4.3.13

Derrota “à campeão”


 

 

Caros e Gloriosos Companheiros.

 

Desenganem-se os pseudoegos da sapiência, os justiceiros da glória balofa, os puristas da hipocrisia, a quadrilha do bota-abaixo, os pretensiosos de águia ao peito, os feirantes das vaidades da Luz, a vampiragem habitual. Neste post não irei falar do Benfica. Deixo essa tarefa para as alimárias que concorrem na blogosfera Benfiquista e que desde ontem, findo o jogo de Aveiro, assumiram esse servicinho, como qualquer cangalheiro se encarrega de um funeral…

E assim, passou-se de uma vitória muito suada, difícil e calculista, para aquilo que as bestas masoquistas que pululam desalmadamente em redor do Glorioso tanto gostam de evidenciar – uma má exibição, sem garra nem estofo de campeão.

 

A treta do costume de uma corja de bardamerdas que não consegue enxergar um palmo à frente dos olhos. É por causa destes, de muitos desgobernes, searas, conanas e quejandos que pulhas como guedes, serrões, aguiares, tavares, moreiras e queirozes fazem o que fazem nas pantalhas caseiras, nos microfones das rádios e nas colunas da pasquinada.

 

Mal estaria o Benfica, se todos aqueles que ontem, no estádio municipal de Aveiro foram incansáveis no apoio à equipa do Benfica e consequentemente aos seus jogadores e muitos outros que seguiram o jogo pela televisão ou pelas estações radiofónicas tivessem pós-jogo essas atitudes de crítica acerba e malhação desvairada e injusta. Corja deste calibre, decididamente não! Vade retro satanás!

 

Por tudo isto, o que começo por dizer sobre o desafio de ontem, é que os jogadores do Beira-Mar causaram-me espanto e admiração. Jogassem sempre assim, e pediriam meças no antro da pocilga do Freixo a qualquer equipa corrupta mesmo reforçada com Soares Dias, Benquerença, Sousa ou Proença e derrotariam sem espinhas, qualquer Bayer Leverkusen por 5 a 0!

E o que eles correram, minha nossa!

Pareciam mesmo estar numa maratona olímpica em constante aceleração, em busca de uma mala perdida a abarrotar de notas de quinhentos euros!

E aquela força, aquela determinação daquelas camisolas côr amarelo-caril-da-Póvoa!

Que elixir! Que coisa mais fantástica!

 

Findo o jogo, abrandei um pouco naquela ansiedade de pràticamente noventa minutos e olhei para a tabela classificativa onde pude confirmar o estofo europeu dos aveirenses.

1º lugar!

E …e o meu Benfica?

Como? Os vermelhos em último? Como é que isso pode ser?

Nesse instante, aparece o meu herdeiro mais novo, dizendo:

- “Pai, esqueceste-te dos teus óculos na cozinha. Estás com a tabela classificativa de pernas-para-o-ar!”.

Ao que lhe respondi:

- “Obrigado, meu filho! Até já estava a ver um novo Arsène Wenger, de fato “à ministro”, com um bronzeado esquisito e de carapinha, em pé, dentro de um moliceiro… gritando:

- “Fomos superiores ao Benfica em quase tudo!”.

 

Então, mas afinal, quem é que ganhou?

Ah! Pois… sim… é verdade, foi o Benfica.

Então, e as duas oportunidades do Lima e aquela incrível do Óscar, não foram ontem em Aveiro e na baliza do Beira-Mar?

Ah! Pois… houve qualquer confusão com o Tozé Marreco…

 

Ok!

Foi uma vitória suada e difícil. Uma vitória de campeonato. Muito duro e longo, mas também falso e tremendo por vicissitudes várias. Não se esqueçam, Companheiros, que a partir de ontem à noite, Benquerenças, Proenças, Artures, Xistras, Sousas e demais malabaristas já ficaram de prevenção para as próximas etapas.

 

O Benfica está no topo, isolado.

O que é que a “gajada” quer mais?

 

Defendam-no! Com unhas e dentes!


 


GRÃO VASCO


12 comentários:

BENFIQUISTA DO CORAÇÃO disse...

ASSINO POR BAIXO

Anónimo disse...

