13.2.16

Gaitán, o ‘amigo’ do devoto de S. Cono



No café onde visionava o clássico e quatro minutos antes da desilusão, despedi-me dos meus amigos Benfiquistas com um até amanhã premonitório. Cá fora a chuva não parava.

Ao dirigir-me para casa e perante um pequeno clamor provindo de um ou outro lar dos prédios em redor, abafado pelo sortilégio do futebol, choveram novas bátegas de desilusão. A escumalha corrupta tinha acabado de dar a volta ao jogo. Definitiva. Nada que o meu pressentimento de me retirar da tertúlia de indefectíveis não tivesse sido logo naquele momento confirmado.

 

Na Luz, choviam e sobravam bolas de papel vermelho da coreografia inicial de estímulo ao Glorioso. Gaitán, no início da segunda parte do jogo, depois de ter falhado mais um incrível golo e já com as pernas bambas e gastas e com os bofes de fora, aproveita um pequeno intervalo da peleja e tal como um funcionário camarário da recolha de lixo, resolve apanhar umas quantas folhas desse papel vermelho amarrotado, abanando a cabeça, enxofrado, como que dizendo que não a essa atitude alheia vinda das bancadas que o tem idolatrado, lançando-as para fora das quatro linhas. As bolas de papel tinham sempre o mesmo destino e expressavam o desagrado dos adeptos pela recente atitude peseteira do devoto de S. Cono, santo sul-americano que abençoou o uruguaio e a sua conta bancária. Gaitán, qual prima donna desflorada por tamanha violação da arte de bem receber, muito incomodado por esse acto legítimo de desagrado de quem o tem apoiado nos bons e maus momentos, quis com o seu abanão de cabeça em forma de negação, dizer que não concordava com o envio dessas cartolinas amarrotadas, expressando e renovando assim, mais uma vez, os votos de amizade eterna ao promotor de mate nos balneários lusos.

 

E eu perguntei:

- Mas o argentino está lá para jogar ou para ser amigo, dentro do campo, do uruguaio, devoto de S. Cono?

 

Nesse momento, Rui Vitória deveria ter sido substituído por mim. Só nesse momento. Gaitán teria sido imediatamente despachado para o balneário, para, já penteadinho e arranjadinho, vestidinho e recomposto por um banho quentinho, poder abraçar e congratular o seu amigo no final do desafio. Em dez jogos seguidos, o Benfica e o seu treinador não precisaram de Gaitán para ganhar com clareza e categoria.

Gaitán andou a tocar, durante o tempo todo de jogo, um pífaro mal amanhado, parecendo mais um daqueles músicos de poncho e toucado que vai andando de feira em feira com uma aparelhagem portátil às costas, ganhando uns tostões a soprar panpipes reproduzindo o El Condor Pasa, vendendo CD’s e artefactos andinos e deixando o seu querido amigo uruguaio afinfar no bombo à tripa forra. Só lhe faltou colocar uma trança postiça à índio de alguma tribo da América do Sul.

 

Confesso-vos que fiquei incomodado com Gaitán. Após aquela paneleirice na primeira parte, no lado direito do ataque do Benfica, em que, em vez de, eficaz, correr para a baliza, sòzinho, resolveu, recuando, fazer um número de ballet ao recrear-se com a bola fazendo-lhe não sei bem o quê, talvez "penteando-a" desnecessàriamente com os dois pés numa sequência rápida para "olheiros de tubarões da Europa verem", passando-a depois para trás, para um seu colega na defesa, e ao observar esse espectáculo da sua recolha das bolas de papel, concluí que já não haveria mais nada a dizer e a fazer.

 

Deixei o café, os meus indefectíveis amigos Benfiquistas e repeti esta frase até à exaustão antes de chegar a casa:

- Vendam-no antes que seja tarde!

 

Da noite triste e chuvosa resta ainda a conclusão simples de que nem sempre ganha o melhor e quem faz mais por ganhar. A sorte faz parte do futebol, e às vezes é ela que comanda o destino do marcador.

 


GRÃO VASCO

16 comentários:

Frank disse...

E isso mesmo G.V.vendam-no antes que seja tarde pois enquanto andou lesionado o Benfica ganhou sempre todos sabemos que e um grande jogador mas nestes jogos raramente o vemos em grande.Estou chatiado ainda mais chatiado depois de saber que a lagartada ganhou com uma perna as costas na Madeira,ainda mais chatiado porque podendo estarmos a 9 pontos dos corruptos ficamos somente a 3 caramba que fim de semana grande este estou desejando chegar a terça feira temos que mostrar a oda a gente que sexta feira foi um dia mau e nem sequer foi dia 13 para falharmos tantos golos estou desolado triste e aborrecido como estao milhares e milhares de benfiquistas mas vmaos ter calma dias melhores estao por vir.

ana_slb disse...

