23.2.19

A saga de Luís Godinho




Luís Godinho é um árbitro da nova vaga promovido por Fontelas Gomes. Com a idade de trinta e três anos começa a observar-se uma estranha ascensão pelos patamares turtuosos da arbitragem. Com a prática, vai sendo moldado de acordo com os desígnios da trupe que domina impunemente o sector. Mas há mais trunfos na manga para o caso deste nóvel apitadeiro borregar…

Se me perguntarem quem é que eu tenho visto a arbitrar mais vezes o grémio da fruta, não terei dúvidas em responder que Godinho, Nuno Almeida e Soares Dias são aqueles que me ocorrem no imediato.
E quais os apitadeiros que recentemente mais têm prejudicado o Glorioso Benfica? Inequivocamente Luís Godinho e Soares Dias, com Nuno Almeida a usar de demasiado rigor nalguns jogos, especialmente quando o Benfica encontra dificuldades acrescidas.

Godinho tem andado na crista da onda do apito, já não engana ninguém. Pode disfarçar, compor o ramalhete, dourar a pílula, mas já mostrou como é que se faz.

Ontem, em Tondela foi mais do mesmo. Ao princípio, o apitadeiro eborense nem precisou de “actuar em conformidade”, pois alguns jogadores do Tondela já estavam a fazê-lo com um zêlo tal que nem foi preciso muito tempo para que os animais selvagens da Palermo portuguesa acalmassem, tanto no relvado como no banco ou não tivesse Ricardo Costa ex-grémio da fruta “abrilhantado” o espectáculo logo de entrada.

Mas em determinadas fases do desafio a conduta arbitral de Godinho foi crucial, complementada com a de Xistra no VAR. Tomo dois exemplos marcantes, que traduzem à saciedade que Godinho sabe o que faz e que o trabalho de casa é importante para que não se verifiquem cenas como aquela que encima este post. Mas houve mais alguns lances, não foram só este dois que passo a descrever.

O primeiro exemplo é Herrera. Não poderia levar nenhum amarelo no jogo de ontem em Tondela. Pois se tal acontecesse, o mexicano já não jogaria contra o Benfica na próxima semana. Luís Godinho cumpriu. Em duas traulitadas à margem das leis, Herrera foi poupado. Porquê? Godinho saberia disso? Não! Godinho não tem olhos para ler e ver, nem ouvidos para ouvir…
O segundo exemplo é o costume. Filipe enfia uma cartuchada dentro da área a um jogador do Tondela! Penaltys contra o grémio da fruta? Não, não há! Os manuais são claros e precisos nessa matéria. Até o grémio da fruta ser virtualmente campeão é proibido marcar penaltys com resultados titubeantes. Nessa altura a morcanzoada ganhava somente por 1-0! Xistra também cumpriu. Provavelmente tinha ido arrear o calhau à retrete portátil aquando desse lance…

A imagem que encima o post já tem umas largas semanas. No entanto aqui fica a forma como insidiosamente se começa a moldar um árbitro para os jogos futuros onde intervém o grémio da fruta e é nomeado o árbitro em questão. Os métodos são sempre os mesmos. Desde o tempo do Apito Dourado que é assim. Pressão, ameaça, coacção e não sei mesmo se chantagem, resultando em MÊDO, represálias e consequências nefastas no quotidiano dos árbitros e nas suas carreiras.

Godinho é só mais um na longa lista de árbitros que a partir de determinada altura já sabem o que têm a fazer em campo quando está em jogo o futuro do grémio da fruta.

Ontem, como hoje ou amanhã, haverá sempre “Godinhos” na manga de Fontelas & sus muchachos para salvaguardar algo que já se considerava como facto consumado mas que o Glorioso, contra tudo e contra todos tratou de desmistificar – só com as muletas arbitrais é que o fruta corrupção & putêdo conseguirá ser campeão!

GRÃO VASCO



22.2.19

O “record” dos “lagartos turcos”…




Desde ontem à noite, após os jogos da Liga Europa que o “record” do Toninho & Bernardeco mais parece o Muro das Lamentações em Jerusalém. Só lhe faltou mostrar as fotos do Bas Dost, do Fernandes, do Jefferson & Cia. a baterem com as suas cabeçorras nas pedras sagradas. Os calimeros voltaram!