Excelente!

"É por causa destes, de muitos desgobernes, searas, conanas e quejandos que pulhas como guedes, serrões, aguiares, tavares, moreiras e queirozes fazem o que fazem nas pantalhas caseiras, nos microfones das rádios e nas colunas da pasquinada"

São os mesmos que exigem isenção aos comentadores de um canal de Clube a Benfica TV.
A par da corrupção que controla todos os aspectos do futebol português, anda este modo de estar que transforma alguns Benfiquistas em perfeitos imbecis. São sem duvida os melhores aliados.
Os corruptos usam-nos como rodos e esfregonas na limpeza que todos os anos é feita da fossa séptica que é o miserável futebol local. No fim, ano após ano, tudo brilha e os rodos são dispensados para as tarefas de conspurcarem a pré-epoca do Benfica.
Roda o baile e começa de novo, que as esfregonas estão prontas a servir!

Egozinhos de tão inchados, tão manipuláveis!


T disse...

Em cheio, mais nada!

Daniel disse...

Concordo com o texto, mas na minha opinião o Benfica devia ter procurado o 2.º golo e depois tentar controlar o jogo (como fez). Defender o jogo pela margem mínima, pode dar mau resultado. O Artur salvou um golo certo nos últimos minutos. Tínhamos perdido 2 pontos contra o beira-mar, quando temos equipa para jogar mais e melhor. Afinal 7 jogadores descansaram na quarta-feira para que? Carrega Benfica!!!

Anónimo disse...

Carissimo Grão Vasco,

fui só eu que ouvi o JJ a dizer que contra o Benfica estas equipas fazem o jogo da vida delas? Ele disse mais, disse que já esteve do outro lado e sabe muito bem como as coisas se passam. Para bom entendedor meia palavra basta e quem acompanha o futeluso neste últimos 30 anos sabem muito bem o que ele quis dizer. Voltem a ouvir a flash-interview e a conferência de imprensa e depois tirem as vossas ilações.
Saudações Benfiquistas, rumo ao 33º.

V. Branco disse...

E Fevereiro já lá vai...
E nós lá em cima, e sozinhos!
Obrigado Benfica, jogadores e treinador! È que parece que habituaram mal os adeptos e exigem mais e mais, nunca estão satisfeitos, se são 3, deviam ser 6, se só marcamos 1 é uma miséria!
Enfim, uns unem-se, apoiam, cerram os dentes, celebram cada golo, cada vitória. Outros criticam, apupam, exigem ilimitadamente. Se o desfecho é incerto lá Maio, o caminho até lá é escolha de cada um.
O meu é a gritar pelo Benfica, a pular a cada golo, a celebrar as pequenas conquistas.

benfiquista do coração disse...

Pinto da Costa insultado na tribuna
Bronca na tribuna de Alvalade quase passou a confronto físico.Pinto da Costa insultado por Paulo de Abreu.

O clássico de Alvalade da 21.ª jornada ainda está a dar que falar. O jogo terminou 0-0 e abriu as portas à liderança do Benfica. O FC Porto não conseguiu materializar o seu domínio frente a um Sporting que podia, em duas ocasiões distintas, passar para a frente do marcador.
Mas o que está a dar que falar na imprensa desportiva não são os golos que Wolfswinkel falhou ou o "apagão" de Jackson Martínez frente à baliza de Rui Patrício mas sim os incidentes ocorridos durante o jogo na tribunal presidencial de Alvalade, onde assistiram ao jogo vários dirigentes dos dois clubes.
De acordo com várias testemunhas, uma troca de insultos entre Paulo de Abreu, antigo dirigente do Sporting, e Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, quase chegou à esfera do confronto físico. Tudo terá começado quando Paulo de Abreu contestou a expulsão de Rojo, aos 78' minutos de jogo, e a poucos metros de Pinto da Costa afirmou: «Com este sistema e estas arbitragens não vamos a lado nenhum», ao que dirigente portista terá respondido: «Você está a dizer isto aqui, mas se fosse lá no Porto não dizia nada. A si já o conheço de ginjeira». O antigo dirigente do Sporting reagiu mal às afirmações de Pinto da Costa e terá dito que «se quiser, lá fora digo-lhe tudo. É natural que me conheça, já uma vez lhe chamei palhaço».
E com esta acusação, instalou-se uma grande confusão na tribuna presidencial do Sporting com Reinaldo Teles a reagir às palavras de Paulo de Abreu e Godinho Lopes a ter te intervir para segurar o dirigente portista. Os ânimos acalmaram com a saída dos dirigentes portistas e Paulo de Abreu já admitiu que se terá excedido nas palavras na tribuna de honra.

