5.11.15

Sherlock Holmes ia no vôo TK-1450!



Ontem, no pasquim do serpa dos croquetes, viemos a saber a verdadeira identidade do Sherlock Holmes português que seguia no vôo TK-1450 da Turkish Airlines. O seu nome é Paulo Montes, jornalista de “A BOLA” e enviado-especial ao jogo internacional da Champions League entre israelitas e morcões da Palermo portuguesa realizado também ontem, ao fim da tarde em Telavive, que num completo artigo na última página dessa edição, narra o que ele intitula pomposamente de “A verdadeira história do vôo TK-1450”. Como se esta versão em que mete “alegados”, “fontes próximas”, “sustos da tripulação”, “violência verbal” e “tensão no ar” tivessem sido os principais motivos para que o avião aterrasse de emergência em Roma, Itália.

 

Só ontem e por certo após aturada e minuciosa investigação por parte do dito jornalista, quiçá, tendo efectuado diligências junto de agentes dos serviços secretos turcos e italianos, assumindo-se um verdadeiro detective nas horas vagas, a sua conclusão sobre a ocorrência e o tumulto que se gerou a bordo do avião 737-800 que fazia a ligação entre o Porto e Telavive com escala em Istambul  - o vôo TK-1450 - foi publicada e claro está, apontando primeiramente o dedo à malandra da hospedeira que, chegando à fila 15 e querendo passar com o trolley de serviço, tocou com este nas delicadas pernas de um “cavalheiro” e que de uma forma “pouco simpática” e “em inglês” lhe disse para ele as recolher no seu lugar. Qual morcão azul e bronco ofendido na sua honra, o “cavalheiro” abespinhou-se e muito incomodado com a observação, iniciou o “teatro” do costume, insurgindo-se contra os modos da hospedeira turca. Será que ela terá “ordenado” ao “cavalheiro” qualquer coisa do género em inglês - “tira as patas do corredor e enfia-as juntamente com o teu focinho para o espaço entre os assentos, que é aí o teu lugar”?

Será que o “cavalheiro sofreria de varizes e teria de esticar regularmente as suas pernas? Será que sofria de mialgias ou tinha alguma unha encravada?

Também gostaria de ouvir e ver as imagens e as frases que foram ditas, se é que o grande investigador Paulo Montes recolheu alguma coisa no seu telemóvel ou no de algum dos presentes, nesses momentos tão dolorosos para esses passageiros, verdadeiros gentlemens da claque filantrópica dos superdragões.

 

Quando li este lirismo camoniano esbocei um sorriso e perguntei-me como é que os responsáveis de uma publicação que já foi grandiosa e respeitada, autorizam um artigo deste teor na última página da edição em papel e deixam que um escrevinhador, dos muitos que por lá deambulam pelas secretárias, assumir-se como um detective de pacotilha com o único objectivo de branquear actos de uma pandilha cuja má fama e perigoso cadastro têm sido o seu cartão de visita no estrangeiro e que desta vez obrigaram o comandante do avião a alterar a rota e a aterrar de emergência no aeroporto italiano de Fiumicino.

 

Mas o que é mais grave e ao mesmo tempo ridículo neste conto camoniano é o desplante com que Paulo Montes refere “fontes próximas” para justificar as atitudes exaltadas de um dos “cavalheiros”. E foi um turco, segundo essas “fontes”, dos muitos que seguiam no avião, que de “punho cerrado” em jeito de ameaça, lançou mais gasolina para a fogueira.

 

Ora porra, ó Paulo Montes, tu podes ir no avião, mas ainda não estás em órbita ao ponto das voltas circundantes à Terra te provocarem tonturas e delírios!

“Fontes próximas”?

Mas o que é essa treta de “fontes próximas", ó Paulo Montes?

Sim, o que é esta conversa da trêta?

Não chegámos a meio do artigo e é só turcas e turcos no meio da confusão!

Queres dar a entender o quê?

 

Então e a seguir um terceiro”cavalheiro” intervém para acalmar os ânimos?

Que bondade, que urbanidade, que educação!

Então, e os restantes passageiros turcos aproveitaram esses momentos para fazerem uma manifestação em jeito de arruaça, foi?

 

Pois foi. O comandante é que não esteve com meias medidas e toca a pôr o avião em terra para despachar os “cavalheiros”.

 

Diz o Sherlock Holmes português que ao ser ouvida esta decisão da boca da malandra da hospedeira foi a estupefacção geral!

Mais uma vez tive de sorrir perante tamanha anedota.

 

Só tenho pena que o comandante do avião antes de se desviar da rota e aterrar de emergência em Itália não tenha aberto o alçapão da aeronave em pleno Mediterrâneo.

 

Da minha parte e se fosse caso disso, ainda solicitaria ao comandante a entrega de um pára-quedas e um barco insuflável de borracha a Paulo Montes para vir acabar de contar o resto da “estória” aos compradores do jornal.

É que pelo que li, Paulo Montes e os ditos "cavalheiros" viveram uma extraordinária epopeia no meio desses turcos, esses malandros!

 

PS.

Eis o artigo para quem quiser ler e rir-se um pouco.

 



GRÃO VASCO


5 comentários:

Rukka disse...

"a alegada vitima do toque" Vitima do toque??
Este é daqueles jornalistas que na minha terra já teria alcunha:Em vez de Paulo Montes,
Paulo mentes.

ALM disse...

Este Monte... esquece-se que iam pessoas no avião que não são portuguesas e contaram uma versão um pouco diferente. Talvez o princípio da história contada por ele se aproxime da verdade, mas ele esconde o que de pior se passou.

FranciscoB disse...

O respeitinho é mt lindo - a mérdia nacional ou é avençada aos corruptos ou tem medo deles... as autoridades nacionais são os principais culpados pois deixam estes verdadeiros criminosos andar à solta de forma impune...

Como se compreende q 1 desvio de 1 avião passe s/ investigação jornalística nacional, qd os agentes desse desvio são porto gueses? Como se compreende q o único portu guês entrevistado fosse o macaco madureira, criminoso confesso?

Se fosse uma claque do Benfica até o cão q farejou as mochilas já tinham entrevistado...

Anónimo disse...

Esqueceu-se foi de contar que o referido criminoso tinha também roubado, "subtraído" disse a besta, uma garrafa de whisky às hospedeiras e que a tinha na mão durante a altercação! Daí a euforia toda! Até onde chegam as tentativas de branqueamento de criminosos!

GRÃO VASCO disse...

Não esqueci, não.
Essa e mais algumas do artigo dei-as de borla.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...