Para esta publicação de merda, neste caso o jornal on line, a eliminação do lagartêdo pelo Vilarreal resume-se ao falhanço final de Bas Dost, à expulsão “injusta” de Jefferson e à reincidência das polémicas com o árbitro do jogo.
Tudo, mas mesmo tudo, serve de desculpa para uma eliminação sem espinhas. O “sporting” não joga uma merda e tem vivido às custas e às costas de um único jogador cujo carburante de demasiadas octanas se reflecte numa agressividade verbal e física que ultrapassa os limites do razoável.

“Fomos prejudicados” – clamam as carpideiras do lagartêdo.

Na realidade, o “record” e o “sporting” são uma verdadeira comédia nacional. Não deixando de ser dois covis de leões moribundos, actualmente parecem-se mais com dois sacos de gatos de serapilheira roskoff.
O ridículo deste jornaleco é bem patente nos títulos on line sobre o seu grémio afilhado. Senão vejamos:
- [ Bruno Fernandes: “Acabámos por ser prejudicados”]
- “Kaizer admite influência decisiva na expulsão de Jefferson”
- “Táctica de Keizer confundiu a… UEFA”
- “Polémica com árbitro já é reincidente”
- “Vermelho a Jefferson contestado”
- “Atlético de Madrid viu Bruno Fernandes”
- [“Roda” no final do encontro]
- “Goleador Bruno atingiu a marca de António Oliveira”
- “Espanha continua a ser terreno maldito”
- “Rudolfo Correia no papel de tradutor”
- “A SAD leonina negoceia crescimento de Alcochete”
- “Dinheiro da NOS vai para a banca (situação similar à do Benfica)”
- “Orçamento do sporting para o futebol baixa para 70 milhões”

E para cúmulo destas palhaçadas são as referências “À POUPANÇA de milhões” com as transferências de Montero e Nani.
Não, não se trata de depauperar o plantel (olha se fosse o Benfica…) já de si insuficiente e de inferior qualidade. Trata-se sim, segundo o que o jornaleco nos quer fazer crer, de um heróico e audacioso acto de gestão!
É uma vergonha, aquilo que os escrevinhadores do “record” querem fazer passar da gestão, dos resultados e da alegre (triste) vida de um grémio que perdeu toda a sua identidade quando se vendeu e se subjugou ao seu comparsa da Palermo portuguesa.
Com esta trêta toda até parece que os representantes do lagartêdo vão estar hoje no sorteio dos 8ºs em Nyon…
Absolutamente miserável!

Já no caso do Benfica e porque a azia é inimiga do discernimento e do bom-senso, o apuramento para os 8ºs-de-final da Liga Europa foi assegurado por “serviços mínimos”, como se o jogo de ontem na Luz tivesse sido um passeio romântico à beira-mar. Uma falácia como que tentando apoucar e minimizar a exibição do Benfica. O que aconteceu foi um jogo duro, competitivo e com alguma incerteza no resultado e no desfecho final da eliminatória. O Galatasaray é uma boa equipa, bateu-se até ao fim, o que só valorizou o apuramento do Benfica.
Mas as notícias do jornaleco foram mais longe e a publicação serviu imediatamente de câmara de eco à choradeira que acometeu os turcos – alguns jogadores e treinador - no final da contenda, não esquecendo as alfinetadas ao Glorioso e aos seus jogadores e treinador:
- [Marcão: “Fomos prejudicados pelo árbitro”]
- “O lance que está a dar que falar na Turquia: Galatasaray incrédulo com golo anulado”
- “Bruno Lage aponta erro de Gedson e explica o que tem de mudar”
- “Benfica-Galatasaray, 0-0: A folga merecida”
- Os jogadores do Benfica um a um: Dínamo sem pólvora”

E no meio desta porcaria toda ainda aparece o Rei do Peido da Palermo portuguesa a falar de uma camisola do Simões.
Da minha parte que a meta pelo cu acima! A essa e à do Casagrande marado!

A canalhice em relação ao Benfica nesta folha de merda não tem fim.

