25.8.14

Um marco miserável


Não é o marco histórico que muitos quiseram fazer crer, nem o marco miliário das estradas romanas. É sim, o marco que já de algum tempo a esta parte tem vindo a usar e a abusar de uma prepotência tendenciosa, claramente e sempre em prejuízo do Benfica.

 

Neste início de campeonato, as nomeações para os dois jogos em que o Glorioso interveio foram cirúrgicas e provocadoras.

Vítor Pereira ultrapassou todas as marcas ao indicar Cosme Machado para a 1ª jornada na Luz, depois deste “artista” ter escamoteado numa época recente logo a abrir o campeonato, cinco penaltys ao Benfica num jogo com a Académica de Coimbra que acabámos por perder. Já quanto a esta 2ª jornada com a nomeação do apitadeiro madeirense e revendo sòmente o histórico do ano anterior – 3 jogos, uma vitória por 2-0 contra o lagartêdo para o campeonato na Luz, sem espinhas e sem hipóteses para habilidades, uma derrota por 1-0 contra os morcões corruptos para a Taça de Portugal e um empate com apuramento no desempate por penaltys também na pocilga de Palermo, mas desta vez para a Taça da Liga - já era certo e sabido que a tarefa benfiquista no Bessa, não obstante os boavisteiros apresentarem um conjunto de jogadores desconhecidos, iria apresentar-se com um grau de dificuldade elevado.

 

O Benfica mostrou equilíbrio, consistência, segurança e os seus jogadores muita, muita cabeça fria, especialmente para a aturar as provocações e parcialidades de marco ferreira.

 

Este apitadeiro, recém-promovido a internacional, um estatuto que lhe deveria conferir isenção absoluta nos jogos em que tem apitado o Benfica, teve ontem mais uma prestação deplorável. E só não conseguiu retirar os três pontos ao Glorioso, porque uma conjugação de factores, decorrentes do próprio jogo contribuiu para que isso não acontecesse.

 

Muito embora o controle do jogo tivesse sido sempre do Benfica, com os seus jogadores a apresentarem serenidade suficiente para aguentar as bastardices apitadeiras de marco, o facto é que a sucessão de faltas não assinaladas ao jogo trauliteiro dos boavisteiros (a falta sobre Talisca à entrada da área boavisteira é de gritos!), o penalty escamoteado ao Benfica por falta sobre Jara em que este ainda foi admoestado com o cartão amarelo e a marcação de faltas inexistentes dos defesas benfiquistas junto da área (então uma falta assinalada ao Maxi e uma outra ao Eliseu são de cabo de esquadra), indiciavam que marco ferreira estava ali para desempenhar muito bem a sua tarefa de levar o Benfica a perder pontos, já na 2ª jornada.

 

Mas quis o destino que assim não fosse com Eliseu, à segunda, a enfiar a bola nas redes adversárias tornando o jogo mais difícil para Petit & sus muchachos e para o apitadeiro, pois chegar à baliza de Artur foi sempre uma raridade, o que complicava ainda mais a tarefa tendenciosa de marco. Para cúmulo, o golo apareceu mesmo em cima do final do primeiro tempo o que ainda agravou mais as acções anti-Benfica.

 

Mas ainda faltavam 45 minutos e tudo poderia acontecer.

No entanto e por mais paradoxal que pareça, foi neste interlúdio que o jogo se definiu. E a definição foi dada em directo por Jorge Jesus, que com uma atitude de indignação pelo que se estava a passar no campo ganhou ali mesmo os três pontos que desejava.

Pagou caro por esta vitória, mas meteu marco ferreira em sentido, ao interpelá-lo veementemente à saída do recinto do jogo, aquando da entrada para o balneário. Fê-lo de uma forma vigorosa, demonstrando-lhe o seu desagrado. Foi claro, foi visto na TV e Lourenço Coelho não ficou atrás, corroborando o seu treinador. Esta situação, decerto que abanou o madeirense e “obrigou-o”, quanto mais não fosse, a reflectir na cabine sobre as bacoradas e os atropelos miseráveis ao Benfica durante o primeiro tempo.

Para finalizar esta sequência de “contrariedades”, o apitadeiro viu-se na inevitável contingência de ter de expulsar um boavisteiro que já tendo um amarelo, autoexcluiu-se com uma mão manhosa mas bem visível por todo o mundo, o que deixou marco ferreira sem alternativas. Dez contra onze e acabou!

Digo desde já, aqui, que não gostei das atitudes de Petit, mesmo muito antes do jogo. É legítimo que quisesse ganhar o jogo, mas seria de bom tom ter tido mais contenção verbal e gestual. Pelos vistos a sua memória é curta, mas ficar-lhe-ia bem se assim tivesse sido. Aplaudi-lo-ia e agradecer-lhe-ia a sua postura. Assim, o meu desejo é que ele e a sua equipa sejam recambiados o mais depressa possível para as divisões secundárias e que nunca de lá saiam.

 

Vieram logo as luminárias bastardas, muitas delas na blogosfera geracional, com tretas e baldretas sobre a exibição da equipa de milhões versus a equipa de tostões.

Bastardos. Cães.

