31.1.12

As dejecções de Paixão


 A “nortada” vinda de Barcelos soprou forte. Hoje, passou pelo pasquim do Serpa e trouxe consigo uma mescla de irracionalidade e cegueira reflectidas num azedume a raiar o insulto baixo e fácil e de uma vileza nunca antes vista.

Ao observar pela manhã a capa do dito pasquim na sua edição on line, despertou-me curiosidade o título sob a foto de um escrevinhador-copista afecto ao grémio da fruta e dos chocolatinhos. Durante a tarde dirigi-me ao quiosque habitual para tentar ler (de borla, pois claro!) com a devida autorização do dono a edição de hoje.

Após desfolhar inúmeras páginas sem interesse, o que na realidade me despertou a atenção, foi o facto de ser absolutamente necessário que a mais recente aquisição do Benfica recorra, logo que possa, à barbearia mais próxima para desmontar aquele autêntico ninho de cucos piloso que traz em cima da cabeça, pois aquilo afectar-lhe-á a visão nas jogadas de combinação com os outros avançados do Benfica. Por fim, cheguei à antepenúltima página da publicação apasquinada.

De imediato senti algumas náuseas, tal era o cheiro nauseabundo que dimanava do papel. Mirei a página e só consegui descortinar a palavra “nortada” e “paixão”. Tudo o resto estava atascado de dejectos humanos. A badalhoquice transbordava por todos os cantos da página. Pelos títulos, pensei que todo aquele arrazoado não passasse de mais uma aventura de ficção plagiada ou copiada. Não, não era! Seria um romance? Não, também não era.

Enojado com aquela imundície, perguntei ao homem do quiosque, o sr. Óscar, um benfiquista dos quatro costados, o que é que tinha acontecido ao pasquim.

Com alguma ironia respondeu:
- “Olhe, isso foi o Paixão que limpou o cu à página!
- “Não consegue ler a página, é?” - perguntou logo outra vez o homem.

- “Eu não, não consigo. Só vejo aqui a um canto as palavras Miguel e Vítor, para além dos títulos! – respondi-lhe estupefacto.

- “Pois é! É que antes disso o Paixão cagou nesses dois!” – continuou ele, rindo-se.

- “Por isso é que para Giorgio “ O Madaleno”, estes gajos são uns heróis, não é sr. Óscar?” – dizia-lhe eu em tom de gozo.

- “Ora nem mais, é isso mesmo!”

Fechei o pasquim, despedi-me e vim desinfectar-me para casa.


GRÃO VASCO

3 comentários:

Manuel disse...

LOLOL!!!

Divinal!!!!

GuachosVermelhos disse...

Não levas a mal Gão Vasco, mas até aqui se sente o fedor...
Lava as mãos com álcool!

Águia Eterna disse...

Gloriosíssimo GRÃO VASCO, de facto tens toda a razão. Hoje até ia comprar esse pasquim por causa da capa dar destaque ao YANICK DJALÓ, mas de facto quando peguei no dito cujo, apercbi-me do cheiro nauseabundo e repelente que dali emanava, o que me levou de imediato a DESISTIR da compra levando em seu lugar uma embalagem de chiclets.
Olha, PUTA que o pariu - ou tê-lo-á DEFECADO - esse andrade galego de 45ª categoria, plagiador compulsivo de romances para idiotas de nome miguel sousa LIXÍVIA tavares.
Se a mentira e a hipocrisia fossem dinheiro, esse CRÁPULA, mais o guilherme alguidar, o dias ferreira, o oliveira costa, o miguel guedes, o godinho lopes, enfim todos esses seres repelentes com o dono deles à cabeça, esse corrupto mor bimbo da bosta, sriam de certeza absoluta os "homens" mais ricos do Planeta.
Como felizmente não é assim, o que eles são é a PIOR ESCUMALHA que este tão belo Planeta alguma vez produziu em 4.500.000.000 de existência.
Para esses ATRASADOS MENTAIS, milhões de triliões de vezes pior do que o que eles desejam para o Nosso Eterno e Inigualável SPORT LISBOA E BENFICA.
Um abraço para todos os que verdadeiramente AMAM e DEFENDEM o Nosso BENFICA.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...