Logo após o final do jogo, vejam lá bem, o “record” do Toninho & Bernardeco já sabia que havia “falatório” na Turquia. O presidente da Turquia, Recep Erdoğan convocou logo uma conferência de imprensa malhando nos infiéis do Benfica e até os trogloditas da Capadócia saltaram das suas “cavernas” insurgindo-se contra o árbitro romeno, excepto e faltou dizê-lo, os adeptos afectos ao Fenerbahçe e ao Besiktas que se refastelaram com a eliminação do seu inimigo figadal.
Mas ó escrevinhadores do “record”:
- E o penalty que muito antes desse lance duvidoso foi cometido pelo Feghouli do Gala sobre o Rúben Dias por grosseiro empurrão dentro da área e ao qual o árbitro, bem perto do lance, fez vista grossa?
Não! Aqui, já sabemos que para a gajada do “record” “no passa nada”!
Então o penalty também não dá que falar, pelo menos em Portugal? E logo aqui, mesmo à mão de semear, no próprio país?

Mas é assim que o jornaleco do Toninho & Bernardeco se comporta perante os sucessos do Benfica.

Curioso, sugestivo e amoroso também um dos títulos sobre a eliminação do lagartêdo:
- “O adeus dos leões à Liga Europa”.

Eu imagino o que apareceria se tivesse sido o Benfica eliminado!
No mínimo seria “Benfica despejado da Liga Europa”, como em tempos, semelhante dito foi vomitado por uma alimária de nome “rita” numa das tv’s indígenas…

O que o jornaleco fez ontem e hoje ao Benfica e que tem sido uma constante há muito tempo, é de uma canalhice inenarrável e de uma desonestidade intelectual inqualificável.

Por mim, o meu desejo, é que aquilo vá tudo por os ares!


GRÃO VASCO


20.2.19

O druída aterrou na Inbicta…



Panoramix na Inbicta?

Perguntem ao César Boaventura que ele explica-vos tudo muito bem explicadinho…

https://hugogil.pt/cesar-boaventura-o-marega-foi-ao-dubai-ser-tratado-pelo-fiseutrapeuta-atraves-do-medicamento-infiltrado-meldonium/

GRÃO VASCO


18.2.19

Nuno Almeida, “o calhambeque do macaco”



Desde a invasão ao Centro de Treinos da Maia e das graves ameaças feitas por marginais afectos ao grémio corrupto e aos superdragões ocorridas em Janeiro de 2017, que os árbitros nunca mais tiveram descanso. O clima de pressão, coacção e medo ao longo de todo este tempo, criado das mais diversas formas, tem adensado brutalmente a desconfiança que tal como no tempo do Apito Dourado cai como um anátema sobre todos os árbitros. Para ajudar a este festim, o Conselho de Arbitragem não hesita em dar claros sinais de parcialidade e falta de isenção, começando por esconder as classificações dos árbitros não as divulgando, nomeando cirurgicamente alguns deles – que são sempre os mesmos -  para os jogos em que o grémio da fruta pode, numa maior probabilidade perder pontos e por fim, escolhendo para a maioria dos restantes jogos desse grémio árbitros da AFPorto.
E no VAR?
Aqui é que nem vale a pena mexer!
Ontem foi Rui Oliveira o “malabarista” que no jogo grémio da fruta-Feirense anulou um golo, por sinal bem invalidado, mas acatando as ordens do VAR, Vasco Santos, e indo ver o vídeo – isto é de bradar aos céus - acabou por validá-lo, quando saltou à evidência que tinha sido efectivamente ilegal. E ontem, decerto que foi “arrear o calhau” duas vezes à retrete portátil do espaço do VAR, nos momentos dos dois lances para penalty a favor do sadinos, tal era a diarreia visual e mental…
Fede!

Fontelas Gomes e sus muchachos já nem disfarçam. É à bruta!
Nomeações que podem causar suspeições? Querem eles lá saber…

