exibição medíocre, tivesse aguentado o resultado tangencial que durante tanto tempo permaneceu inalterável. Foi conivente com um anti-jogo deplorável e com uma filha-da-putice cujo expoente máximo foi Pepe, um fascínora que fez o que quis e lhe apeteceu perante a complacência do árbitro. Jorge Sousa é um habilidoso e só lamento que haja benfiquistas dizendo que ele é um grande árbitro. Sem dúvida alguma que é, mas só para o grémio corrupto ou já se esqueceram da “bisitinha de cortesia ” que Mastim Gonçalbes e Giorgio di Bufa fizeram na época passada ao seu balneário para apresentar cumprimentos e respectibas “credenciais”? Ou da canalhice no jogo da Pocilga em que Gabriel é expulso e Brahimi depois de agredir Rúben Dias continua em campo na esperança de que assim o grémio corrupto conseguiria empatar a partida, que acabou por perder?
Jorge Sousa, sozinho, consegue meter o Benfica no bolso. Neste caso, com os nossos jogadores a darem baldas sobre baldas e com os seus adversários a carburar com combustível de centenas de octanas, o que se poderia esperar?
Eu digo. Um descalabro!
Bruno Lage baqueou estrondosamente perante a força de verdadeiros “panzers”, que ganharam quase todas as bolas de cabeça.
Tenho algumas dificuldades em compreender a estratégia e a táctica de BL para este jogo. E também confirmei algumas preocupações que já foram visíveis noutros desafios…
Grimaldo, Ferro, Pizzi e Seferovic terão obrigatoriamente de render muito mais e transmitir à equipa a segurança e a eficácia precisas para sermos novamente Campeões Nacionais, porque na Europa, a jogarmos com pequenos perfis físicos e os pernas-curtas que temos, as probabilidades de êxitos começam logo à partida por ter uma redução de mais de 50%.

Atenção a Braga!

GRÃO VASCO



Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...