Concordo plenamente com este post. Pensei o mesmo depois da triste figura de retirar os papéis. Até acredito que o estorvassem, mas a verdade é que não fez mais nada até ao fim do jogo. Pareceu demasiado ofendido. Pois nada ofendido, nem preocupado com os papéis, esteve o seu amigo traidor. Já no dragão Gaitán o livrou de maior punição ao acalmá-lo. Se um demonstra a amizade durante o jogo, o outro cerra os dentes e joga com mais garra que qualquer outro contra o clube que o fez jogador.
Não gostei da atitude e merecia ter sido substituído. Esteve muito infeliz. E acabámos todos infelizes.
Saudações Benfiquistas!
http://diario-de-um-benfiquista.blogspot.pt/

Zico disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
chakra indigo disse...

Um pouco de exagero não?

A desilusão não deve servir para descarregar frustrações nos nossos.

O Gaitan tem a sua personalidade, e desde que não destrate ou prejudique o clube não vem por ai mal ao mundo.

O Gaitan veio de uma lesão, e ainda não está a 100%, mas será muito útil, como sempre foi, para tentarmos o TRI - ou será que já desistimos? Ou será que estamos fora da corrida e já não vale a pena?

Eu, nestes momentos lembro-me de um grande estadista -
NÓS NUNCA NOS RENDEREMOS!

Viva o Benfica!!!

GRÃO VASCO disse...

Ó chakra indigo,

Não há exagero absolutamente nenhum, meu caro. E muito menos frustrações.
Isso nunca foi comigo e não é com seis décadas de Benfica que agora o será.

Poderás dizer que fui duro. É verdade. Mas a dureza está directamente ralacionada com as atitudes de Gaitán que referi no post.

Já conhecia o Sir Winston Churchill, ainda tu nem pensavas vir ao mundo. Mas não foi preciso recorrer ao Churchill para que a minha paixão, a minha mentalidade, a minha força racional me dissessse e continue a dizer sempre que como Benfiquista nunca me renderei!
Percebido em relação a esta matéria de frustrações, exageros e rendições?

Agora vamos ao que interessa.
Gaitán.
O Gaitán pode ter o que quiser. Personalidade, amizades, amantes, namoradas, namorados, dinheiro, automóveis, prédios, fortunas, troféus. Não tenho nada que ver com isso, desde que não leve esses assuntos para dentro do campo enquanto vestir o Manto Sagrado.
O que ele NÃO PODE é expressar dentro do campo os seus sentimentos que de alguma maneira entrem em rota de colisão com o sentimento da maioria ds Benfiquistas. E não pode andar a passar a mão pelo pêlo de um sujeito que andou a brincar aos tétés com o Benfica. O resto é paisagem meu caro.

Dizes que o Gaitán veio de uma lesão, não é? Pois muito bem, se não está em condições não entra. Só isso. Gaitán, tecnicamente é superior à média, mas não é nenhum "superstar". As chamadas à selecção argentina são indicadoras disso mesmo.A sua efectividade na equipa ainda reforça mais aquilo que acabei de te dizer. Não deixa de ser um elemento de muita importância no Benfica. Agora terá de deixar de olhar para o seu umbigo e contribuir decisivamente para as prestações que são exigidas ao grupo, à equipa.

Mais uma vez te reitero - o Gaitán não tem nada que estar com aquelas paneleirices em público, para mais a mais a adeptos incondicionais do Benfica que o apoiam nas horas boas e más. E eu também o faço. Agora o que ele não fica é isento à crítica em relação a atitudes que pouco ou nada têm a ver com o futebol. Privado é privado, público e Benfica é público e Benfica!

E mais. Oha render-me... fodias-te!

E para saberes como é que eu sou como adepto do Sport Lisboa e Benfica e como estudioso da 2ª Guerra Mundial, vou transcrever-te um excerto do extraordinário discurso de Winston Churchill na Câmara dos Comuns do Parlamento do Reino Unido em 13 de Maio de 1940:
-"Iremos até ao fim. Lutaremos na França. Lutaremos nos mares e oceanos, lutaremos com confiança crescente e força crescente no ar, defenderemos a nossa ilha, qualquer que seja o custo. Lutaremos nas praias, lutaremos nos terrenos de desembarque, lutaremos nos campos e nas ruas, lutaremos nas colinas; nunca nos renderemos!"

É assim que eu sou também, ó chakra indigo!

Saudações Gloriosas!
E Viva o Benfica, dizes bem!