Mas naquele dia de Janeiro de 2017 a invasão e as ameaças foram somente a parte visível e mediática de um plano bem mais extenso, urdido maquiavelicamente e que tem origem no sinistro submundo da Inbicta.
Não foi por acaso que passadas umas poucas horas apareceu o macaco da Ribeira – o cabecilha maior da claque de marginais e criminosos que impunemente se passeia há anos nessa cidade, um símio perigoso que há muito deveria estar enjaulado numa prisão de alta segurança – dentro da sua viatura, próximo do Centro de Treinos a ser assediado pela trupe de repórteres das TV’s e a ser confrontado com a ocorrência, tentando sacudir a água do capote, mas ao mesmo tempo deixando no ar insinuações e ameaças a todos os árbitros e como sempre, assestando a metralha no seu inimigo figadal que ele elegeu há muito – o Benfica.
E tudo isto vem a propósito, para relembrar aos mais esquecidos o que ele disse nesses momentos. “Que todos os clubes são prejudicados e que só um é beneficiado, o Benfica. Que qualquer dia podia acontecer uma tragédia. E que o ferrari vermelho era o Nuno Almeida”.
A realidade é que a partir desse momento em que esse energúmeno, com a conivência das TV’s, ávidas de sangue, fez estas ameaças e referências, Nuno Almeida e todos os outros árbitros, especialmente os de élite nunca mais foram o que tinham sido desde a queda do Apito Dourado. A coragem desapareceu para dar lugar ao MEDO!
E no caso de Nuno Almeida, apelidado nesse momento de ferrari vermelho pelo macaco ribeirinho, logo num ápice este o transformou num calhambeque azul e branco carburando e apitando em modo fruta. Ao símio, só faltou colar na porta da cabine dos árbitros do antro corrupto, um cartaz semelhante ao que encima o post.

Mas também já nada detém o imparável Fontelas Gomes. Grémio da fruta à rasca? Sérgio carroceiro do Freixo em palpos de aranha para despromover Pepe por pressão de Filipe e sentindo-se acossado pela Moirama Vermelha? Mastim Gonçalbes a perder o pé e a levar suspensões pela orelhas abaixo?
Isso resolve-se com a terapêutica habitual – Nuno Almeida nomeado para o antro da corrupção e volta tudo a ser um descanso. É pontuação máxima garantida! E atenção àqueles campos onde a Moirama vai combater… seja a norte, seja a sul…
Aí mais árbitros da AFPorto ou claramente conotados com o lagartêdo, tais como Veríssimo, Miguel, Godinho ou Tiago estarão de prevenção e sempre prontos para o que der e vier!

Enfim, se o caminho da liga indígena continuar a ser este, muito dificilmente, ou melhor, será quase impossível o Benfica conseguir atingir e manter até ao final da competição a posição de líder que a acontecer lhe dará o ceptro de campeão.

Nota:
Entretanto pode-se ir vendo o que é o mundo perigoso dos superdragões.
https://www.youtube.com/watch?v=V73VPOXvK7o


GRÃO VASCO



15.2.19

O Benfica, os “turcos” da sport tv e de outras tv’s




Nem quero saber os nomes dos dois “turcos” da sport tv que comentaram e relataram o jogo entre o Benfica e o Galatasaray que decorreu ontem em Istambul. As canalhices e filhas-da-putice verbais foram tantas que mais pareciam dois locutores da Galatasaray TV exportados para a Turquia pelo grémio corrupto da Palermo portuguesa.
Quanto mais esta dupla de sabujos dizia mal da equipa do Benfica e da sua exibição, quanto mais cantava loas ao sarrafeiro Fernando e à sua passagem pelo grémio da fruta da Palermo portuguesa, mais aqueles bravos e virtuosos rapazes de Águia ao peito, desta vez equipados alternativamente de branco, jogavam como gente grande.

Nenhum daqueles dois miseráveis anti-Benfiquistas se preocupou com a manhosice trauliteira e premeditada do brasileiro, ex-grémio da fruta, conforme eles tanto vincaram nos seus comentários, idolatrando-o como se fosse um suprassumo do futebol. Fernando está longe, mas as informações chegam-lhe depressa e os “pisões” preconizados pelo morcão jorge andrade decerto que não lhe passaram despercebidos. A preocupação de intimidar muito cedo João Félix com uma “patada à porto” era tanta, que ocorreu muito cedo e tão à descarada que levou de imediato com o amarelo naquelas beiças morconas e nem sequer joga na 2ª mão em Lisboa. Uma chatice para os “turcos” da sport tv, mas o suficiente para acalmar os ímpetos do brasileiro. E não foi expulso porque o árbitro espanhol condescendeu, mesmo a acabar o desafio com mais uma patada dessa besta que quase ia esterilizando o Félix ao ferrar-lhe uma pisadela na tomatada.

Depois veio o penalty a favor do Benfica e as estórias do costume. Blá, blá blá, blá, blá, pardais ao ninho… e tomem lá nas vossas peidolas a encavadela do Salvio. Aquilo estava mesmo a correr mal… não só para o Galatasaray mas também para os “turcos” da sport tv.