O Benfica mereceu ganhar o jogo e o 1-0 mostra a diferença entre uma equipa que quis jogar futebol e uma outra que tentou evitar a derrota a todo o custo e com a ajuda de um fulano que ao abrigo da sua impunidade bem se esforçou para que o desastre benfiquista acontecesse. Metade da missão do Benfica foi cumprida. A outra, espero bem que se concretize na Luz na 2ª volta e que este grémio dos loureiros volte para onde nunca deveria ter saído. O seu regresso à 1ª divisão só se deve à mafia que está instalada há mais de trinta anos no futebol e foi a demonstração de uma révanche sobre quem teve a coragem e a honestidade de enviar há um bom par de anos atrás, um sem número de energúmenos do futebol para a sarjeta imunda que lamentavelmente o continua a empestar. A FPF, após a reocupação do poder pelo indefectível andrade das facturas, através de um conselho de justiça absolutamente moldado aos obscuros interesses e objectivos da Irmandade da Fruta, sita na Palermo portuguesa, foi a cara e a “besta negra” dessa “lavagem” inconcebível que foram o retorno asqueroso do grémio dos loureiros à 1ª divisão e a absolvição de um dos mais tenebrosos monstros do futebol, o inefável e irónico rei das bufas.

Uma canalhice inqualificável que ficará nos anais do futebol português como o branqueamento mais asqueroso jamais feito pela justiça futeboleira – conseguiram reabilitar os prevaricadores, os trapaceiros, os aldrabões e os bandidos, elevando-os a autênticos heróis e mártires, limpando os seus cadastros após os próprios terem aceite na altura as sentenças, confirmando assim os seus actos execráveis.  

 

Por tudo isto, vencer naquele antro seria fundamental. É certo que pouca gente se recorda desta pouca vergonha, mas alguns de nós, Benfiquistas, não sendo de memória fraca, sabemos que foi com o contributo deste grémio e dos seus mentores que o outro grémio corrupto da Palermo portuguesa foi subindo da forma como subiu. Sem esta muleta boavisteira e loureira teria sido impossível ao fruta corrupção & putêdo ter açambarcado corruptamente muitos dos títulos nacionais e outros.

 

Pouco me interessaria que o resultado fosse de 1-0 ou de 10-0, ou que a exibição do Benfica fosse frouxa ou soberba, de muito pouca qualidade ou de nota artística máxima. O que valeria mesmo seria ganhar e sair deste antro com os três pontos da praxe.

Estou satisfeito e ainda bem, pois irei dormir sossegado, muito particularmente após ouvir os cretinos das TV’s – rui santos, rodolfo, david borges e a sua habitual catrefada de filhas-das-putices. Se agora é a qualidade da equipa do Benfica que está posta em causa, depois será o poder físico, depois será sempre não sei que mais, blá, blá, blá, blá. Tudo serve para denegrir o Benfica e é lamentável como alguns indivíduos embarcam nestas conversas que revelam bem o ódio de estimação que sentem pelo Glorioso, pelo seu Presidente, dirigentes,  técnicos e jogadores.

 

Na próxima jornada iremos defrontar o lagartêdo, desfalcados de JJ no banco. No entanto, e ao invés do que se possa prever, esse facto será mais uma achega motivacional para que os nossos Bravos do Pelotão arregacem ainda mais as mangas e façam o que têm a fazer – derrotar a arrogância, a inveja, o insulto, a imbecilidade e a canalhice do grémio do fôsso que tem no seu principal pistoleiro o exemplo mais paradigmático.

 

Até lá!  

 

 


GRÃO VASCO


8 comentários:

Papoila Saltitante disse...

Bravo meu caro... post verdadeiramente espectacular.
Saudações.

benfica 365 disse...

Post extraordinário.
O meu conterrâneo assim que recebeu as insignias da "FIFIA" o ano passado só fez apitagens tendenciosas contra o nosso glorioso.
Vai inclinar o campo para as Desertas!

Carlos Antunes disse...

Muito bem escrito e ainda mais recheado de ideias precisas.

Obrigado!

Alma Encarnada disse...

Caro Grão Vasco

Parabéns. Extraordinário comentário. Do melhor que tenho lido. Na mouche em tudo e que vem ao encontro daquilo que penso e, estou certo, dos benfiquistas de alma e coração. Os bastardos, que se dizem benfiquistas, esses, não consigo nem quero imaginar o que lhes irá na alma por o Benfica ir somando pontos. raio que os foda.

Aquele abraço

ZÉ disse...

CONCORDO
E QUANTO AOS LEÕES

já ganharam o título da pré-época
agora vão à procura do segundo título

mas o título que interessa é o do final da época

mas confesso que estou preocupado com o bi
porque pelo andar da carruagem apintadeira....
já se começam a perceber muitas coisas

só nas duas primeiras jornadas
já deu para ver quem vai de colinho
e quem é o alvo a abater

Colinho:
um clube que leva 4 pontos poderia muito bem
levar só um. Bastaria que em coimbra fosse marcado um penalti
do tamanho da basilica da estrela
e que o apintadeiro amigo do último jogo
não desse um PROLONGAMENTO generoso
que muito raramente é dado, (nem em campeonatos do mundo)

quanto ao glorioso foi apintado
em duas jornadas sucessivas
por dois desniveladores

mas vamos ver as próximas jornadas

Anónimo disse...

que tal ensaboar esse boi preto com sabão de pau de marmeleiro ou então sabão de pau de chaparro; é do melhor que há para lavar a sujidade corrupta!

Luís Ferreira disse...

Grande texto :)
De resto, este Marco já não surpreende ninguém! E siga a primeira liga...

AB disse...

Um texto de leitura obrigatória: De que clube és tu, afinal?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...