GV

GRÃO VASCO disse...

Zico,

A continuares a malhar em quem não deves, nem que seja subrepticiamente, não te publico nenhum comentário, o que desde já te digo que lamento, pois reconheço-te um Benfiquismo inquestionável.

Evita essa merda de vomitares aquilo que não deves. Culpa-te primeiro a ti pela obsessão que te mortifica. Esquece isso e olha para quem deves de uma forma grata apesar dos erros que se cometeram ou cometem. Quando o fizeres, acredita que te sentires-te-ás bem melhor e mais tranquilo.

Saudações Gloriosas.
GV

GRÃO VASCO disse...

Zico,
Não vou publicar, como é óbvio, o chorrilho de insultos bolçados por ti à minha pessoa.
Avisei-te, logo que por aqui apareceste novamente com outro nickname que não tolerava nenhum tipo de insultos ou impropérios a ninguém do Benfica.
Por isto não vou responder-te da forma grosseira, abrutalhada com que tu o fizeste.
Já sabes.
Quando aqui quiseres expressar as tuas ideias, usa a contenção relativamente às pessoas que estão à frente do Benfica. Sejam elas quais forem.
E em relação à pequenez olha-te bem ao espelho. Não faças batota e não utilizes aqueles espelhos concâvos e convexos de feira, em que te vês aumentado e os outros diminuídos.

Saudações Gloriosas... e acalma lá o bicho!


OBS. Em vez de culpares e responsabilizares os outros, analisa friamente o teu comportamento verbal e os teus excessos, que a serem um modo de vida no Benfica, acabavam com o Clube num abrir e fechar de olhos.



chakra indigo disse...

Caro Grao Vasco,
como muito bem diz no blog - TUDO PELO BENFICA, e eu sei reconhecer os que seguem essa máxima, assim como sei que ninguém está isento de criticas.

Concordo com muito do que diz na resposta ao meu comentário, embora continue a pensar que é um exagero o reparo ao nosso Gaitan, mas o momento é mais de união do que de critica, e eu tenho também algumas criticas a fazer, no entanto reservo-me e tento não dar muitas armas aos "Zicos" desta vida, que aproveitam tudo o que podem para rebaixar o nosso glorioso clube, ou os seus atletas, técnicos ou responsáveis.

È só visitar os blogs afectos ao Benfica para perceber que nem são precisos comentadores para o fazer, são muitos desses bloguers a contribuir para o constante ruído e critica sem fundamento, o que sei perfeitamente não ser o seu caso nem o do seu blog.

O desporto, para quem o viveu em campo, tem momentos de tristeza, alegria, frustrações, mas no desporto nem sempre se ganha, não se joga sozinho e existem vários resultados possíveis.

O trabalho dos nossos atletas, técnicos e dirigentes é minorar todas as variáveis que possam contribuir para resultados negativos, e acredito que isso vai continuar a ser feito, e nisso incluo o fortalecimento psicológico dos atletas e a sua postura e atitude em campo, face aos adversários e aos companheiros, que na luta, com fervor, contribuem para que a aura de um Clube Lendário se mantenha.

Eu sei que estou sem companhia no que se refere ao Maxi, sou dos que não o assobiou, e está grato pelo profissionalismo que sempre mostrou com o Manto Sagrado envergado.O Maxi foi dos que nunca se rendeu, nunca deixou uma gota de suor por suar na gloriosa camisola do Benfica, e é merecedor do meu respeito e gratidão.
Obviamente que dentro de campo é um rival, tudo deve ser feito para o travar, mas não o vejo como inimigo, e não acho que o Gaitan tenha exagerado, mas aceito perfeitamente a sua visão

Acabarei citando de novo esse grande estadista, que já vi também admirar

- "Quando se tem de matar um homem, não custa nada ser educado".
Sei que percebe.

Cumprimentos

Viva o Benfica!!

GRÃO VASCO disse...

Caro chakra indigo,

Li com muitíssima atenção o teu último texto.
Parabéns pela lucidez, maturidade e urbanidade que revela o seu teor.
Gosto deste tipo de abordagens, de respostas e contra-respostas.

Completamente esclarecido sobre o teu ponto de vista.