Na pastelaria/café onde assistia à transmissão, o ruído de fundo só permitia a audição dos comentários a espaços, mas a berraria e o entusiasmo com que um dos “turcos” relatou o golo do Galatasaray foram absolutamente vergonhosos. Uma filha-da-putice inenarrável.
Mas foi noite aziaga para esses dois miseráveis. Seferovic resolveu encavá-los de vez e assim terminou o desejo de verem o Benfica derrotado. A “pornografia” anti-Benfica na sport tv está cada vez mais badalhoca.

A azia desta estação de desporto propagou-se como uma praga. Na SIC Notícias, apresentou-se um par de anti-Benfiquistas que se a estação tivesse um pouco de decoro já os tinha despachado de vez de comentadores. Mas não. O pedro candeias e o ribeiro cristóvão continuam a fazer figuras tão tristes que já ninguém, mesmo os seus apaniguados, acreditam no que dizem. Um, o candeias pelo comportamento indecente que tem tido no jornal Expresso em relação ao Benfica – com insinuações, suspeições e mentiras constantes – já nem sequer deveria estar no programa e o cristóvão se tivesse alguma lucidez já teria comprado uma manta do Sabugueiro, sentar-se-ia ao borralho a aquecer as tíbias e enfiaria uma fralda na cabeça porque aquilo é só diarreia mental. Este desgraçado não sabendo o que dizer até chegou ao ponto de falar na potencial “falsa modéstia” de Bruno Lage. Nesse momento imaginei-o com centenas de moscas à sua volta com ele a tentar enxotá-las com o rabo. Ridículo!

A RTP, como de costume quando o Benfica ganha, usa de um certo tipo de artimanhas que só engana o espectador incauto, tentando sempre desvalorizar e esconder os êxitos do Glorioso. Com a agravante desta semana o grémio da fruta ter perdido na terça-feira e ter feito uma exibição medíocre. Hoje, no Jornal da Tarde transmitido dos estúdios da Inbicta salientaram a derrota do lagartêdo, às 13h e 50’, dando-a como notícia desportiva de entrada. Deixaram passar o intervalo e somente por volta das 14 h e 02’ é que apareceu a notícia sobre o jogo de Istambul, e de uma forma canalha e mesquinha juntaram o Benfica ao pacote de jogos da Europa League, não dando o destaque devido à exibição, resultado e evidência dos jovens do Benfica que fizeram uma estreia auspiciosa na Europa do futebol.
Esta noite, já dos estúdios de Lisboa, voltaram a noticiar a derrota do lagartêdo, esquecendo totalmente a vitória do Benfica na Turquia.
Canalhices sobre canalhices de uma corja esverdeada que abunda a sul, no chafurdo desportivo da TV do Estado.

E dizia o morcão do comentador sobre o jogo de Istambul, no Jornal da Tarde logo no início da curta reportagem e curiosamente também, logo em relação ao penalty marcado a favor do Benfica contra o Galatasaray – “Passadeira estendida para seis alterações no onze do Benfica, o árbitro entendeu que Marcão tocou a bola com o braço dentro da área, penalty para o Benfica…”.
O árbitro “entendeu”?
Mas que bandalheira é esta?
Já sei, já sei. Se fosse o grémio da fruta, em vez de “o árbitro entendeu”, o comentador diria “Marcão corta inadvertidamente a bola com o braço e o árbitro marca penalty indiscutível”.

Os Benfiquistas que trabalham nestas empresas e nas respectivas redacções, e não só, têm obrigação moral de denunciar estes constantes atropelos à seriedade e à deontologia jornalística.


GRÃO VASCO



12.2.19

O trauma antiBenfiquista dos dois dígitos.




As putéfias e as falsas virgens jornalísticas, as cUmentadeiras e demais paineleiragem televisiva cá do burgo, afectas ao anti-Benfica, saíram à rua e indignadas rasgaram as suas vestes, rebentaram com os elásticos dos soutiens, esburacaram as cuecas e gritaram por aquilo que escreveram a marcador azul e verde, eles nas nádegas e elas sobre as suas asquerosas mamas:
- Ganhar por dois dígitos é uma ofensa ao futebol! “Je suis “Costinha”, “Nous sommes Nacional”! Nous sommes anti-Benfica!