Conteúdo publicado por SportInforma

Manuel Oliveira disse...

Grandíssimo post companheiro Grão Vasco!
Vou publicitá-lo.

Abraço Glorioso.

Altino Torres Ferreira disse...

Que ganhámos e passámos para primeiro toda a gente sabe e que o caro autor deste post é um benfiquista fervoroso e que apoia sempre o clube também toda a gente sabe, embora eu jamais permita que se meçam benfiquismos, muitas vezes confundindo-se com sentires diferentes de ser e de viver o Benfica, o que por si só não pode ser tabela ou escala de "eu sou mais benfiquista do que tu". Por isso mesmo acho que o ilustre deveria ter um pouco mais de respeito e consideração por todos os benfiquistas que acham ter tido o clube que eles também amam a oportunidade de vencer o Beira-Mar com personalidade e nao com medo. E, já agora, tente não insultar aqueles que não têm feito mais nada do que manifestarem opiniões. Respeitosamente.

Ricardo/águia_livre disse...

Viva o Benfica, abaixo os derrotistas.

GRÃO VASCO disse...

Caríssimo Altino Torres Ferreira,

Congratulo-me em que o Caro Companheiro saiba que sou um Benfiquista fervoroso.

Tal como o Caro Companheiro, jamais - o “jamais” é da sua autoria, incluso no seu digníssimo comentário e é com prazer que o reescrevo – permito que alguém use o “benficómetro”.
Nesta matéria, ambos estaremos sempre de acordo.

Quanto ao respeito e consideração que tenho pelos Benfiquistas Autênticos (não aqueles que são mais, ou menos, medida que não faz parte, como já lhe disse, do meu sistema métrico de devoção ao Glorioso, pois nem sequer existe no meu léxico, nem na minha concepção de Benfiquismo) são e serão sempre para mim valores intocáveis.
Relativamente a esta parte do seu comentário, tenho obviamente de devolvê-la ao ilustre, na certeza de que procederá à competente revisão e correcção, pelo menos a nível do seu espírito e da sua mente, pois respeitando o seu Benfiquismo não lhe solicitarei sequer o favor de aqui se retractar sobre esta matéria.

Quanto à sua torpe tentativa – que espero não tenha sido nenhuma encomenda de algum dos visados - e não minha, de CONFUNDIR a defesa do Benfica, dos seus jogadores e restante staff que faço no post, com insultos àqueles que sistematicamente os denigrem e vilipendiam, nem sequer vou perder tempo, e no caso de ter tomado dores de outrem, pior ainda.

Vou repetir-lhe o que escrevi no post, pois admito que a sua interpretação não tenha sido a melhor:
- “A treta do costume de uma corja de bardamerdas que não consegue enxergar um palmo à frente dos olhos. É por causa destes, de muitos desgobernes, searas, conanas e quejandos que pulhas como guedes, serrões, aguiares, tavares, moreiras e queirozes fazem o que fazem nas pantalhas caseiras, nos microfones das rádios e nas colunas da pasquinada.
Mal estaria o Benfica, se todos aqueles que ontem, no estádio municipal de Aveiro foram incansáveis no apoio à equipa do Benfica e consequentemente aos seus jogadores e muitos outros que seguiram o jogo pela televisão ou pelas estações radiofónicas tivessem pós-jogo essas atitudes de crítica acerba e malhação desvairada e injusta. Corja deste calibre, decididamente não! Vade retro satanás!”

Mas lá que o texto foi para fazer doer, lá isso foi.

Saudações Gloriosas.
GRÃO VASCO

Bicadas de Aguia disse...

Fantástico post! Concordo a 100%, já cansa a conversa derrotista em certos blogs

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...