Quanto ao Maxi (até me custa pronunciar o seu nome, como o de Rui Águas e quejandos) eu também não o assobio. Desprezo-o e faço-o com a mesma indiferença que ele mostrou muito tempo antes de partir e quando partiu.
No entanto não verbero aqueles que o assobiaram e continuarão a assobiar.
Maxi seria um "vulgar de Lineu" se não tivesse jogado no Benfica. Na minha tertúlia de indefectíveis apelidei-o carinhosamente de "bombeiro". Às vezes apagava os fogos e noutras vezes "tocava bombo" em total desafinação com os violistas de serviço (e no tempo dele muitos foram os que o ajudaram a disfarçar muitas das suas insuficiências). Era um "bombeiro" no duplo sentido da palavra. Mas curiosamente não me causou, nem de longe nem de perto, o mesmo impacto emocional como a deserção/traição de Rui Águas há muitos anos atrás e que deixou seu pai, José Águas, o saudoso e brilhante avançado-centro, do Benfica de 60, um dos melhores e maiores jogadores que o Benfica já teve, amargurado e de rastos.

Quanto ao profissionalismo, o uruguaio não fez mais do que a sua obrigação. Foi sempre princepescamente pago para isso, como são quase todos os outros jogadores do plantel.

No que concerne ao Gaitán, fui duro, mas dentro dessa dureza usei alguma "meiguice". A sua exibição foi frouxa, mas não foi aí que concentrei o cerne da questão, muito embora o seu umbigo seja para ele quase o centro do mundo.
O que me incomodou foi a sua atitude numa situação colateral ao jogo, e deixei-o bem claro no café onde visionava o desafio, com um sonoro desabafo no momento em que isso aconteceu.
Quanto à desilusão do resultado foi uma realidade. Mas note-se, não me deu azo, nem nunca daria, a frustrações nem a descargas biliares sobre jogadores, treinador, dirigentes e presidente.

Por último a minha total concordância com o facto de existir na blogosfera benfiquista uma quantidade enorme de abutres, víboras, invejosos, frustrados e sabotadores pertencentes a uma 5ª coluna perigosa e desestabilizadora.

Quanto ao "Zico", o seu Benfiquismo não se discute. O seu grande problema é por vezes o destrambelho total, a linguagem desbragada e não ter na sua colectânea de adágios populares aquele que lhe faria muito bem pronunciar com regularidade:
- muitas vezes "o silêncio é de ouro".

Saudações.
GV

GRÃO VASCO disse...

* Correcção - "Violinistas" e não violistas.

GV

Zico disse...


Caro Grão Vasco, a sua resposta ao "Chakra Indigo" no seu comentário das 23:08, é perfeitamente ilucidativa, e eu estou em pleno acordo com a mesma.
No que se refere ao "ZICO", eu já sabia que você é mesmo inteligente. Infelizmente há muitos que não conseguem distinguir uma rã de um sapo, ou uma ÁGUIA de uma sardanisca, e devido a essa insuficiência metem tudo no mesmo saco, julgando que são todos lagartixos peçonhentos ou escabrosos corruptos do porco.
Enfim, continuo a achar que Deus fez um Mundo muito injusto. Uma "OBRA" muito bonita mas cheia de defeitos e perigos.
Vá lá que a nós deu-nos uma parte de si mesmo, O BENFICA.

Saudações da ÁGUIA Real.

Vivamos nós que o BENFICA é ETERNO.

GRÃO VASCO disse...

Zico,

O teu comentário está publicado como podes ver.
Quanto aos anteriores, aquele em que a palavra "surripiar" aparece, como poderás prever foi enviado para as cavernas do Afeganistão para as ratazanas o comerem...

Quanto ao teu comentário ao "chakra indigo" quero dizer-te que não vale a pena publicá-lo.
Ambos são Benfiquistas (tu e ele) e como não tenho "benficómetro" nem quero usar esse tipo de instrumento, direi que são tão Benfiquistas como eu.
A "autenticidade" de todos os três será sempre ratificada no apoio que cada um der no Estádio da Luz, noutros campos do país, em qualquer lugar do mundo, gritando a plenos pulmões:
- Benfica, Benfica, Benfica!

Saudações Gloriosas aos dois.
GV

Zico disse...

"O teu comentário está publicado como podes ver.
Quanto aos anteriores, aquele em que a palavra "surripiar" aparece, como poderás prever foi enviado para as cavernas do Afeganistão para as ratazanas o comerem..."

cARO gRÃO VASCO, esta parte do teu cometário que mete cavernas do Afeganistão e ratazanas fez-me rir a bom rir.
Mas olha que o termo "surripiar" é apenas uma forma sarcástica de dizer que foi dado às tais ratazanas.
No entanto devo dizer-te que tenho até pena delas de lhes teres enviado coisinha tão ruim. Era mais bem aplicado se fosse untado com óleo lubrificante queimado e dado de sobremesa ao TRINCA BOLOTAS burro de parvalho que faz que preside ao riporting.