A escumalha sentiu-se acossada. Berraram “ó da guarda”, “que assim não pode ser”, como se tivessem sofrido uma mutilação genital ou uma sodomia prolongada e dolorosa. Sem bàselina, como soe dizer-se na Palermo portuguesa. Mas se não foi isso que aconteceu, virtualmente andou lá muito próximo. Foi capadura geral neles, com elas a recorrer ao hallibut para se sentarem convenientemente, futebolisticamente falando…

O Benfica, os seus jogadores e o seu treinador fizeram o que têm sempre que fazer. Como profissionais respeitaram o adversário até ao fim do jogo. Jogaram o que lhes competia sem apoucarem ou denegrirem ninguém e ganharam como devem ganhar sempre.
O gesto de apoio e conforto aos jogadores do Nacional definiu a grandeza de todos os Benfiquistas. As declarações pós-jogo de Pizzi e Lage mostraram respeito, elevação e urbanidade por quem perdeu.
A derrota para os nacionalistas foi pesada e destroçou-os emocionalmente, mas nada significa no futuro. Não serão melhores ou piores do que já eram. Amanhã serão os mesmos, a sua dignidade e seriedade é intocável e para todos os efeitos a equipa só terá perdido os três pontos.

Porventura se a derrota tivesse sido por 1-0, lá viriam as ladaínhas jornalísticas do costume, mas de sinal contrário. O Benfica teria ganho “à rasca”, com a ajuda dos famigerados ferraris, o Ferro teria tremido como varas verdes, o Krovinovic ainda estaria muito ferrugento e o Florentino teria andado no meio-campo aos papéis. A Luz ficaria inquieta e a homenagem ao Chalana teria sido um fiasco.
Pois, pois, lá tiveram que engolir em seco, de arengar piedades e misericórdias para o futebol português balbuciando vergonhosamente que cada vez mais é visível um fosso entre o Benfica e os outros.

Agora que a Moirama Vermelha já se encontra entre as ameias das muralhas inimigas, agora que o perigo de derrocada dos morcões azuis e broncos é eminente, agora que a corja corrupta começa a sentir no cachaço o bafo perturbador do Grande Satã Vermelho da Mouraria é que aparecem o habitual bando de marialvas e umas putas de umas carpideiras clamando pela dignificação do futebol e tentando proibir as goleadas e as grandes exibições.
Enquanto o forrobodó de goleadas, jornadas e mais jornadas de invencibilidade, vitórias sucessivas do grémio da fruta a norte e da desejada retoma do lagartêdo da nova era a sul, duraram, ninguém se preocupava com fossos ou com o que quer que fosse. Veio o Benfica dar dez e “aqui d’el rei” que o futebol português está uma lástima!

Perante este alvoroço, ao fundo da rua ainda vislumbrei o Simões da perna fanfa e a Sofia vereadora das gaffes de braço dado a dar uma entrevista ao record do Toninho & Bernardeco. Ambos preparavam-se para discursar no comício que estava prestes a começar cuja tema era, “Como ajudar o Benfica a não dar cabazadas e a ganhar à rasquinha”.
Ai se o ridículo matasse…

NOTA: Costinha, como agente do futebol tem o que merece. Os Benfiquistas, em circunstância alguma, nunca devem ou deverão ter qualquer tipo de contemplações ou tolerância para com ele. Levou dez, deveria ter levado o dobro!

GRÃO VASCO



9.2.19

Da arruaça ao monco caído…

De monco caído…


Da arruaça…


Os labregos azuis e broncos em todo o seu esplendor. O paradigma do país boçal. Primeiro a arruaça, depois o monco caído. Até as pedras da calçada choraram, os cães ladraram e os gatos miaram. A bazófia e as provocações habituais desembocam muitas vezes neste ridículo espectáculo. Pela boca morre o peixe. Contumil vive momentos de pavor com a perigosa aproximação da Moirama Vermelha. O pânico era indisfarçável nas declarações pós-jogo. Para eles, no pretérito domingo, Guimarães versus Alvalade seria com toda a certeza mais uma lufada de ar fresco na mentirosa e destacada vantagem que pressupunham vir a ter. Em tom provocatório e canino, ninguém ficava chateado se o lagartêdo ganhasse, a começar pelo carroceiro do Freixo. A realidade foi outra e já no final do jogo com o Vitória a arruaça instalou-se. Tinham falhado o assalto ao Castelo e os Diabos Vermelhos deram baile em Alvalade. Lançaram-se ao Rui Costa lá do burgo e zumba, catrapumba, apontaram-lhe de dedo em riste, responsabilidades e culpas como é habitual quando perdem pontos, debitaram raios e coriscos e por pouco que não o responsabilizavam pela lesão do maliano Marega – um poço de força que faz mais num jogo do que a sua equipa toda junta.

Ontem partiram para Moreira de Cónegos à espera que alguma missa celebrada pelo papa da Palermo portuguesa pudesse dar aquele empurrão divino. Tudo se conjugava nesse sentido. Fontelas Gomes a nomear, Jorge Sousa a apitar e Luís Ferreira a VAR. Os acólitos, durante a semana e segundo as “más-línguas”, desdobraram-se em contactos diplomáticos. Não era má ideia optar pelas práticas surreais adoptadas na época passada no Estoril. A boataria, com uma boa dose de veracidade à mistura, corria célere e até ao soar do gongo tive mesmo receio de alguma fífia despropositada e que algum cónego de Moreira fosse dizer amén com a padralhada de Contumil.  Não obstante Sousa & Ferreira terem fechado totalmente os seus olhos a um penalty escandaloso de Militão sobre Arsénio aos 73’ e ainda antes do 1-0 dos da casa, a barraca total esteve para acontecer. Por fim e depois de Luís Ferreira num estertor final desesperado ter enviado Jorge Sousa para o vídeo na secreta esperança que ele pudesse marcar penalty contra os Cónegos e assim “oferecer” mais três pontos ao grémio da fruta, só aconteceu meia-barraca e um trombil do tamanho da Torre dos Clérigos. Ivo Vieira suspirou de alívio – felizmente não teve lá nenhum guarda-redes, nem defesa-lateral iguais àqueles que no Estoril-corruptos da época passada (o jogo mais comprido do futebol mundial) – ofereceram três golos à mafia contumiliana e lá conseguiu, ainda que muito a custo e aguentando 100’ inexplicáveis de jogo, um empate que em condições normais seria uma vitória inapelável e bem conseguida.

A SPORT TV continua a presentear-nos com transmissões, reportagens e comentários em que pintam todas as imagens e comentários de um azul e branco asqueroso.
Ontem, para desculparem o penalty sobre Arsénio, cometido por Militão aos 73’, que negaram e omitiram durante e no final da transmissão, foram ouvir as “escarretas” do apitadeiro contratado – um incompetente que foi despachado a toda a velocidade do quadro dos árbitros, de nome sérgio piscarreta?!? – e a preocupação daqueles bandalhos foi o lance, já fora de horas, perto da grande-área dos Cónegos, deixando no ar a insinuação de que poderia ter sido falta para penalty. Uma vergonha, uma desonestidade intelectual que coloca esta estação televisiva ao nível de uma lixeira pestilenta ao serviço da reles rataria contumiliana.
Com o grémio da fruta a perder, só faltou a Luís Freitas Tonto e ao seu comparsa de locução, equiparem-se cada um com a sua camisola azul e branca feita do tecido das barracas de praia do Canidêlo e entrar em campo para empurrar a bola para a baliza dos Cónegos. Foi no mínimo hilariante e ridícula a forma como ambos se expressavam, estando constantemente a dizer “agora o porto tem a derradeira chance, blá, blá, blá ,blá”, pelo menos durante os quase 10’ extra com que Sousa massacrou o Moreirense na esperança que o D. Sebastião da Ribeira de Palermo com o macaco pela mão surgisse de qualquer banco de nevoeiro e viesse ainda dar os três pontos aos de Contumil.
O destino quis que não acontecesse assim.
Hoje é servido nas cantinas do Freixo e nos botecos de Contumil trombil cozido à moda conventual de Moreira de Cónegos.

No próximo jogo do grémio da fruta, Fontelas Gomes vai nomear como árbitro principal chico marques pirrolhas "barba azeda" (porto canal), árbitros-auxiliares, o pastelão de Contumil, manuel queirós (tbi 24) e o malandro de urinol, miguel guedes (sic n), 4º árbitro aníbal pinto (cmtv), VAR manuel serrão (tbi 24) e ajudante de VAR, pedro marques lopes (a bola). Para o policiamento sousa tavares (a bola) e o sargento jorge amaral (cmtv).

Tem a palavra amanhã, o Benfica.

GRÃO VASCO



8.2.19

Mas que boas encomendas para logo em Moreira de Cónegos!