Compreendo a tua atitude em relação ao "Chakra Indigo". Neste momento há que não dispersar as FORÇAS e os ÂNIMOS dos Benfiquistas, e apelar à UNIÃO dos Adeptos e Sócios em DEFESA TOTAL E INCESSANTE do nosso Clube contra fruteiros do porco e lagartixos peçonhentos do riporting de alvalixo.

E Pluribus Unum..... AD ETERNUM.

BENFICA BENFICA BENFICA Sempreeeeeeeeeee o Maior e o Melhorrrrrr.

chakra indigo disse...

Caro GV, por mim não tenho qualquer problema em que publique o comentário do Zico, que desde já lhe esclareço, não pretendi diminuir no seu Benfiquismo, até porque foi a primeira vez que li um comentário dele, e provavelmente terei extrapolado o seu comentário.

Já tive de responder muitas vezes a desbragados de linguagem , especialmente Sportinguistas que se julgam donos da razão e que assim que alguém lhes faz frente ou não publicam os comentários ou entram pelo ataque e apoucamento, como se isso me fosse perturbar - as palavras como a acções ficam para quem os profere e pratica.

Quanto ao Rui Aguas, posso dizer-lhe que foi uma das noticias mais devastadoras que recebi do mundo Benfica; ainda hoje, no meu telemóvel, quando o meu sogro me liga é a imagem do grande José Aguas a erguer a taça dos campeões que o identifica.
Foi uma punhalada que não chegou a semelhante á do Sousa e Pacheço.

No entanto, o bom filho a casa torna, e o assunto para mim ficou sanado e perdoado, porque o Homem também é feito das suas misérias, e o Rui, como saberá, nem é grande apreciador de futebol, tendo enveredado pela carreira apenas por interesse financeiro, e isto foi dito por ele.

O Maxi - aceito que é um bombeiro, um carregador de piano, aquele que na guerra todos quereriam ter a guardar as costas, e a propósito, lembro-me muitas vezes de um jogador "insignificante" que passou pelo glorioso, o Fernando Aguiar.Revejo a sua combatividade, os seus "tomates" a enfrentar a caceteira equipa do Mourinho na final da taça de Portugal, em que só a grande força mental de jogadores como ele, o Petit, o Luisao, o Fyssas, o Armando, o Sokota, o Ricardo Rocha, coadjuvados pelos solistas e violinos como o Simão e o Nuno Gomes, ousaram vencer a equipa do Porto que tudo venceu e venceria.

Por isso, sempre valorizei os "maxis", que nunca deixam a equipa esmorecer, e que levam os menos fortes ás costas do seu infindável espírito de antes quebrar do que torcer.

Quem sabe com o Luisao em campo o Gaitan, um dos tais solistas, não ouvisse das boas ao intervalo, pois seria o único com estatuto para o fazer.

Saudações Benfiquistas

Viva o Benfica!!

GRÃO VASCO disse...

Caro Chakra Indigo,

Amanhã há Champions na Luz.
O Benfica joga com o Zenit e todos não somos de mais para incentivar os nossos.
A vitória é o que mais interessa, e para mim, para lá do Zenit, há outros ajustes de contas que nunca ficaram saldadas devidamente. Inclusive nesse aspecto, o saldo é-nos desfavorável.
Refiro-me àquele garotito a quem saiu o "euromilhões" sem saber ler nem escrever. As passagens pelo Chelsea, Tottenham e mesmo agora nos russos, nunca revelaram aquilo que mereceu da nossa comunicaçao social - tanto elogio, tanta bajulação, tanta graxa.

Portanto, "vamos em frente que atrás vem gente".
Ontem já tinha posto uma pedra sobre o assunto chakra indigo/zico e portanto não há mais nada a dizer que não seja colocar-lhe mais uma pedra em cima.
Isso está arrumado.

Agora é puxarmos todos unidos pelo Nosso Benfica, amanhã e depois em Paços.

Saudações.
GV

RuiL disse...

Boas
Amigo Grão Vasco, começo por salientar que não gosto nada de fazer críticas duras aos nossos especialmente em alturas difíceis, contudo, estou inclinado a concordar consigo, e não creio que seja crítica destrutiva, em relação à atitude de Nicolas GAITAN (Capitão) em especial (e até mais por isso) pelo que já tinha feito no jogo do Dragão, não me parece exagero dizer que o Máxi tira MUITO proveito disso, quem é o NICO para andar a acalmar o Máxi?! O Máxi nestes 2 jogos se tivesse outro adversário directo não acabava o jogo, esteve ambas as vezes de cabeça perdida, com sorte o amigo deu sempre uma mãozinha!
Agora...E PLURIBUS UNUM e cumprimentos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...