A esta farsa de nomeações sobre nomeações de árbitros da AFPorto, para os jogos do grémio da fruta sempre ou quase sempre com um histórico de benefícios ao dito cujo e que têm sido autênticos escândalos, juntando os disparates do carroceiro do Freixo sobre os árbitros que segundo ele, necessitam de mais protecção para depois lhes chamar tudo e mais alguma coisa durante os jogos, vem confirmar que os donos dos títeres do futebol querem de todas as formas que esse grémio continue na frente da classificação do campeonato e se possível vencê-lo.

- Ó Sousa, para além do apito bondoso leva também no bolso uns pacotes de bicarbonato de sódio para aliviares a azia àquele desbocado, se o dito cujo lançar raios e coriscos para cima de ti!
E não te esqueças. Lá em cima, na Palermo portuguesa, está tudo à espera de “uma boa arbitragem”!

GRÃO VASCO

7.2.19

O alvo a abater



A alcateia uivou de raiva.
Os grunhos roncaram como bestas enfurecidas.

João Félix durante o jogo de ontem foi massacrado por uma pandilha de selvagens. No campo e nas televisões. Uma vergonha!

A RTP e outras estações continuam na sua sanha acanalhada, persecutória, premeditada. Tudo o que soe a Benfica é para bater, para deitar abaixo, para arriar sem misericórdia. Ah! E João Félix não é filho de bananeira, não é madeirense, nem sportinguista, claro!
Os quatro estarolas da RTP, quatro cretinos que bolçam anti-Benfiquismo por todos os poros aguardavam qualquer ocasião propícia para apoucar, criticar e denegrir João Félix.

Para constatar o que aqueles tristes ressaibiados – todos lagartos ferrenhos, estúpidos e presunçosos – iriam debitar, deixei o som fluir.
Primeiro queria ouvir o vulcão da Luz. Rugiu duas vezes. Poderiam ter sido três ou quatro. Queria sentir as emoções de um desafio intenso. E só depois perscrutar as parvoíces em catadupa de Tadeia, Albuquerque, Santos & Mendonça mais conhecido pelo Bando dos Quatro Estarolas da RTP lagarta.

Alexandre Albuquerque, conhecido nos mentideiros futeboleiros por Albochechas, “O Beiça Rachada”, chegou ao ponto de se meter com o catraio por ele se insurgir através de contínuos protestos contra o arraial de porrada que estava a levar com a complacência miserável de Luís Godinho, o principal responsável pela violência que campeou durante o jogo, promovida especialmente pelo banco, defesas e bruno fernandes, tudo do sporting. Para este locutor cretino a cereja no topo do bolo seria Félix ver o cartão vermelho. E as piruetas que ele deu para induzir na audiência esse desejo mórbido. O pascácio chegou ao cúmulo, mesmo no final do desafio, de embirrar com a cabeça do Svilar por ela ter embatido faltosamente nos pitons do diaby lagarto. Quando este levou o amarelo todo o mundo se riu da parcialidade e ridicularia do Albochechas. Um palhaço rafeiro. Tadeia, como habitualmente a cagar e a tossir, naquele tom monocórdico, a ver em que paravam as modas, acagaçado que estava de poder ver o seu clube de coração na eminência de outra goleada. Santos, o tal que em tempos foi mandado à merda por Enzo, lá enviava às vezes em modo repórter uns faxes tímidos do relvado e umas bufas surdas recolhidas no banco lagarto e que ninguém entendia. E o Mendonça, com aquele arzinho que se lhe conhece, só lhe faltou uma pasteleira com campainha e guarda-lamas para sprintar até Al Cacete à procura dos oito pontos que perdeu pelo caminho.
Mas o que mais gostei nestes primatas foi a obrigatoriedade de mandarem os habituais berros nos golos do Benfica. É o que me dá mais gozo. Vê-los a engolir as fanfarronices de circunstância e a digerir mal mais uma derrota!

Por fim referenciar duas bestas ao quadrado. É mandatório que os jorges andrades, manuéis fernandes e quejandos do mundo da bola sejam avisados das suas responsabilidades morais perante as declarações que fazem.
Que estejam desvairados é lá com eles. Extravasarem as suas tendências quando se lhes pede isenção, e os modos como o fizeram com João Félix, raia a canalhice e a maldade.

GRÃO VASCO



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...